terça-feira, 30 de junho de 2015

LÓGICA PERVERSA: GARANTIA DOS LUCROS DO TRANSPORTE PÚBLICO

Recentemente foi aprovado uma Lei Municipal Projeto de Lei Ordinária nº 17, de 11.05.2015 que autoriza a prestação de serviço de transporte público ao táxi-lotação (compartilhamento do serviço de táxi), reivindicado pelos proprietários de táxis que realizavam essa categoria de transporte (lotação) há anos, bandeira assumida inclusive pelo Prefeito Madeira (que deve sancionar a lei) e outros parlamentares.

O serviço é visto pela população como uma alternativa ao péssimo serviço prestado pela empresa que monopoliza o serviço e usa desse monopólio para definir sua margem de lucro sem qualquer fiscalização do executivo municipal e pela câmara, que são verdadeiros empregados da empresa, enquanto a população paga um preço alto pela tarifa, tanto nos ônibus quanto nos táxi-lotação.

O resultado da aprovação do serviço de táxi-lotação que deve aumentar a disputa por quem vai “assaltar” (VBL ou taxistas-lotação) os passageiros que não têm saída.

Nesse dia 01/07 a empresa de transporte coletivo de Imperatriz, VBL (Viação Branca do Leste), deve aumentar não mais em R$0,20 o valor da tarifa, dessa vez o aumento será de R$0,70 centavos passando a custar R$3,40 e mantendo o nível de serviço conhecido pelos usuários. Fica claro que para manter os níveis de lucro da empresa, sendo que haverá uma redução de passageiros com a regulamentação dos taxistas lotação, quem vai na verdade pagar a conta será àqueles que dependem exclusivamente dos ônibus (estudantes, aposentados e trabalhadores que recebem vale-transporte).

Vale a pena fazer algumas observações para mostrar que a política municipal para a questão é de um verdadeiro “Pilatos”: Enquanto a prefeitura gasta dinheiro com peças publicitárias pedindo “paz no trânsito” para evitar acidentes e o crescente gasto na área da saúde com o atendimento de pessoas que vão ao sistema de saúde, a prefeitura com a não intervenção do aumento leva a cada dia mais pessoas a adquirem uma moto (segundo os dados são o maior número de veículos envolvidos em acidentes) na tentativa de economizar os já tão baixos salários.

Por outro lado, o gasto que a prefeitura tem na compra e no fornecimento de vale-transporte aos servidores que solicitam aumentará (a meu ver esse é um verdadeiro mercado paralelo, e que garante o lucro da empresa com dinheiro público). Ressaltamos que o aumento de R$0,70 foi um aumento exclusivamente para manter o lucro do empresário do setor com a concorrência dos táxis-lotação que na verdade não trará nenhum benefício para os usuários, a não ser o que ele passará menos tempo para ser “assaltado” com o valor do transporte.

Hoje, o trabalhador que usa o sistema de transporte público diariamente para ir e vir do trabalho durante 30 dias gastará no final do mês R$326,40 (96 passagens), ou seja, sendo um trabalhador que recebe um salário mínimo ele comprometerá 41,42% da renda. Há consórcios de motocicletas com parcela mensal a partir de R$100,00. Mesmo aqueles que têm o financiamento da empresa com o vale-transporte é muito mais vantajoso à empresa pagar um consórcio e garantir que seu empregado tenha uma moto do que usar o sistema público de transporte.

Com o aumento a tarifa de transporte coletivo em Imperatriz passará a ser mais caro que um litro de qualquer combustível: Gasolina comum R$3,310; Álcool R$2,599; e Diesel R$2,799 (Preços fornecidos pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Mas a lógica perversa dos lucros não ficará apenas no aumento da tarifa, também deve ser aplicado a de retirada em horários de pico de ônibus, fazendo com que, os que estiverem rodando, transporte cada vez mais passageiro, ou seja, menos gastos da empresa e mais passageiros sendo transportados nas latas de sardinhas que fazem parte da frota da empresa.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

OFICINA ARTE E POLÍTICA

Dentre as várias programações realizadas durante o movimento de greve na UFMA, garantindo assim a ocupação da mesma, amanhã 30/06, será realizada uma que tem tudo a ver com as mudanças necessárias na UFMA, seja na perspectiva do debate político, seja nas intervenções artísticas que tanto faz falta através de grafitagem, pinturas, etc. 

