terça-feira, 30 de junho de 2015

LÓGICA PERVERSA: GARANTIA DOS LUCROS DO TRANSPORTE PÚBLICO

Recentemente foi aprovado uma Lei Municipal Projeto de Lei Ordinária nº 17, de 11.05.2015 que autoriza a prestação de serviço de transporte público ao táxi-lotação (compartilhamento do serviço de táxi), reivindicado pelos proprietários de táxis que realizavam essa categoria de transporte (lotação) há anos, bandeira assumida inclusive pelo Prefeito Madeira (que deve sancionar a lei) e outros parlamentares.

O serviço é visto pela população como uma alternativa ao péssimo serviço prestado pela empresa que monopoliza o serviço e usa desse monopólio para definir sua margem de lucro sem qualquer fiscalização do executivo municipal e pela câmara, que são verdadeiros empregados da empresa, enquanto a população paga um preço alto pela tarifa, tanto nos ônibus quanto nos táxi-lotação.

O resultado da aprovação do serviço de táxi-lotação que deve aumentar a disputa por quem vai “assaltar” (VBL ou taxistas-lotação) os passageiros que não têm saída.

Nesse dia 01/07 a empresa de transporte coletivo de Imperatriz, VBL (Viação Branca do Leste), deve aumentar não mais em R$0,20 o valor da tarifa, dessa vez o aumento será de R$0,70 centavos passando a custar R$3,40 e mantendo o nível de serviço conhecido pelos usuários. Fica claro que para manter os níveis de lucro da empresa, sendo que haverá uma redução de passageiros com a regulamentação dos taxistas lotação, quem vai na verdade pagar a conta será àqueles que dependem exclusivamente dos ônibus (estudantes, aposentados e trabalhadores que recebem vale-transporte).

Vale a pena fazer algumas observações para mostrar que a política municipal para a questão é de um verdadeiro “Pilatos”: Enquanto a prefeitura gasta dinheiro com peças publicitárias pedindo “paz no trânsito” para evitar acidentes e o crescente gasto na área da saúde com o atendimento de pessoas que vão ao sistema de saúde, a prefeitura com a não intervenção do aumento leva a cada dia mais pessoas a adquirem uma moto (segundo os dados são o maior número de veículos envolvidos em acidentes) na tentativa de economizar os já tão baixos salários.

Por outro lado, o gasto que a prefeitura tem na compra e no fornecimento de vale-transporte aos servidores que solicitam aumentará (a meu ver esse é um verdadeiro mercado paralelo, e que garante o lucro da empresa com dinheiro público). Ressaltamos que o aumento de R$0,70 foi um aumento exclusivamente para manter o lucro do empresário do setor com a concorrência dos táxis-lotação que na verdade não trará nenhum benefício para os usuários, a não ser o que ele passará menos tempo para ser “assaltado” com o valor do transporte.

Hoje, o trabalhador que usa o sistema de transporte público diariamente para ir e vir do trabalho durante 30 dias gastará no final do mês R$326,40 (96 passagens), ou seja, sendo um trabalhador que recebe um salário mínimo ele comprometerá 41,42% da renda. Há consórcios de motocicletas com parcela mensal a partir de R$100,00. Mesmo aqueles que têm o financiamento da empresa com o vale-transporte é muito mais vantajoso à empresa pagar um consórcio e garantir que seu empregado tenha uma moto do que usar o sistema público de transporte.

Com o aumento a tarifa de transporte coletivo em Imperatriz passará a ser mais caro que um litro de qualquer combustível: Gasolina comum R$3,310; Álcool R$2,599; e Diesel R$2,799 (Preços fornecidos pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Mas a lógica perversa dos lucros não ficará apenas no aumento da tarifa, também deve ser aplicado a de retirada em horários de pico de ônibus, fazendo com que, os que estiverem rodando, transporte cada vez mais passageiro, ou seja, menos gastos da empresa e mais passageiros sendo transportados nas latas de sardinhas que fazem parte da frota da empresa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não veto comentário de ninguém, pois apenas os covardes se escondem por trás de um anonimato. Não seja você um.