quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

IDEOLOGIA DOMINANTE: PROPRIEDADE PRIVADA

Para continuar nosso debate sobre os pontos ideológicos burgueses nos quais os trabalhadores assimilam, mas que não percebem que nunca no modo de produção capitalista será possível alcançar.

Falamos no post anterior sobre o pensamento pequeno-burgues – o desejo do trabalhador em se tornar em patrão – agora, vamos materializar mais um exemplo desse desejo através do direito à propriedade privada que o burguês detém ao ponto de usurpar o direito de outros burgueses possam vi a ter ou em momentos raros os trabalhadores, momento em que trabalhadores passam a ser detentor de um modo de produção.

O tom terrorista dos burgueses ao defender o direito à propriedade privada questionada por nós comunistas deixa claro que não abrem mão do acumulo em detrimento às necessidades coletivas. Um único homem tem o direito a dimensões de terras equivalente e/ou superior a uma Imperatriz, basta que tenham o dinheiro e encontre quem as vendam - isso já acontece em níveis local e global - enquanto isso, o trabalhador assalariado que não detém a capacidade de acumulo como o burguês não tem o direito se quer a uma área onde possa produzir o alimento para seu sustento ou a construção de sua moradia. Assim como o burguês ele também tem os mesmos direitos, mas não detém os meios para tal.

O fim da propriedade privada é um fator crucial para uma sociedade justa, distribuindo terra a todos àqueles que necessitam de produzir o construir suas moradias. Mas um ditado popular caracteriza bem a rejeição dos trabalhadores alienados a essa discussão: "o pobre passa a vida toda dizendo que não tem nada, e, quando chove diz que perdeu tudo", ou seja, mesmo não tendo a posse da propriedade privada defende a manutenção desse direito na esperança de que um dia terá acumulado capital suficiente para que possa passar a ter cada vez mais terras em seu poder, infelizmente a grande maioria dos trabalhadores passa a vida tentando e só chegam a conseguir quando são levados ao cemitério, às vezes nem assim.

Pode parecer que sou adepto a tratamentos de choque, mas não, infelizmente não há outra forma de demonstrar o quanto nossa classe se posiciona em favor dos nossos adversários, tornando-os cada vez mais fortes.
Assista o video que trás algumas diferenças entre Capitalismo e SOCIALIMO:


terça-feira, 22 de dezembro de 2009

HOMENAGEM DE LULA AOS MARANHENSES

Já que toda "caca" que sei da boca de LULA é apreciada pelos seus bajuladores, vejam o arranjo de natal especialmente criado para os maranhenses que votam naqueles que nos fazem continuar "na merda" como disse o presidente dos Sarneys

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

CARLOS LEEN FALA SOBRE ESTREITO

O valoroso militante do PSOL de Imperatriz, Carlos Leen, falar sobre a realidade dos cidadãos de Estreito e os impactos decorrentes do construção da usina hidroéletrica.

Vale a pena conferir!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

PRIMEIRO BLOG INFANTIL: IRMÃS GALENO

Não poderia deixar de sugerir mais um blog recém criado, agora para o publico infantil, feito por crianças. Como uma das co-autoras do blog afirma: "Isso você só vê no aqui no blog Irmãs Galeno. É demais, se você quer jogo de verdade fale comigo (...) e o maior barato jogar jogos maneiros como o que você vê nesse blog...". Então é acessar e conferir as dicas.






Já pensaram minha preocupação: 1º fim do período letivo; 2º quatro meninas ociosas; 3º como direcionar o uso da net pra algo produtivo e incentivador etc. Veio então a idéia de criar este blog e passar a responsabilidade de atualização pra elas, sem esquecer do suporte e supervisão de técnico e pai (rsrsrs). Acho que está funcionando!!!

2010 E O APAGÃO DIGITAL

O Brasil está virando especialista em apagões, sejam no sistema aéreo, telefônico ou no sistema energético, outras formas veladas de apagões como no sistema de saúde, ética política e institucional (câmara, senado, supremo tribunal federal). Todos esses problemas têm um ponto em comum, falta de planejamento estratégico que venha prever as crises, é normal que o aumento da demanda cause saturação culminando no colapso completo.

Hoje um serviço que tem uma demanda crescente é o de acesso à internet. Apesar de propagandas de empresas oferecendo velocidades, serviços e tecnologias considerados de ponta a verdade é que estamos anos luz atrasados na qualidade. Os provedores se utilizam de propagandas e de regras de probabilidades (usuários simultaneamente) para vender ao maior número possível de clientes o mesmo link(velocidade) ou vender links sem deixar claro se é full duplex(real), e que o mesmo link usado por um determinado cliente poderá em dado momento estar sendo compartilhado por outros.

Alguns provedores de websites de já passaram por problemas no acesso excessivo de usuários, o próprio site da receita federal do Brasil passa por esse problema anualmente no período de entrega de declaração de imposto de renda.

Mas tirando essas questões comerciais hoje já vivemos situações semelhantes – os famigerados spams -, em menos grau, do que poderão passar os usuários de servidores de e-mail graças a liberação do uso da internet como um espaço livre de propaganda. Imaginem no meio virtual, o que acontecia com os postes, muros, viadutos etc que servia de locais para propaganda de candidatos sem controle.

Hoje temos vários servidores de e-mail grátis com variadas capacidades de armazenamento de e-mail em caixas postais (hotmail, Yahoo, gmail) alem dos pequenos provedores de acesse que limitam ainda mais esse espaço de armazenamento em seus servidores. Sem contar com as paginas de relacionamentos como o ORKUT com seus recados.

Essa questão de apagão digital em 2010 com a liberação do uso do meio virtual nas eleições do ano que vem o sistema de internet brasileira vão passar por uma prova de fogo onde o resultado pode ser apagões a nível nacional. Já comentei essa preocupação com especialistas do ramo, quase que unanimidade afirmam que o problema é remoto. Para os provedores pode até ser, se efetuarem investimentos em seus equipamentos, mas os usuários que podem estar recebendo cerca de 300 e-mail/dia de candidatos tentando passar que é o melhor nome para representá-lo nas instâncias do poder não há HD que suporte a impaciência com tanto e-mail a cada instante entrando em suas caixas postais.

Acreditar que os políticos terão bom senso é a mesma coisa de acreditar em milagres, já que eles não respeitam nem nosso dinheiro, imagine com nossas caixas postais que muitas das vezes são uma fonte de comunicação, estudo e de trabalho importantes.
Como sempre o usuário e o eleitor é quem sairá prejudicado com as excessivas propagandas em busca de votos, com as velhas promessas típicas dos políticos que nem si quer respeita o espaço, mesmo que virtual dos outros, para sua autopromoção com uma vantagem pra eles: não precisarão vestir a velha mascara de bons moços e sorridentes, pegando as criancinhas sujas da periferia no colo e abraçando senhores e senhoras com o desodorante vencido, não que a internet acabará com isso, mais ajudará na diminuição dessa tarefa, claro que esse trabalho não será feito por ele mais por equipes de marqueteiros virtuais.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

OS TRABALHADORES É QUEM SEMPRE PAGAM A CONTA DE TUDO


O PUBLICO JÁ NÃO ERA PUBLICO, AGORA VIROU EXCLUSIVO

O PSOL de Imperatriz ao solicitar uma das unidades de ensino localizada no grande santa Rita, através de oficio, para a realização de uma reunião política tivemos a seguinte resposta – verbal – do diretor da escola: “Wilson, sei que você é uma pessoa inteligente e vai entender. Nossa escola está aberta para eventos da comunidade, de igrejas, casamentos, festas de aniversário, mas temos “ordens superiores” para não liberar para encontros com viéis político”.