É para contribuir e armar os alunos numa visão crítica e do uso da arte visual através de charges que o professor e chargista, Nertan Silva coordenará a oficina: "Arte e Política: Reflexões sobre a estética de Karl Marx, Walter Benjamin e Ernest Fischer". O talento e a criatividade do professor já foi exposto aqui em nosso blog em outro post (para ver clique aqui)

A oficina será ministrada a partir das 16 horas no pátio central da UFMA centro nesta terça-feira. A participação é aberta a todos.

sábado, 20 de junho de 2015

TAMBORES ECOARAM NA UFMA

cartaz de convite para a noite de tambores na UFMA em ImperatrizNa noite de sexta-feira, 19/06, toda a UFMA foi tomada pelo som dos tambores com ritmos africanos na “Noite dos Tambores: valorização da Herança africana e combate ao preconceito religioso!”. O evento promovido pelo comando de greve da UFMA contou com a participação de representantes da religião de matriz africana: Tendas São Francis e Santa Barbara fizeram uma demonstração dos ritos nos terreiros de umbanda. Vale ressaltar que a principal forma de transmissão dessa tradição (cantos, ritos, vestuário, etc.) é via oralidade, Mãe Nenzinha abriu os trabalhos entoando os primeiros cânticos enquanto seus “filhos” rodopiavam e cantavam em torno da gira.

Há muito tempo os professores que pesquisam sobre o sincretismo religioso demonstravam interesse em trazer para dentro dos muros da universidade uma apresentação como essa, e o momento de mobilização de greve criou as condições ideais para isso.

Na maioria do tempo os espaços da UFMA os cristãos (católicos e evangélicos) dominam com louvores e cultos o espaço universitário, que deve ser ocupado por todos, independente de denominações religiosas, credos, etnias, etc. E foi com essa perspectiva que levou a organização do evento.

Apesar de ter sido uma ótima oportunidade para quem se diz um estudante/universitários vivenciassem a expressão de uma cultura diferente da qual estão acostumados de ver no cotidiano. Infelizmente, muitos bloqueados pelo preconceito, fanatismo e intolerância religiosa viu a apresentação como uma “profanação” do espaço que outrora era ocupado, majoritariamente, por eles.

O simbolismo da ocupação na noite de sexta-feira vai rondar por um bom tempo assim como o toar dos tambores nos ouvidos atentos do que prestigiaram as apresentações e também daqueles que tentaram a todo instante bloqueá-los, sem êxito.

Em seu face o professor mestre em história, Salvador Tavares, escreve: "[...] O combate a intolerância religiosa, ao preconceito e racismo faz parte da missão de uma universidade comprometida com a sociedade. Respeitar e valorizar as comunidades tradicionais e seus conhecimentos também. Axé a todas e todos que estavam presentes.”


Com muito axé, saravá, e bênçãos dos orixás todos os presentes agradeceram pela disposição da presença e se despediram com o deseja de organizar uma nova apresentação.
Crédito das filmagens é de José Carlos e Carlos Lucena

terça-feira, 16 de junho de 2015

CAMPI DE IMPERATRIZ INICIA MOBILIZAÇÕES DA GREVE NACIONAL

Começa hoje as atividades de greve nos campi de Imperatriz com uma assembleia geral que deve reunir professores de todos os cursos, servidores administrativos e alunos para discutir a agenda de debates, formação e cultural durante todo o período de greve, além de montar comissões para garantir a ocupação da universidade com uma vasta programação de atividades (minicursos, palestras, aulas públicas, participação de movimentos populares e sociais).

A comissão pela Defesa da Universidade Pública que vinha se reunindo para debater MP’s 664 e 665 e PL 4330 está também voltada a ajudar a construir um espaço de greve que sirva para formação da categoria dos professores e o debate que afeta diretamente o futuro dos docentes no ensino superior que são as políticas governamentais que levam à privatização do ensino. Professor Mário Riquelme do curso de Licenciatura em Ciências Humanas é enfático em afirmar “o processo que vejo aqui no Brasil é o mesmo que levou a privatização das universidades federais no meu país, o Chile”.

