quinta-feira, 18 de julho de 2013

OS EVANGELICOS E O COMUNISMO

Nós, os evangélicos, somos relapsos ao extremo - raríssimas exceções - no que tange ao envidamento de esforços com o fito de compreendermos os postulados fundamentais do marxismo-leninsmo clássico. Questões pontuais como modo de produção capitalista, mais-valia, luta de classes, ditadura do proletariado, dialética marxista, materialismo histórico, etc, sequer merecem um espaço para discussão e compreensão entre os seguidores de Cristo. Logo, o nosso sistema nos alijou dos meios e condições que nos facultariam um entendimento amplo, coerente e orgânico acerca do que é e o que prega a doutrina de Karl Marx. E por que tanta animosidade do tocante a essa teoria que, de pronto, nos leva a rejeitá-la, mesmo sem conhecê-la? Muito simples: fomos e somos ensinados assim nas nossas igrejas. E por que as igrejas agem assim? Por quatro motivos.

PRIMEIRO. Os comunista respaldados em Marx e outros pensadores adotam a matéria como a realidade mais básica, infinitesimal, de natureza (daí o materialismo) / em confronto com a ideia do espírito. Isto contrapõe-se ao que é pregado nos templos.

SEGUNDO.  Os comunistas entendem que a religião é uma criação do homem e funciona a serviço da classe burguesa para dominar as massas. Logo, no estágio final da sociedade (o comunismo) não haverá religião. Este é outro pomo de discórdia entre nós e os marxistas.                      

TERCEIRO. Os comunistas, no imaginário popular, estão sempre associados à ditadura monstruosa de Josef Stálin, na União Soviética. Stálin tendo rompido com os princípios da Revolução de 1917, institucionalizou os expurgos, o degredo forçado, o genocídio, o terror psicológico, a sistemática perseguição à religião e outras tantas barbáries. Nossos pastores, porém, omitem os fatos e seus desdobramentos. Eles deveriam dizer para os fiéis que tal hecatombe stalinista - que inspirou Mao, Pol Pot, Samora Machel e tantos outros monstros sanguinários - nada tem a ver com o projeto de emancipação da classe trabalhadora pregado por Marx e Engels. O Stalinismo fez suas loucuras, e há de ser que todos os comunistas marxistas-leninistas têm de ser execrados por isso? Em absoluto. Nossos irmãos evangélicos precisam saber disso com premente urgência.

QUARTO. Os comunistas revolucionários levam a pecha de serem terroristas, antissociais, inimigos de Deus... Tudo como parte ideológica de um planejamento estratégico norte americano.  Os EUA fizeram um esforço assaz gigante para demonizar e alastrar uma visão fantasmagórica acerca dos comunistas. Sendo um país hegemônico, copiado e imitado em tudo, não admira, pois, que a visão que o acidente e as igrejas têm dos comunistas seja a mesma que os EUA plantaram.

Destarte, se nós, evangélicos, não ficarmos atentos, surpreendentemente, seremos achados fazendo o jogo sujo de Barac Obama e dos “vietcongues”. Valha-nos Deus!

por Alcino Vilarins, militante do PCB/ITZ

3 comentários:

// ]]>
  1. Faltou ele dizer que Marx era ocultista!

    E que o Comunismo é contra o modelo de família biblico! No Comunismo o Estado cria e educa as crianças!

    ResponderExcluir
  2. Eu sou teu adversario19 julho, 2013

    Comunista safado e desonesto,esqueça Deuse vá cozinhar o s teu feijão nas brasas do inferno.Eu sou teu adversario

    ResponderExcluir
  3. veja seu email

    ResponderExcluir

Não veto comentário de ninguém, pois apenas os covardes se escondem por trás de um anonimato. Não seja você um.