Agora pensem comigo, todos sabemos que a gestão burguesa (para ricos) de Madeira é evidente e esta se tornando EXCLUSIVISTA dos espaços públicos onde apenas as figuras políticas do prefeito e de seus apadrinhados podem transitar.

Sou inteligente o suficiente para não aceitar tal “ordem superior”, buscarei uma resposta seja do prefeito Madeira, seja do secretário de Educação Zeziel acerca do fato.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Saulo Arcangeli é escolhido como pré-candidato do PSol ao Governo do Maranhão

O Diretório Estadual do Partido Socialismo e Liberdade divulgou o nome do seu pré-candidato ao governo do estado do Maranhão. Saulo Arcangeli será o candidato ao cargo de chefe do executivo estadual. Paulo Rios, que disputou a prefeitura de São Luís nas últimas eleições, será candidato ao senado federal.

A definição ocorreu no sábado (12), durante Encontro Estadual Eleitoral do PSOL-MA. No evento, foram debatidas questões como o repúdio da militância maranhense à intenção do diretório nacional de filiar-se ao PV (Partido Verde), para dar apoio a candidatura à presidência da república de Mariana Silva. O motivo do descontentamento dos maranhenses é pelo fato de Sarney Filho ser uma das lideranças do PV. O diretório local defende a pré-candidatura própria, em particular a de Plínio Arruda como possibilidade satisfatória.

Saulo Arcangeli enfatizou o papel de um partido de esquerda e dos movimentos sociais de esquerda que se organizam na Conlutas. Saulo é professor da Universidade Estadual do Maranhão, funcionário do Ministério Público Federal, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores no Judiciário Federal e Ministério Público do MA - Sintrajufe, dirigente da Federação nacional da categoria, dirigente da Coordenação Nacional de Lutas - Conlutas e presidente do PSOL de São Luis. Esta será sua primeira candidatura.

Mesmo escolhendo os pré-candidatos, o PSOL-MA não descarta uma aliança com outros partidos de esquerda, como o PSTU e PCB, conversa que está em pauta nos compromissos do partido.

Militantes já criaram um blog para divulgar o nome de Saulo.

Clique na figura para ir ao blog


CACHORRO QUE LADRA NÃO MORDE

Pra quem esperava um discurso inflamado de Domingos Dutra perdeu o seu tempo, eu fui um das vítimas. Os temas levantados forma sobre a situação de penúria da cidade de Estreito e dos atingidos pela construção da Hidroelétrica e sobre a visita de Lula para visitar Roseana e o patriarca Sarney e de quebra prometeu tirar os maranhenses da "merda", o mais irônico é que falou isso ao lado daqueles que sempre fizeram com que essa situação existisse.

Primeiro que ao citar dez mazelas patrocinadas pela obra do PAC - "Programa de Aceleração de Candidatura", não citou em momento algum quem as sempre defendeu como redenção dos problemas de emprego, saúde e educação da região, Lula e Dilma, Jackson Lago e Roseana. O fato mais relevante foi saber que além do descumprimento dos "compromissos sociais" que estavam no projeto, o CESTE tinha uma tarifação de ISSQN de 0,8%, coisa de pai pra filho, ou melhor, de político pra empreiteira, mas com a descoberta do escândalo isso subiu para 1,6%. Para quem não sabe qualquer município cobre às empresas que prestam serviços em sua cidade entre 3 a 5%, ou seja, a renuncia de receita ali caracteriza improbidade administrativa.

Ao citar o "fato histórico" que apos 11 anos lula voltou ao maranhão intimado pelos sarneys, Domingos Dutra lamentou a sua falta de estomago para acompanhar seu "deus" estando ao lado dos judas maranhenses, mas tentou justificar que a insistente permanência tão próxima do presidente era decorrente de "o clã são uns malas sem alça, pesados", o engraçado é que ele não citou a necessidade extrema do apoios dessas malas para a eleição da Sra. Dilma Rusself.

Sr. Deputado, precisa de mais coragem pra criticar os erros de seu governo e deixar de pôr a culpa naqueles aos quais seu partido tanto depende pra permanecer no poder.

O QUE TERIA NO “SACO” DE FLÁVIO DINO?

Estive na capital do estado, São Luis, neste fim de semana para debates a respeito do pleito eleitoral de 2010. Um autdoor espalhado pela cidade me chamou a atenção, dava felicitações natalinas aos ludovicenses e um papai Noel com uma barriga típica e seu saco avantajado, até ai tudo bem, mais questionei: cadê a barba branca? Olhando melhor vi que não era papai Noel, mas sim um desenho de Flávio Dino fantasiado de papai Noel, fui logo pensando o que teria dentro daquele saco? seria acordos com o agronegocio como foi dito por ele em entrevista, seria um acordo com o clã Sarney já que na política vale tudo, como disse o presidente lula, seria os presentes oferecidos às ‘lideranças’ do maranhão para apoia-lo em 2010. Na verdade só saberemos em junho de 2010 quando o saco será aberto e os “presentes” distribuídos.

Com certeza o dito autdoor chegará à cidade de Imperatriz e todos poderão apreciar a criatividade única dos “comunistas” shows man.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

O JUDAS DOS TEMPOS MODERNOS

Pode até ser coincidência que o maior traidor da história cristã, JUDAS, tenha um sucessor à altura LULA, mas além disso conter em seu nome duas vogais mais um consoante "L" que invertida pode-se facilmente se ler com "J" após 2002 anos é impressionante.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

COPENHAGUE OU SERIA "CAPENHAGUE"

A Conferência sobre o clima em Copenhague colocou os pingos nos "i's", mostrou que as nações desenvolvidas e as em desenvolvimento não abrem mão do crescimento devastador da natureza em detrimento ao crescimento econômico, resumindo em: se a catástrofe ambiental será só daqui a 50 anos as futuras gerações que se virem.

Mesmo que a conferência termine com a ratificação do Protocolo de Quioto já podemos afirmar que as discussões capengaram, pois até hoje as reais medidas para a redução de índices de emissão de CO2 estão muito aquém do que propõe o protocolo já aprovado. Um novo tratado mais agressivo no combate à poluição não passará de um documento político para saírem bem na foto.

No modo econômico capitalista de produção gerenciado por burgueses que se beneficiam da exploração do trabalho e do meio ambiente com o discurso falacioso de um desenvolvimento sustentável é o que eles precisam para continuarem no poder.

O único saldo “positivo” é a definição, pelos paises desenvolvidos, do que eles defendem, abrindo então um campo de batalha mais definido, Economia versus Meio ambiente.

Declarações de reacionários como a dada pela ex-governadora do Alasca e ex-candidata à vice-presidência pelo partido republicano, Sarah Palin, pediu ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para que "boicote" a cúpula sobre a mudança climática, que acontece em Copenhague (Dinamarca).

"Não podemos dizer com certeza que a atividade do homem causa mudanças climáticas", no entanto, "podemos dizer que qualquer possível benefício da proposta para a redução [das emissões] de gases estufa está longe de recompensar os custos econômicos".

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

BOM TROPEÇO

Ao navegar pela blogsfera acabei “tropeçando” no blog do estudante de Jornalismo da UFMA, André Wallyson, gostei das matérias, especialmente a sobre o “Mercadinho”. Fiquei entusiasmado com seu perfil de produção de matérias com a mistura de jornalismo com história e valorização do popular, fiz então a solicitação de uma matéria nesta linha, como gostamos de conhecer melhor a vida e o trabalho, gostaria de ler uma sobre os trabalhadores do local: arrumadores, carregadores, além de outros como carroceiros e até mesmo da história do nosso "Calçadão".

Segue link do Blog do André e os links das três parte da matéria:

"O que é que o Mercadinho tem?"