Para dialogar com a comunidade Imperatrizense, o Professor Salvador Tavares concedeu entrevista hoje pela manhã ao radialista Arimatéia Jr.(áudio com a entrevista abaixo) e reforçou a importância que a UFMA como universidade pública têm com a sociedade e com os filhos e os trabalhadores que estão se preparando para contribuir com sua força de trabalho qualificado para a produção de riqueza de nossa região e do nosso país, além de dizer que Greve não é momento de cruzar os braços, mais sim de fazer com que a UFMA seja um espaço de formação crítica, e esse momento de greve são ímpares para isso.

Assista ao vídeo onde o professor Salvador Tavares faz alguns esclarecimentos sobre a mobilização dos professores, técnicos administrativos e alunos.

terça-feira, 9 de junho de 2015

MOVIMENTOS SOCIAIS DISCUTEM UNIVERSIDADE PÚBLICA E TERCEIRIZAÇÃO

Acontecerá nesta quarta-feira, 10/06 às 19h no auditório da Universidade Federal do Maranhão/campus Centro, um seminário promovido pela Comissão pela Defesa da Universidade Pública, formada por professores, administrativos e alunos da UFMA, juntamente com o Movimento de Comunidades Populares - MCP, da Pastoral Operária da Igreja Católica, Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras sem Terra - MST e Unidade Classista que debaterá principalmente os ataques promovidos pelo governo federal com os cortes que já chegam em R$9 bilhões de reais nas verbas da educação e as MPs 664 e 665 e ainda a PL 4330. Essa última afeta diretamente a universidade, pois abre brechas para a contratação por parte das Universidades Federais de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público-OCIP's, que significa, assumir a atividade meio e fim (gestão e ensino), ou seja privatização do ensino em todas as suas esferas (municipal, estadual e federal).

O convite para o seminário é aberto a sindicalistas, professores, alunos secundaristas, com a finalidade de criar uma grande mobilização a fim de barrar os ataque e defender o ensino público de qualidade e para todos. 


Segue o convite:

domingo, 7 de junho de 2015

PORQUE DEFLAGRAMOS A GREVE DOCENTE NA UFMA


Após a suspensão da greve docente de 2012, uma das maiores dos últimos tempos, o ANDES-Sindicato Nacional buscou negociar com o Governo Federal ao longo de 2013, porém não obteve resposta. Em 2014, foram várias reuniões com a Secretaria de Educação Superior (SeSu)/Ministério da Educação (MEC) para discutir nossa pauta de reivindicações, incluindo pontos conceituais sobre a carreira que defendemos e foi assinado um acordo em que o governo reconheceu a desestruturação da carreira dos docentes federais e apontou para a continuidade da sua discussão. 

Diante da iminência de greve, o ANDES-SN foi recebido no Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão, no dia 6 de maio de 2015, sem respostas concretas à pauta. Em reunião no dia 22 de maio de 2015, o Ministro da Educação, em exercício, Luiz Cláudio Costa afirmou não reconhecer o acordo assinado em 2014 e não ter nenhuma proposta efetiva para apresentar à pauta dos docentes federais, já protocolada desde março de 2014.

A deflagração da greve dos docentes das Instituições Federais de Ensino (IFE), no dia 28 de maio de 2015, consiste em uma resposta política à indignação que tomou conta da categoria, depois da interrupção das negociações por parte do governo. 

Juntamente com a dificuldade de negociação com setores oficiais, a conjuntura se mostra ainda mais prejudicial aos servidores da educação, quando se avalia os cortes determinados pelo governo federal em 2015 no orçamento geral e, mais agressivamente, no MEC. A insuficiência de recursos tem trazido enormes prejuízos para o desenvolvimento das atividades nas IFE, aprofundando a precarização das condições de trabalho, que se evidencia na falta de professores (as) e servidores técnico-administrativos - com acelerada terceirização das atividades - na interrupção e adiamento de obras, corte de materiais e equipamentos.