"O que é que o Mercadinho tem?" (parte 1)
"O que é que o Mercadinho tem?" (parte 2)
"O que é que o Mercadinho tem?" (parte 3)

ORÇAMENTO DE FAZ DE CONTA

Quem pensa que ter um ex-auditor do TCE em seu quadro de assessores é sinônimo de organização e planejamento na gestão da coisa pública está redondamente enganado. A aprovação à olhos fechados da LOA 2010 - Lei Orçamentária Anual -, orçamento para 2010, pelos vereadores municipais demonstra o controle que o executivo tem do legislativo - que deveria fiscalizar.

O cúmulo do absurdo é que vereadores deixam registrados nos anais da câmara municipal, sua inoperância no cumprimento de suas atribuições como legisladores, sabemos que a grande maioria vota cegamente nas ordens do executivo, agora, a minoria se contentar com uma derrota lavando as mãos ai é demais.

Na coluna de um jornal da cidade há a informação de que o orçamento previsto para 300 milhões, metade desse valor previsto em determinadas rubricas podem ser alteradas pela boa vontade do gestor. Isso quer dizer: se faltar recursos na rubrica para pagamento de cargos em comissão, os recursos de rubricas como saneamento básico, empiçarramento de ruas, construção e reforma de praças podem ser remanejados para cobrir como é a principal prioridade do gestor.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

MAIS UMA AÇÃO MIDIÁTICA

Hoje (07/12) na escola conveniada (alugada) ao municipio, João Silva, o prefeito e toda a trupe do governo acompanhados por vereadores da região do grande Santa Rita realizaram a "cerimônia" de marcação de entrega dos fardamentos da unidade de ensino. Na ocasião foram escolhidos um aluno em cada classe que recebeu das mães do prefeito, acompanhado do lado de outros políticos que queriam agarrar alguma sobrinha da ação governamental, cuidadosamente gravado com aquele sorriso escancarado.

No discurso, com um tom de aviso, o prefeito afirmou que isso [entrega de farmanto] e o asfaltamento em alguns trechos de ruas do Centro é o resultado do pagamento do IPTU, o engraçado é que quando no período de campanha basta depositar o voto e tudo resolvido e agora é graças ao pagamento do IPTU pelo municipes.

Fico só imaginando, quais serão as novas formas de financiamento que ele buscará para que os imperatrizenses cumprão para que ele realize todas as promessas?

É continuar aguardando as mudaças, até agora só vi o mais do mesmo potencializado.

A IDEOLOGIA DOMINANTE

Todos concordam que a ideologia dominante é a ideologia da classe dominante. Então, podemos afirmar que a ideologia que os trabalhadores defendem é a ideologia dos patrões - o capitalismo - onde a grande parte do fruto do trabalho social é acumulada pelos proprietários dos meios de produção.

Partindo dessa constatação há uma pergunta que necessita de uma resposta urgente: o trabalhador conhece essa ideologia?

Só respondendo essa questão poderemos traçar estratégias para a revolução da classe trabalhadora. Um dos grandes equívocos - a meu ver - dos intelectuais e partidos de esquerda é achar que a classe que detém todas as condições de garantir o bem estar, a natureza e uma sociedade justa – a classe operária - está consciente de seu papel? Acredito que não! Não que ela seja intelectualmente inferior, mas pelo fato que em grande medida uma geração de trabalhadores só tiveram contato com um único meio de subsistência - a venda de sua força de trabalho – a cada dia negociada por um valor ainda mais irrisório frente às necessidades fundamentais de sua subsistência, além de outra grande parcela que aguarda no "estoque" - o lumpemproletário - até que esse mercado os chame.

Essa alienação dos trabalhadores pode se constatar em vários momentos. Quantas vezes em momentos de crises vemos os patrões reclamando que sua acumulação de capital - lucro - reduzido a patamares não aceitáveis para a manutenção da acumulação recorre como única saída encontrada a redução de direitos, salários e aumento da jornada de trabalho para os operários. Dentro dessa negociação há o papel fundamental dos sindicatos, que em sua grande maioria negociam para que os trabalhadores aceitem as soluções encontradas pelos patrões. Quando esses momentos de crises passam, nem os trabalhadores, nem os sindicatos muito menos os patrões restabelecem os direitos de antes da crise, e assim, cada vez mais temos uma classe mais "escravizada" às correntes ideológicas burguesas.

Os trabalhadores precisam se perguntar:

Só porque meu patrão é o proprietário dos meios de produção tenho que me submeter às suas condições?

O valor do trabalho produtivo desempenhado por mim é assim tão baixo que o proprietário do meio de produção só me repassa a quantia para me manter vivo, procriando e produzindo?

O Estado ao taxar com encargos sociais (empregados e empregadores) sobre o trabalho para financiamento de previdência e outros “benefícios” garante, verdadeiramente, esse retorno ao fim de minha vida produtiva?

sábado, 5 de dezembro de 2009

UM NOVO HOMEM É NECESSÁRIO

"O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém, desviamo-nos dele.
A cobiça envenenou a alma dos homens, levantou no mundo as muralhas do ódio e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios.

Criamos a época da produção veloz, mas nos sentimos enclausurados dentro dela.
A máquina, que produz em grande escala, tem provocado a escassez.

Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis.
Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.

Mais do que máquinas, precisamos de humanidade; mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura! Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo estará perdido."

(Charles Chaplin, em discurso proferido no final do filme O grande ditador.)

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

A DEMOCRACIA DO CAPITAL

Em Imperatriz virou tradição a “alternância” de poder na cadeira do Executivo Municipal no que diz respeito aos partidos políticos e seus representantes, o que não mudou é a percepção dos eleitores que apostam em candidatos que se apresentam como “novo”, “libertador”, “mudança”, mas na verdade só representam o continuísmo de um modo político baseado no apoio econômico do empresariado para que defendam seus interesses.

O pleito eleitoral disputado em 2008 mais uma vez prevaleceu a disputa do capital financeiro entre os candidatos, o volume de arregimentação durante a campanha: nas carreatas e passeatas era proporcional aos recursos financeiros advindos de Fundo Partidário, doações em dinheiro ou estimados de Pessoas Físicas e Jurídicas. Para os eleitores as propostas eram secundária no processo o que definia o voto em algum candidatos era o tamanho da passeata e carreatas, ou ainda, quantos percentuais estavam na frente nas pesquisas.

O processo “democrático” que tanto se orgulha a Justiça Eleitoral, só porque qualquer um “pode” participar - realmente qualquer um?! desde que tenha recursos ou a máquina nas mãos e bons advogados que os mantenham na disputa com recursos contra processos na própria justiça eleitoral, civil e criminal - mas omitem a informação que só quem pode ganhar são aqueles que detêm grandes recursos, muita das vezes de fonte ilícita.

O volume de recursos empregados na disputa para se chegar à cadeira do Executivo ou Legislativo Municipal demonstra verdadeiramente o que ganha uma eleição nesse modelo democrático entre outros como: uso da máquina pública, coação do funcionalismo, compra de voto etc.

O prefeito eleito de Imperatriz Sebastião Madeira/PSDB chegou em primeiro lugar não só nos votos 59.087, mas também nos recursos financeiros empregados que somaram R$2.363.277,30 obtendo o custo de R$40,00 para cada voto recebido. O segundo colocado Ildon Marques/PMDB com 38.441 votos investiu R$ 920.275,50 custando a ele R$23,94 cada voto. João Batista/PP em terceiro com 10.183 votos gastou R$ 97.680,00 ficando cada voto no valor de R$9,59. Em quarto lugar com 7.886 votos Jomar Fernandes/PT gastou R$305.015,00 custando cada voto o valor de R$38,68. Em quinto lugar com 500 votos Justino Filho/PTN que declarou gastos de R$1500,00 custando a ele cada voto o valor de R3,00.
Veja no quadro abaixo os doadores/valores da campanha do prefeito eleito:


(fonte: http://www.tse.gov.br/).

Claro que é o valor declarado à justiça eleitoral, mas pra quem viu o volume de campanha com carros de som, quantidade de carreatas, cabos eleitorais, material de campanha etc. Será que os valores batem com a realidade?
Não pára por ai, vejamos a tabela abaixo, que trás o custo de cada voto recebido pelos vereadores eleitos:

A renovação na Câmara Municipal foi de 69% e não foi maior devido o volume de recursos como mostra o quadro dos vereadores “vitalícios” para se manter em uma das cadeiras e dos novatos o ramo empresarial e “jornalístico assistencialista” se mostrou eficaz, mas o que parece exceção não é.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

ENIGMA DO PINCHE PRETO

Todos os trabalhadores que passam pelo Floriano Peixoto estão se perguntando o que seria aquela mistura de areia e óleo queimado espalhados à cinco centímetros como se fosse asfalto. Ao passar pelo trecho da obra da prefeitura as pernas das calças, partes de motos e carros ficam cheias desse material que por sorte não tem aderência alguma.

Moradores e transeuntes estão aguardando ansiosos o asfaltamento do trecho e não aquela celeuma que virou o local. A prefeitura tem que dar satisfações aos moradores em que fase a obra se encontra, pois ficam todos tentando desvendar esse enigma.


Enigma desvendado pelos criadores:

Caro Wilson,

O material a que você se refere é uma substância quimica necessária para que o local citado receba a tão esperada camada de asfalto. O transtorno, existe, mas é necessário e temporária. Pior seria deixar de lado o problema que já incomodava a população há pelo menos 20 anos, breve o local será pavimentado e o transtorno encerrado.

grato

Elson Araújo
Assessoria de Comunicação

Caro Elson,

Fica, então, uma sugestão para a Assessoria de Comunicação da prefeitura: assim como as empresas prestadoras de serviços públicos, Caema e Cemar, devem avisar de alguns contratempos aos seus usuários a prefeitura poderia aproveitar as altas cifras gastas com publicidade e avisar aos moradores e quem precisa trafegar pela via em obra esclarecendo que aquilo não é asfalto é o que dizem que seja.

Comunicação não faz mal a ninguém.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

HOMENS IMPERATRIZENSES PELO FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER


O Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Imperatriz em parceria com a Promotoria e leigos da Igreja católica realizarão no domingo próximo, dia 06 de Dezembro - Beira Rio, ato público com distribuição de panfletos e o símbolo da campanha: um laço branco que simboliza a mobilização dos homens no combate a violência contra a mulher.

Em todo o mundo mobilizações nesse dia 06/12 se repetirão e Imperatriz fará parte dessa mobilização que visa a conscientização da não violência contra a mulher.

Como surgiu a campanha?
No dia 6 de dezembro de 1989, um rapaz de 25 anos (Marc Lepine) invadiu uma sala de aula da Escola Politécnica, na cidade de Monteral, Canadá. Ele ordenou que os homens (aproximadamente 48) se retirassem da sala, permanecendo somente as mulheres. Gritando: “você são todas feministas!?”, esse homem começou a atirar enfurecidamente e assassinou 14 mulheres, à queima roupa. Em seguida, suicidou-se. O rapaz deixou uma carta na qual afirmava que havia feito aquilo porque não suportava a idéia de ver mulheres estudando engenharia, um curso tradicionalmente dirigido ao público masculino.

O crime mobilizou a opinião pública de todo o país, gerando amplo debate sobre as desigualdades entre homens e mulheres e a violência gerada por esse desequilíbrio social. Assim, um grupo de homens do Canadá decidiu se organizar para dizer que existem homens que cometem a violência contra a mulher, mas existem também aqueles que repudiam essa atitude. Eles elegeram o laço branco como símbolo e adotaram como lema: jamais cometer um ato violento contra as mulheres e não fechar os olhos frente a essa violência.

Lançaram, assim, a primeira Campanha do Laço Branco (White Ribbon Campaign): homens pelo fim da violência contra a mulher. Durante o primeiro ano da Campanha, foram distribuídos cerca de 100.000 laços entre os homens canadenses, principalmente entre os dias 25 de novembro e 6 de dezembro, semana que concentra um conjunto de ações e manifestações públicas em favor dos direitos das mulheres e pelo fim da violência. O dia 25 de novembro foi proclamado pelo Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (UNIFEM), órgão das Nações Unidas, como Dia Internacional de Erradicação da Violência contra a Mulher. O dia 6 de dezembro foi escolhido para que a morte daquelas mulheres (e o machismo que a gerou) não fosse esquecida.

Leia mais em: www.lacobrando.org.br

Convocamos todos os homens de bem de imperatriz para manifestar seu apoio à erradicação da violência contra a mulher

"CONDOMÍNIO" JUÇARA

Trafego diariamente pela rua Sergipe (da Bernardo Sayão à Dorgival Pinheiro de Sousa) - e por muitas outras ruas da periferia - me chama a atenção do zelo dispensado naquele bairro. Constantemente há equipes da Secretaria de Infraestrutura retirando lixo, serviço de capina, fazendo pinturas de calçadas.

Ao passar por outros bairros a coisa é bem diferente, há falhas na coleta de lixo pela prestadora de serviço LIMP FORTE, ruas cheias de mato e esgoto a céu aberto, os assessores de plantão justificarão: "a cidade é muito grande e a prefeitura ainda não chegou nesses bairros, mas há projeto pra recuperar o local", mesma justificativa dada as emissoras que dão uma prensa só pra que a prefeitura lembre de que tem que manter eles calados com fartos recursos para propaganda, mas os bairros em questão não é nenhum afastado do perímetro do centro não! São aquelas ruas transversais que ficam pelas de principal fluxo, principalmente pela Nova Imperatriz.

Todos sabem que esse primeiro ano da gestão o prefeito terá que acelerar o passo para que os munícipes reconheçam o trabalho, e assim, poder tentar transferir os votos aos seus “ungidos” pelo poder da máquina pública. Pois passado o período eleitoral que é o principal objetivo o povo vai começar a cobrar as promessas de campanhas: hospitais, escolas etc.

Será que o prefeito para conseguir dinheiro pra realizar as obras dará continuidade na estratégia de arrecadação de impostos que esse ano tem uma característica de “terroristas”, em que 2010 será o ano da “execução”?

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

TRECHO DO DOCUMENTÁRIO "TRIBUNA DO GUETO"

video

O documentário propõe atuar como uma verdadeira tribuna popular, permitindo que a própria periferia fale sobre si, visto que as representações que se tem hoje sobre essas comunidades surgiram a partir de análises preconceituosas e sensacionalistas.
Nessa perspectiva, o documentário permitirá que a periferia possa, além de opinar sobre as causas da violência, também, demonstrar à sociedade que nas periferias residem pessoas que são historicamente excluídas de quase tudo que se configura como essencial para o desenvolvimento humano.

Autor e Diretor: Antonio Carlos Pinheiro

Direção e Fotografia: Alexandre Almeida 99 8129-6607

sábado, 21 de novembro de 2009

Atuação do PSOL nas eleições de 2010

Tendo vivido a experiência da participação direta na “disputa” eleitoral nos anos de 2006 e 2008 e a aproximação do pleito de 2010 no qual temos a tarefa de mais uma vez propagar propostas mais definidas para tirar nosso maranhão do atraso continuar na defesa ideológica da alternativa socialista à classe trabalhadora.
Tenho refletido muito na forma que precisaríamos ocupar este espaço, que será de aproximadamente 1min e 45 segundos, mas que nos traga um saldo positivo no que diz respeito ao reconhecimento dos pares de nossa classe aos nomes que venham a cumprir este papel.
Identificar um tema foco, direcionado ao perfil dos nomes na disputa – aos cargos de senador, deputado federal e estadual -, se mostra a estratégia mais racional. Cada um focalizando num tema necessário de discussão aos maranhenses, extraído de um plano de PODER DA CLASSE TRABALHADORA AOS MARANHENSES e concentrados na figura do candidato maior da legenda, o Governador.
A aliança com o PSTU é de essencial importância, pois demonstrará uma maturidade do partido e a demonstração aos de esquerda autênticos, que por ventura estejam em siglas já abraçadas pelo capital, mas que pessoalmente não concordam com tal, desde que reconheçam que só se juntando àqueles que não acreditam no reformismo como a saída para os maranhenses.
Os militantes que possam vir defender alianças com partidos reconhecidamente de direita – como o PV e outras siglas nanicas moralmente – com o argumento que seria nossa saída do “isolamento” – para mim é pressa de pôr em prática seu desejo intimo de estar de braços dados ao poder de direita. Esse tipo saída não fará parte da defesa de partido que defendi até hoje.
Defendemos a idéias de uma discussão profunda em apresentarmos todos os nomes do partido nessa tarefa, para deixar claro aos militantes que é neste momento – o de construção – que mais o partido necessita da dedicação de seus filiados e que os frutos da dedicação dos mesmos sejam reconhecidos por todos.
Em Imperatriz vejo a repetição, mais uma vez, da omissão de valorosos militantes por questões familiares e/ou profissionais, como se no capitalismo um dia terão tal conforto, e quando este dia chegar terão um resultado eleitoral expressivo. Enquanto isso projetos pessoais se incorporam no seio do partido, como se aquele que vem com esse projeto fique após ver o resultado nas urnas.
A questão econômica deve ser nosso único obstáculo, mas com um planejamento dessa militância articulada superemo-lo para que tenhamos alcançado nosso objetivo maior – formarmos uma vanguarda de esquerda com a participação dos trabalhadores em todos os 217 municípios de nosso estado.
Wilson Leite
Trabalhador Assalariado
Presidente do PSOL de Imperatriz

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

MARANHÃO: O PRIMEIRO ESTADO DO NORDESTE

PRÉ-CANDIDATO À PRESIDENCIA PELO PSOL visita São Luís nesta segunda feira 16/11

São Luís foi a primeira capital a receber a visita do pré-candidato à Presidência da República, Plínio Arruda Sampaio (PSOL-SP). Plínio chega na madrugada desta segunda-feira, 16/11 e permanece por todo o dia na capital do estado.

Às 18h, no Sindicato dos Bancários, será realizada uma plenária com militantes do PSOL e dos movimentos sociais de esquerda, em que será debatido o Projeto Socialista para o Brasil, enfatizando os problemas e conseqüências da crise financeira que vem atingindo os setores da sociedade, bem como da classe trabalhadora na sua totalidade.

A visita de Plínio também marca o lançamento da pré-candidatura de Saulo Governador do Maranhão, a ser definido no próximo Encontro Estadual de 28 de novembro. O nome de Saulo tem sido discutido por diversos setores do PSOL-MA e conta com a pré-disposição do próprio camarada, o que é um fator significativamente determinante diante dos desafios de constituir-se um grande embate contra as investidas neoliberais dos grupos que projetam uma bipolarização tanto nacionalmente (PT/PMDB versus PSDB/DEM) como regionalmente (sarneístas do PV/PMDB/PTB/DEM versus balaios às avessas do PDT/PT/PPS/PSB/PC do B).

As candidaturas de Plínio Presidente e Saulo Governador representam uma busca pela aliança com movimentos sociais de esquerda ou mesmo uma tentativa de reaver a tessitura revolucionária dos movimentos sociais que têm sido cada vez mais desgastadas pelas facetas de unir-se ao que é melhor pra fugir do isolamento. O que alguns remetem a um isolamento pode ser entendido sim, como tentativa mínima de reanimação das frentes de rupturas cada vez mais travestidas em cooptações burguesas. A entrega de histórias e legados à lógica de vendagens de siglas proporciona cada vez mais a descrença e desânimo que muitos tem quanto ao papel da esquerda nos dias atuais. É diante disso que o resgate da coerência e da contra-proposta das condições estáticas da sociedade.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

BLOG CARLOS LOPES, MAIS UM CANAL DE DEBATES

Visitanto um blog que foi criado recentimente encontrei um comentário do colaborador para o debate, Manoel L. Parreão Filho comentando num dos post do blog de Carlos Lopes não resisti e participei do debate com uma pequena colaboração:
Tenho certeza de que você ainda não entendeu que não adianta tentar direcionar e comparar desenvolvimento econômico e social de paises(Cuba, Coréia do Norte etc) que tentam manter uma experiência de regime socialista tendo como referência centros que se submetem ao Imperialismo e à ordem de consumo para dizer que há miséria nesses referidos paises, lembre-se que o embargo é imposto pelos mesmos paises democráticos e ricos.

Você entra em contradição no ponto que defende o tal regime capitalista, justificar que é da natureza do homem causar o mal ao seu semelhante, e com isso, tirar das costas do capitalismo esse fardo. É exatamente ai, no ponto em que um sistema econômico força o ser humano a tomar atitudes de escravidão e exploração do seu semelhante - como bem coloca o texto de Carlos Lopes - que nos impulsiona contra esse sistema. Queremos um "novo homem" e para alcançar esse objetivo precisamos destruir a doença que o infecta - o capitalismo - tornando-o cada vez mais esse ser maldoso, violento, egoísta, corrupto, desigual e apreciador de guerras.

Não são os conhecedores da teoria Marxista ou os comunistas que propiciarão a mudança e a direção, muito menos extraterrestres - assim como você desse num comentário que o brasileiro não tem capacidade de gerir suas empresas -, Marx e Lenin já dizia e nós apenas procuramos conscientizar a única classe que pode implantar e manter o socialismo, a dos trabalhadores, que eles se organizem e tomem o poder da produção e da distribuição da riqueza produzida pela mais-valia.

Não perca seu tempo procurando o bem estar da população no modo de produção capitalista, isso é história da carochinha ou contos de fadas, assim como os políticos fazem suas promessas de progresso e redenção de uma cidade através de mágicas que nem mesmo eles acreditam.

Não é em nossa mudança de discurso, muito menos nos meios que utilizam que se justificarão os fins, mas sim numa tomada de consciência de classe que se encontrará a saída para essa barbárie que infelizmente só tende a crescer.

sábado, 31 de outubro de 2009

APAC INAUGURA ESCRITÓRIO EM IMPERATRIZ


A Associação de Proteção e Assistência aos Condenados-APAC de Imperatriz se prepara para inaugurar escritório da instituição na rua Leôncio Pires Dourado, 1098-B (Praça da Bíblia ao lado da rádio Missão FM), nesta quarta-feira dia 04/11 as 19:30 h.

A APAC já funciona há mais de 30 anos. Sendo criada em São José dos Campos, encontrou um terreno fértil no estado de Minas Gerais, onde é coordenada pelo Tribunal de Justiça do Estado através do Projeto "Novos Rumos na Execução Penal" e tem principal parceiro o governo do Estado e a sociedade civil. No referido estado a APAC está presente em mais de 250 municípios mineiros, sendo que há 20 anos inaugurou em Itaúna o primeiro presídio do mundo construído com a participação total da sociedade, e o primeiro do mundo que funciona sem a presença de polícia e onde o índice de reintegração social de presidiários alcança 91% de recuperados. Ou seja de cada 100 presos que cumprem pena nos CRS da APAC, 91 saem sem retornar. A metodologia APAC também é usada pela Prison Fellowship Internacional - PFI, uma Federação Mundial de Prisões, que atua em mais de 120 paises, que já aplica a metodologia em mais de 30 países. Vale lembrar ainda que a PFI é um órgão que mantém status categoria lll na Organização das Nações Unidas - ONU, para prevenção da criminalidade.

Em Imperatriz sobre a presidência do pastor Walmir Nogueira da Silva, a APAC vem se estruturando para fazer este belo trabalho. Para este evento ele conta com a participação de todos os Imperatrizenses, uma vez que a APAC é uma parceira da Justiça na recuperação do preso, no socorro a vítima, na promoção da Justiça e na proteção da sociedade.

Pr. Walmir Nogueira
Presidente da APAC

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

GUERRA DOS MUNDOS

Vender o "paraíso" escondendo o "inferno" é uma tática comum na propaganda e na política. Recentemente o Brasil foi escolhido como sede dos jogos olímpicos de 2016, que será no Rio de Janeiro, depois de uma bem elaborada peça publicitária que mostra as belezas da natureza, da fisionomia anatômica das cariocas, aterro do flamengo, das praticas de esportes (futebol) nas praias ou no campinho de várzea nas favelas gravadas nos intervalos de outra prática “esportiva” entre policiais e traficantes (tiro ao alvo).

Estive em 2007 no Rio de Janeiro e percebi o mesmo sentimento de banalização da violência - dada as especificidades e a devida proporção - que vemos aqui nas cidades da região nordeste. Lá o maior mal para os moradores não é o trafico de drogas nem o regime ditatorial dos traficantes, pois é vendido aos trabalhadores dessas comunidades uma "segurança" na qual o estado não se importou e, a figura do estado que entra fardado e o veiculo blindado apelidado de "caveirão" é mais temido do que o tráfico, pois os moradores sabem que ao saírem ficará na comunidade um rastro de cadáveres e sangue de seus moradores postos na condição habitantes de um mundo paralelo, que deve ser exterminado para que não invadam o mundo do asfalto.

A segregação social, econômica, geográfica e étnica que encontramos no Rio é uma conseqüência inerente do sistema de produção concentradora da riqueza produzida, somando se a isso, a uma política de estado que prioriza determinadas classes sociais mais elevadas, pois são elas que detêm as formas necessárias para a formação de opinião para a grande massa que muitas das vezes aceitam a justificativa de que os mesmos benefícios não chegaram ainda a eles devido a falta de dinheiro e não que eles serão as ultimas das prioridades desses governantes.

Há entre esses mundos um fator que os unifica, é a promiscuidade sexual, tanto faz nas favelas com os bailes Funks quanto no asfalto em boates do centro da cidade. Essa promiscuidade é conflitante, enquanto os meios de comunicação tentam criminalizar esses bailes Funk típicos do subúrbio carioca essa mesma promiscuidade promovida na alta sociedade carioca é tratada por outro prisma por esses mesmos meios de comunicação.

Quantas vezes não se viu em matérias jornalísticas, chacinas, arrastões, briga entre traficantes, combate entre policia e traficantes do morro – como se todos do morro fossem traficantes -, quantas vezes não se viu ter que pedir permissão aos ditadores do tráfico para que se adentre ao morro? Essas e outras situações demonstram o “buraco negro” que se tornou as grandes cidades.
As drogas é apenas um dos promotores dessa divisão de mundo e/ou sociedade, a falta de políticas públicas promovidas à classe trabalhadora criam zonas proibidas, sejam condomínios de luxo ou favelas urbanas, onde um ou o outro não pode “invadir” o espaço.

A sociedade precisa refletir sobre ela própria, observar que enquanto o discurso é de inclusão, seja social, digital, etc as práticas efetivas são de exclusão. Para os reacionários a justificativa estaria na teoria de Charles Darwin “Seleção Natural”, para mim, é a personalização estatal e capitalista do método de limpeza étnica promovida por Adolf Hitler.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

II CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE CULTURA

Iniciar um relato do que foi a conferencia do inicio ao fim é muito complicado, devido aos acontecimentos que finalizam o evento, plenária de aprovação das propostas e “escolha” de representantes. Mesmo assim vamos tentar relatar, mais ou menos, o que foi a conferencia.

A abertura foi realizada no teatro com uma apresentação prévia do grupo de capoeira N’golo à solenidade de abertura oficial. Já dentro do teatro superado alguns contratempos e/ou gafes os organizadores junto com a mestra de cerimônia Lilia Diniz conduziram bem as formalidades iniciais. Não fiquei para o “boca-livre” mais soube que foi muito bom, com a participação de artistas do OCUPARTE e outros que se apresentaram durante o coquetel promovido.

Na manhã de sábado, já na UFMA, o dia iniciou com um café da manhã com muita “fartura”, música ao vivo e o desfile de autoridades do município como o secretário de comunicação e o prefeito municipal. Após todos forrarem o estômago, seguimos a programação com as discussões nos grupos temáticos: Diversidade Cultural, Cultura e Cidadania, Cultura e desenvolvimento, Cultura e economia e Sistema de Gestão da Cultura.

O grupo do qual fiz parte – Sistema de Gestão da Cultura - indicou quatro propostas para o poder público municipal, duas para o estado e duas para a esfera federal; são elas:

Municipal:
- Vinculação compulsória do percentual de 5% das receitas próprias do município para financiamento da função de Cultura;
- Redução de 50% sobre a alíquota do ISSQN sobre a prestação de serviços referente a manifestações culturais especificados na lista de serviço do município;
- Criação de um pagina de internet da fundação cultural para divulgação de editais, relatórios e pareceres do conselho de cultura e prestação de contas do fundo municipal de cultura;
- Indicar aos vereadores que invistam no mínimo 0,5% anual dos repasses recebidos pela câmara municipal para serem gastos em despesas com promoção cultural.

Estadual:
- Criação de um instituto a fim de mapear todas as manifestações culturais do estado e incentivar pesquisas na área de cultura pelas instituições de ensino superior no estado;
- Elaboração de editais regionalizados, para atender todas as manifestações culturais do estado;

Federal:
- Garantir nos meios de comunicação nacional a vinculação – em horário nobre - de peças publicitárias divulgando as manifestações culturais de cada cidade do pais. Similar ao horário reservado aos partidos políticos.
- Criação de uma taxa única anual para os registros de direitos autorais;

Após o almoço servido nas dependências da Secretaria de Saúde os participantes foram para o auditório da secretaria para iniciar a provação das propostas pela plenária, foi ai que o negócio desandou, após duas horas de muitas indefinições e falta de gerência da mesa foi dado um intervalo para que todos acalmassem os ânimos. Foi uma tática sábia, após esse intervalo a votação fluiu dentro do esperado, com aprovação de boas propostas elaboradas pelos GT’s e outras – na minha avaliação – não muito boas para a classe da cultura, mas ótima para a gestão que terá o endosso da conferência para inchar a máquina pública com mais uma secretaria e tudo mais que vem com ela – em minha opinião essa será a única proposta a ser acatada pelo gestor municipal.

Passado essa fase chegou hora da vaca desconhecer o bezerro, a hora de escolha de representantes para a conferencia estadual e para o conselho municipal de cultura. Todos sabem que geralmente há mais candidatos do que vagas, mais a manobra de pessoas de má fé e experiente em se eleger, usou uma sugestão dos organizadores de indicação de delegados por seguimentos para justificar a exclusão do movimento OCUPARTE da disputa de uma vaga. Disputa essa que a meu ver não houve, ai é que está a manipulação.

No momento de divisão em seguimentos foi aprovado por todos, mesmo assim não se poderia vetar aqueles que resolvessem se organizar em separado, pois todos pensavam que os nomes iriam à disputa e/ou votação entre esses seguimentos, caso houvesse mais candidatos do que vagas, como houve. A plenária ingênua acatou a argumentação da delegada eleita por um grupo (seguimento) de 6 presentes e a mesa confirmou a exclusão do OCUPARTE que tinha 15 militantes reivindicando a possibilidade de irem à disputa e votação da plenária.

Mesmo que não aceitasse o agrupamento OCUPARTE, também não se justificaria o seguimento movimentos populares – enquadrando ai o OCUPARTE - com cerca de 30 pessoas terem direito de indicar apenas um nome enquanto que a pivô – já garantida como delegada – conseguiu seu único e exclusivo intento, a exclusão dos militantes do OCUPARTE, e o mais irônico de tudo isso, ela e sua “entidade de uma pessoa só” fez parte do movimento outrora.

Esquecendo tudo isso a conferência foi um sucesso em termos de discussões e propostas, caberá agora aos delegados e conselheiros eleitos fazerem jus aos cargos e buscarem junto ao poder público as soluções apontadas por cada participante da Conferência porque os militantes do OCUPARTE continuarão firmes com esse propósito.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

O MARANHÃO DOS "SIR NEY's"

O Maranhão dos Sarneys, desde os primeiros mandatos da oligarquia, sempre apresentaram o Maranhão para os próprios maranhenses quanto para o resto do Brasil como um Estado promissor, de potencialidades naturais e de seu povo. Basta ver o discurso do patriarca da família em sua posse de governador, na década de 60 aos maranhenses. Com discursos dignos de lordes britânicos Sarney colocava uma realidade idealizada por ele, até hoje, uma percepção de estado vinculado à vida pomposa de sua família.

“O Maranhão não suportava mais, nem queria o contraste de suas terras férteis, de seus vales úmidos, de seus babaçuais ondulantes, de suas fabulosas riquezas potenciais [...]”.

"Temos os nossos olhos nesta tarde do começo do governo voltado para aquela barragem de cimento que atravanca o Parnaíba e que nos acena como uma mensagem de progresso e que se chama Boa Esperança, o Parnaíba ‘domado’ para que o Piauí e o Maranhão possam transformar aquele castelo no deserto[...]. Temos as nossos palmeiras aqui plantadas pela natureza e no Maranhão está a maior reserva do mundo de gordura vegetal, dos 150 mil km2 cobertos de babaçu e que cada vez mais iremos exportar, valorizar, industrializar e mostrar ao Brasil que ele ao invés de problema uma grande solução para todos nós.”

Trecho do discurso de posse do então governador José Sarney em 1966, veja completo em MARANHÃO 66

Sarney viu na mídia (TV) uma ferramenta de manipulação de massas seu principal canal para hipnotizar àqueles limitados à informação produzida por ele e seus principais defensores. Durante seu mandato como presidente da república assinou sete concessões, uma delas para sua própria família no Maranhão, recebendo da emissora apoiadora da ditadura (GLOBO) o direito de ser a repetidora no Estado.

Nos dias de hoje, a representante da família Sarney, Roseana, e seus jornalistas vinculados à oligarquia em vários municípios do Estado, reproduzem a mesma visão que os sarneys querem “pintar”, basta ver as últimas propagandas institucionais vinculadas massivamente nas emissoras afiliadas à Mirante. Mais uma vez pregando um Maranhão de progresso “de volta ao trabalho”, usando empreendimentos privados como se fosse investimento estatal (SUZANO PAPEL E CELULOSE em Imperatriz, ACEARIA em Açailândia; UHE em Estreito, Expansão do Porto de Itaqui em são Luis, Refinaria PREMIUM I em Bacabeira).

No próprio discurso de posso Sarney retrata bem o Maranhão real - mais tais questionamentos serviam apenas como uma mudança de pontuação em seu discurso - e que eles e seus apoiadores, durante quadro décadas, ajudariam a manter:

 “...com a miséria, com a angustia, com a fome, com o desespero das puídas que não levam a lugar nenhum, senão, ao estágio que levam ao homem de carne e osso, é o bicho de carne e osso.”

"O maranhão não quer a miséria a fome e o analfabetismo, as mais altas taxas de mortalidade infantil de tuberculose, de malária, de xistossomose como o exercício do cotidiano."

"Como iremos abrir novas estradas? Como iremos formar nossos técnicos? Como iremos construir nossos portos? Como iremos industrializar o Maranhão e criar novos empregos? Como iremos mudar a face do Maranhão 100% pobre, quanto à habitação, vestuário e alimentação?”


Abrir os olhos, conhecer a realidade socioeconômica do nosso Estado e querer mudá-las, são os primeiros passos a serem dados nessa longa jornada, os meios advém através da educação e do investimento em ciência e tecnologia especificas para solucionar nossos problemas. Uma verdadeira revolução social deve ser apresentada aos maranhenses.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

ASSIM NÃO VALE!

As animosidades entre o PT e a mineradora VALE – que é acionista de fundos de pensão junto com o governo – nos últimos dias devido aos volumosos gastos com propaganda, Vale torrou R$ 178,8 milhões nos últimos 12 meses e que tem como prestador de serviço Nizan Guanaes, marqueteiro do PSDB, partido que doou a antiga Vale do Rio Doce á iniciativa privada. Por que não há Duda Mendonça? Assim a campanha de Dilma deslancharia mais rápido, mas não! Além de mostrar que a VALE vale mais do que quando foi comprada a preço de banana estragada, graças a FHC, deixa subliminarmente no ar a “eficiência” do PSDB e isso não é bom para 2010.

Laia matéria completa em: A publicidade da Vale azedou relação com o PT

NOVO BLOG: TRANSPARÊNCIA IMPERATRIZ

Com a falta de interesse do Governo Madeira em transparecer sua administração – mesmo sem corrupção – resolvemos criar um blog TRANSPARENCIA IMPERATRIZ com esse fim, para tanto, precisaremos da colaboração de internautas para conseguir informações extra-oficiais para alimentar o blog, claro que a prefeitura pode retificá-las apresentando documentos para tanto, dos gastos e da estrutura da prefeitura.

Prezando pela credibilidade dos dados utilizarei uma instituição formal - o PARTIDO SOCIALISMO E LIBERDADE, o qual sou presidente - para solicitar tais informações como valor de contratos de alugueis (carros e imóveis), enquanto não obtivermos esse documento oficial em mãos pedimos a colaboração de todos.

Assim veremos até onde vai a boa vontade do gestor em demonstra esse governo tão virtuoso.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

CASA DE FERREIRO, ESPETO DE PAU

Como nossos avós são sábios! O governo Madeira deveria fazer o contrário desse provérbio popular, pois se foram eles (FHC/PSDB) que criaram a LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal deveriam cumprir à risca, assim com outras leis que buscam dar transparência na administração pública. Aqui acolá topo com uma placa sinalizando “Obra Nº 024”, mais só serve mesmo como outdoor, pois não trás nenhuma informação útil aos munícipes como: valor empregado, tamanho, prazo de entrega nem se é executado pela própria prefeitura ou uma empresa ganhadora de licitação.

Para tornar o discurso “em meu governo não há espaço para corrupção” o Sr. Prefeito deveria disponibilizar todas as informações referentes a licitações, contratos, aluguéis, fornecedores no sitio da prefeitura, onde os cidadãos pudessem ter acesso de forma transparente do quanto e onde o dinheiro público é empregado.

Está ai então um desafio aos assessores, secretários, ouvidor, controlador e ao prefeito: tornar o sitio da prefeitura uma fonte de informação dos gastos públicos, deixando assim de ser um canal meramente de propaganda pessoal de secretários e do prefeito.

SALIMP: SENTIMENTOS DE FRUSTRAÇÃO E CONTRAVENÇÃO

Ao visitar o SALIMP nesta terça-feira, durante o horário de almoço, conversei com uma das expositoras e ela me falava sobre a frustração (19 mil reais pelo aluguel do stands) – dela e de outros - ao participar do evento, pois acostumada em participar de eventos desse porte em outros estados e o que leva a editora ou o expositor a participar são os incentivos dos governos estadual e municipal ao subsidiar a aquisição de livros pelos seus servidores.

Fui exclusivamente para adquirir os livros com os títulos: “Honoráveis Bandidos” e “O Coronelismo no Maranhão, de Vitório Freire a Sarney”, visitei todos os stands da editores que poderiam ter os livros, mas o que percebia no rosto e na voz dos vendedores era um misto de frustração e de contravenção, por ter perdido a venda e por se tratar de um livro censurado.

O mais incrível de tudo isso é o silencio de escritores (imortais) da academia Imperatrizense de letras de Imperatriz, algum argumento por parte de Agostinho Noleto não espero – pois é um dos que tem uma biografia também não muito plausível, mais os demais não poderiam aceitar tal censura.

Para não sair de lá com as mãos abanando, comprei quatro exemplares para presentear às minhas filhas incentivando-as na leitura. Aproveitarei minha ida à São Luis no dia 07/10 para adquirir um exemplar no lançamento - com noite de autógrafos - que ocorrerá na capital no dia 09/10, isso se não conseguir comprar aqui mesmo em Imperatriz, voltarei a garimpar as editoras que prometeram novos exemplares para quinta-feira.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

MANIPULAÇÃO DA MÍDIA

video

Para aqueles que subestima os trabalhadores vejam o depoimento de mulher, mãe e trabalhadora de nosso Brasil.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

VÍDEO EXPERIMENTAL

video

Me aventurei na produção de um vídeo, pense numa trabalheira que dá, mas pra ser o primeiro acho que ficou bom.

sábado, 10 de outubro de 2009

EXTRA, EXTRA, EXTRA! CENSURA NO SALIMP

Censura promovida pelo clã Sarney no VII SALIMP – Salão do Livro de Imperatriz de 2009, como o próprio porta voz da oligarquia William Marinho diz em seu blog: Estado apoia Salão do livro de Imperatriz logo não se admitiria o lançamento de um livro que conta a história suja do patriarca do clã sarney, José Sarney, escrito por uma autora de Imperatriz, Zulmira Maria Lopes de Almeida, fruto de uma pesquisa para monografia com o titulo: O CORONELISMO NO MARANHÃO de Vitorino Freire a José Sarney, que estava previsto seu lançamento no SALIMP.

O fato é que qualquer literatura que mostre o lado nefasto dos sarneys produzido sofrerá censura imediata, seja pelas vias legais, seja pelas mesquinharias de articulações tão bem elaboradas como essa que no abrir das cortinas foi vetado seu lançamento, sem a comunicação prévia à escritora.

Adquirir conhecimento através da leitura nunca foi o desejo de quem sempre esteve no poder, principalmente as pesquisas que revelam o lado obscuro de quem está no poder.

Precisamos adquirir está fonte de informação que explica grande parte da situação de pobreza e atraso que se encontra nosso estado, vou pedir pra reservar o meu, mesmo que a censura empeça essa publicação de chegar em minhas mãos, fonte de informação essencial para nos fortalecer na luta de combate a esta praga que assola nosso estado e a política brasileira.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

OCUPARTE, OS DESAFIOS CONTINUAM!

Desde o dia 10 de maio de 2008 nós, artistas de Imperatriz, ocupamos o prédio da Biblioteca Municipal abandonado pelo poder público há mais de cinco anos. Ocupamos, propomos e desenvolvemos ações imediatas de formação, fruição e intervenção cultural na cidade que passava por um momento de total abandono. Por lá passaram cerca de 80 estudantes diariamente, oficinas, palestras, espetáculos e, por último, a exposição Reflexão das Máscaras.
Com o acordo feito ano passado, cabia ao movimento desocupar o prédio e assim o fizemos por três vezes, sendo o prédio arrombado, danificado e nossos objetos de arte quebrados. Segundo o secretário de educação do município na época, o senhor Moab César Carvalho Costa, estava garantida a proteção do prédio, a perícia para o tombamento e o empenho em garantir espaço para os artistas desenvolverem suas atividades. O município, porém, nada fez a não ser quebrar parte do muro para lacrar o prédio e nos expulsar. Derrubamos o lacre feito de tijolos e que descumpria a sentença no quesito de proteção ao patrimônio.
Voltamos a ocupar em dezembro de 2008. De lá até agora é bem verdade que não tivemos as mesmas ações, entretanto, não saímos nem arredamos pé dos nossos princípios. O movimento continuou se encontrando e por diversas vezes discutiu com representantes da atual gestão para o cumprimento das responsabilidades que cabia a ambas as partes. Como resultado destes encontros e a boa vontade demonstrada por parte do município em cumprir o acordo, decidimos sair do prédio.
Saímos vitoriosos. Garantimos o tombamento do prédio e a certeza de termos contribuído um importante momento histórico do município.
Nossos próximos desafios são muitos. O primeiro é acompanhar e garantir que a lei seja cumprida, que os estudos sejam iniciados e o prédio recuperado e tombado. E pela grande importância, queremos e vamos lutar para que seja um espaço cultural que abrigue parte da história de Imperatriz. Quem sabe uma “Casa da memória”, um museu ou uma biblioteca especializada em arte.
Sabemos que existe por parte do atual Secretário de Educação a intenção de montar novamente a Biblioteca Municipal e nós não concordamos por ser um espaço pequeno à altura da cidade. Sabemos também que não existe outro prédio público que abrigue no momento o acervo existente de modo decente e não somos nós que privaremos a cidade de desfrutar do conhecimento! Provisoriamente pode ser a única saída., mas nós lutaremos pela construção de um prédio amplo e condizente com as necessidades da população imperatrizense.
Queremos não somente uma, mas várias bibliotecas, nos muitos bairros da cidade e inclusive nos povoados. Com o tombamento do espaço fica impossível a ampliação do prédio e isso não tem que ser visto como perda. A única perda é da nossa história se não zelarmos por ela e dela não abrimos mão!
Temos dois representantes do movimento cultural compondo a atual equipe da Fundação Cultural de Imperatriz e esperamos deles um olhar especial para as políticas públicas culturais do município e que, de fato, possamos avançar com produção cultural, formação, intercâmbio e o fomento.
Sabemos que não depende exclusivamente deles, entretanto estaremos atentos e não abriremos mão das críticas necessárias.
A Fundação Cultural, que na gestão anterior serviu apenas para abrigar um gestor desprovido de comprometimento com a classe artística, nunca fez algo relevante para a cidade. A ação mais concreta foi certamente o desmonte do conselho de cultura e a transferência de bens materiais para destinação desconhecida – instrumentos, estúdio de gravação sonora, materiais diversos utilizados em oficinas e a inércia perante o grande celeiro de produção cultural que é a cidade de Imperatriz.
Continuamos nossas lutas e ocuparemos outros espaços físicos e imaginários que se tornem necessários, se erramos por omissão no passado o presente nos cobra o dobro.
Não à escuridão da cidadania cultural. Viva a mobilização popular!

Movimento Ocuparte
DCE UEMA
CACOS – Centro Acadêmico de Comunicação Social - UFMA
CASA DAS ARTES