Sendo assim, além da defesa da universidade pública, gratuita e de qualidade, constam como pontos principais da pauta da categoria a garantia de autonomia das IFE, a reestruturação da carreira e a valorização salarial de ativos e aposentados. Sem condições para oferecer um serviço de qualidade à população e na iminência de fechamento do orçamento geral da União de 2016, no dia 20 de julho de 2015, docentes de todo o país recorreram à greve para reivindicar direitos básicos, retirados sem qualquer preocupação pelo Governo Federal.

Por tudo isso, a APRUMA – Seção Sindical alerta para as diversas tentativas de desmobilização da nossa categoria através do aparelho estatal e concla a comunidade universitária e o conjunto da sociedade a participar dessa luta, que é dos (as) professores (as) e daqueles (as) que desejam um país digno e uma educação pública, gratuita e de qualidade.

COMISSÃO LOCAL DE MOBILIZAÇÃO

quinta-feira, 4 de junho de 2015

DOIS GRANDES CONGRESSOS COMEÇARAM HOJE, 04/06

Começou hoje, 04/06, dois grandes congressos, o da CSP-CONLUTAS e o da ANEL, com a tarefa de discutir a organização da classe trabalhadora e da juventude brasileira.

O II Congresso Nacional da Central Sindical e Popular – Conlutas/CSP-CONLUTAS  vai de 04 até 07 desse mês e está acontecendo na cidade de Sumaré-SP. As tarefas atuais postas à CSP-CONLUTAS frente aos ataques contra classe trabalhadora como as MP’s 664 e 665, que retiram direitos históricos dos trabalhadores brasileiros e a investida dos patrões com a PL4330 que visa abrir os serviços públicos às terceirizações (em todas as atividades, meios ou fins) e a tentativa do governo em cobrar dos trabalhadores o pagamento da crise com arrocho salarial, aumento de impostos, inflação, aumento de juros para garantir lucros aos banqueiros e o pagamento da dívida, hoje transformada em dívida pública (antes se falava em dívida externa). Unificar, organizar e fomentar a luta da classe trabalhadora só pode ser feita com independência de classe, coisa que hoje só a CSP-CONLUTAS tem, e por isso vem sendo vista por muitos sindicatos combativos uma possibilidade de unidade.

Mesmo as centrais ainda vinculadas aos governos tendo grande influência na massa dos trabalhadores, com o aumento da situação de crise essa influência é posta em cheque ao ser questionado seu o papel conciliador, entre patrões/governos versus empregados, que eles vêm tendo ao longo dos anos.

O III Congresso Nacional dos Estudantes Livres – ANEL, filiada à CSP-CONLUTAS, acontece no campus da UNICAMP em Campinas-SP, também cumpre o papel de mostrar à juventude estudantil brasileira que as velhas instituições do ME que hoje servem de correia de transmissão dos governos não serve mais, e a ANEL se apresenta com uma alternativa que deve ser construída na luta dos jovens e dos trabalhadores em todo o Brasil.

A educação é uma das áreas mais afetados com a ajuste fiscal e orçamentário imposto pelo governo federal – foi até agora mais de 9 milhões na área – no inicio desse ano, com o aprofundamento da crise econômica patrocinada por um Estado que procura atender os interesses dos investidores internacionais através de pagamento de juros e a abertura dos serviços públicos por parte da iniciativa privada com pretendem com a PL4330.

A juventude da ANEL junto aos trabalhadores tem grandes tarefas como se posicionarem com os cortes nas áreas da educação e saúde, políticas públicas para minorias (negros e LGBT’s), contra a redução da maioridade penal e muitos outros temas que são colocados por uma congresso e um governo conservador. Lutas que a ANEL acredita que só a união da juventude e dos trabalhadores pode ser vencida, e essa luta é contra o capital, que possibilidade a composição conservadora e reacionária no poder.

Acompanhem os dias desses dois congressos via redes sociais (facebook) e pelos sites oficiais das entidades. E, não é perda de tempo aproveitar a oportunidade para fazer um chamado aos sindicatos combativos e aos estudantes de luta a construir essas duas entidades que tem lado, o lado dos trabalhadores e da juventude brasileira.

ASSISTA AO VIVO AO CONGRESSO DA CSP-CONLUTAS CLICANDO NO LINK ABAIXO: