sexta-feira, 28 de junho de 2013

Valério Arcary: O Brasil vive uma onda conservadora?


Valério Arcary, dirigente do PSTU e intelectual marxista, fala sobre o caráter das manifestações que varrem o país e os desafios colocados para os trabalhadores, a juventude e à esquerda.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

ANONYMOUS - A IDEIA ORIGINAL, VALE A PENA ASSISTIR

Entender bem o movimento e como as ideias são distorcidas pelas mídias e pela burguesia a seu favor.

CSP-CONLUTAS APOIA AS MOBILIZAÇÕES POPULARES EM IMPERATRIZ, LEIA NOTA


NOTA DE SOLIDARIEDADE ÀS MOBILIZAÇÕES POPULARES POR QUALIDADE DO TRANSPORTE PÚBLICO EM IMPERATRIZ

A Central Sindical e Popular Conlutas – CSP-CONLUTAS vem através desta deixar nossa solidariedade à população de Imperatriz que se mobiliza nas ruas para exigir do governo SEBASTIÃO MADEIRA/PSDB a garantia de um serviço de transporte público de qualidade, pontualidade e preço justo e entende que isso só pode ser alcançado com a municipalização dos serviços, pondo fim aos mais de 30 anos de concessão privada do serviço que se mostra alheia aos apelos por qualidade.

Temos plena clareza que esse não é o único problema colocado pelos manifestantes e pelos trabalhadores, principalmente da periferia e dos jovens e idosos. Esse governo vem massacrando os servidores da educação e saúde com baixo reajuste de seus salários, péssimas condições de trabalho e assédio moral. Além de vários outros casos que demonstram o papel ditatorial desse governo ao tentar impedir que a defensoria pública do município fiscalize os postos de saúde do município para poder agir contra o descaso, querendo impor uma – “PECquinha 37” com a anuência e omissão da câmara municipal, onde o prefeito tem maioria esmagadora.

Acreditamos que só a população nas ruas fortalecidas com seus sindicatos, movimentos sociais, populares e partidos de esquerda se manifestando democraticamente têm o poder de forçar o atendimento às reivindicações do coletivo de Imperatriz. Dia 20 de junho foram 7 mil, a cada dia que esse governo não atenda as reivindicações devem ser mais nas ruas.

Imperatriz(MA), 24 de junho de 2013

domingo, 23 de junho de 2013

SITE DE TRANSPARÊNCIA DESMENTE O PRÓPRIO PREFEITO MADEIRA

Com as várias manifestações organizadas pelo movimento #ForaVBL e nas últimas que tiveram a adesão de vários movimentos populares que definiram como ponto de pauta principal a municipalização dos serviços de transporte público, ocorreu em Imperatriz a maior mobilização popular já vista na cidade. A manifestação realizada simultaneamente em várias cidades do Brasil com a pauta unificada nacional que discute o transporte público.

O ato do dia 20/06 forçou a gestão municipal a chamar o movimento para uma mesa de “negociação” para discutir as principais pautas de reivindicações:

-> Fim da concessão (contrato) com a VBL;
-> Criação de uma Empresa Municipal de Transporte Público;
-> Aumento imediato da Frota e das linhas para atender todos os bairros periféricos e zona rural;
-> Retorno imediato dos cobradores;
-> Nenhum aumento da tarifa por 2 anos.

Em nenhuma das pautas a gestão se mostrou disposta a atender e chegou a pedir mais prazo até dia 10/07 para dar uma posição. O que deu a certeza ao movimento que não será pelas vias legais muito menos pela gestão que os problemas do transporte público serão resolvidos.

A principal reivindicação – CRIAÇÃO DE UMA EMPRESA MUNICIPAL DE TRANSPORTE PÚBLICO – Madeira foi enfática: “não é compromisso nosso” (leia post de seu secretário de comunicação reafirmando a posição da gestão clicando aqui), afirmando que a privatização dos serviços continuará mesmo se romper com o contrato da VBL, com isso não se tem garantia de melhorias ou qualidade do serviço, pois a iniciativa privada tem como objetivo lucro e não prestar um serviço de qualidade.

Durante a dita reunião de “negociação” os representantes do movimento exigiram que a prefeitura apresentasse os custos que o município tem com a empresa no fornecimento de VALE TRANSPORTE aos servidores do município, Madeira disse que desconhece ou que não existe. Como se percebe o prefeito parece que não manda da gestão ou desconhece os documentos que assina autorizando despesa, e, mais ainda tenta ludibriar o movimento.

Pois bem Sr. Prefeito, veja a tabela abaixo dos empenhos com a VBL para fornecimento de VALE TRANSPORTE empenhados em várias secretarias, o que chama mais a atenção são os volumosos valores empenhados na SAÚDE e EDUCAÇÃO com recursos do SUS e FUNDEB, respectivamente.

ATENÇÃO! Quem quiser ver o detalhamento do empenho, abra a página de transparência(clicando aqui) primeiro, deixe-a aberta e depois clique no empenho, vai funcionar, vou estudar a solução definitiva. Valeu!

TABELAS DE EMPENHOS COM FORNECIMENTO DE VALE TRANSPORTE

EMPENHO
TIPO
FORNECEDOR
FONTE
VALOR R$
TOTAL EMPENHADO 2.223.410,80

FONTE: PORTAL DA TRANSPARÊNCIA DE IMPERATRIZ

OBS: clique nos empenhos e veja o histórico disponibilizado no site de transparência da gestão municipal.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

VITÓRIAS SÓ SE CONQUISTAM COM DIREÇÃO


Em decorrência da demanda popular apresentada na manifestação desta quinta-feira (20), com início na Praça de Fátima, haverá uma audiência hoje (21) às 14h30 no prédio da prefeitura para negociação referente ao transporte público municipal. Estarão presentes a Secretaria Municipal de Transportes, uma equipe técnica da prefeitura, a Polícia Rodoviária Federal, o Movimento Fora VBL e outros Movimentos Sociais.

A pauta levada pelos Movimentos Sociais será:


1. QUEBRA DO CONTRATO COM A VBL
2. AUMENTO IMEDIATO DA FROTA E DAS LINHAS MUNICIPAIS
3. RETORNO IMEDIATO DOS COBRADORES 
4. TARIFA
a. Não aumento da tarifa nos próximos 02 (dois) anos e negociação para a redução da atual tarifa cobrada
5. MUNICIPALIZAÇÃO DO TRANSPORTE
a. Destinação de recurso específico dentro do orçamento do PPA para a criação de uma empresa pública de transporte coletivo.
i. Não retirar de outros setores (educação, saúde, cultura).
b. 30% da arrecadação municipal destinada para o setor de transportes.
c. Os ônibus tem que ser emplacados em Imperatriz.
i. Retorno do IPVA para o município

Fonte: Juliana Carvalho

quinta-feira, 20 de junho de 2013

NOTA DOS PARTIDOS DE ESQUERDA SOBRE O ATO DE HOJE

NOTA OFICIAL


Milhares de pessoas no país se mobilizam contra a precarização do serviço público de transporte e em busca de melhorias em cada uma de suas cidades no que diz respeito à educação, saúde, lazer, cultura, etc. 
Na segunda maior cidade do Estado do Maranhão – sempre presente nas lutas –, os partidos políticos PCB, PSOL e PSTU, ouvindo o chamado para a rua, participarão na manifestação do dia 20 de junho.
Vimos por meio desta nota conjunta apresentar nosso posicionamento contrário a quaisquer atos de vandalismo e a quaisquer ameaças de agressões físicas e verbais dos manifestantes que fazem a opção de se organizar em partidos políticos.
Durante longos anos, brasileiros e brasileiras lutaram contra a ditadura militar em nosso país e conquistaram as liberdades de expressão e de organização, conquistas muito caras, que permitiram a formação de nossas organizações.
Respeitaremos as posições individuais no que diz respeito à escolha de não defender qualquer sigla partidária, mas exigimos o direito de nós, militantes, que compõem a sociedade civil organizada através de associações, sindicatos e movimentos populares a nos identificarmos publicamente também como filiados partidários. Impedir manifestantes de portar camisas, broches, bandeiras e panfletos ou expor sua opção partidária é um retrocesso na luta por uma sociedade mais justa.
Repudiamos, portanto, a ação do movimento denominado "apartidário", que nas redes sociais tem exaltado o vandalismo e a agressão aos ativistas. Defendemos que as mobilizações sejam pacíficas, que todos os jovens e trabalhadores possam participar democraticamente, para apresentar suas reivindicações, sem medo ou risco de serem agredidos. É com essa postura que os militantes dos partidos PCB, PSOL e PSTU se somarão às mais diversas correntes da sociedade, num único coro:
- IMPERATRIZ NA LUTA NACIONAL PELO TRANSPORTE PÚBLICO!
- #FORA VBL! TRANSPORTE PÚBLICO DE VERDADE!
- ABAIXO AS MÁFIAS DO TRANSPORTE PÚBLICO NO PAÍS!
- A JUVENTUDE ACORDOU! PASSE LIVRE JÁ!
- QUEREMOS UMA EMPRESA MUNICIPAL DE TRANSPORTES PÚBLICOS!

Assinam a nota:

PSTU de Imperatriz
PSOL de Imperatriz
PCB- Comissão Política de Imperatriz-MA

quarta-feira, 19 de junho de 2013

VEM PRA RUA IMPERATRIZ, OUÇA E COMPARTILHE A CHAMADA EM AÚDIO

Imperatriz vai às ruas democraticamente exiger dos governos transporte público de qualidade, mais verbas para a saúde, 10% do PIB para a educação, fim às privatizações: petróleo, aeroportos, portos, hospitais universitários, passe-livre a estudantes, desempregados etc.

Nem VBL e nenhuma outra empresa privada, municipalização do transporte público já.

Clique, baixe e distribua o audio do chamado que está para download abaixo do topo do blog ou clicando aqui


terça-feira, 18 de junho de 2013

O LUGAR DA PERIFERIA NA NOVA CONJUNTURA POLÍTICA QUE SE ABRE NO PAÍS

As consequências são ainda imensuráveis. O sudeste do país em convulsão social, os trabalhadores e a juventude aos milhares dão as mãos nas ruas. O aumento das passagens de ônibus foi apenas o estopim que fez explodir o tampão que comprimia as lutas socais em nosso país há mais ou menos duas décadas. 

Não tenho os dados, mas arriscaria dizer que esse processo em seu final terá como resultado não somente a redução do preço das passagens de ônibus, mas a diminuição dos conflitos intraperiféricos, o arrefecimento da guerra interna entre a juventude das periferias dos grandes centros urbanos. Toda a energia outrora descarregada em uma guerra autofágica ganha vazão nas ruas, na multidão pacifica, mas enfurecida contra o Estado-classe e isso pode se espalhar por todo o país.

A burguesia ver sua força espiritual questionada em multidões. Um dos seus principais materiais ideológicos, sua mídia comercial, está tendo sua autoridade moral abalada. E agora como defender a repressão se os seus jornalistas também estão na mira do “fogo amigo” do braço de ferro que tanto defendem? Jornalistas reacionários como Luiz Datena e Arnaldo Jabor esgotaram seus repertórios criminalizadores. O último teve que fazer autocrítica pública por ter afirmado que os atos de São Paulo eram coisas de jovens de classe média da USP.

A juventude periferia sai do noticiário policial para entrar no noticiário político, ainda que enfrentando a mesma polícia que os reprimem cotidianamente, já que os direitos humanos não entram nessas localidades. Aliás, onde o PT diz que existe uma classe média emergente, há na verdade o aprofundamento da barbárie capitalista e nela a juventude negra é esvaziada da condição de ser humano. Em Alagoas a possibilidade de um jovem negro ser assassinado é mil vezes maior do que um jovem branco. A função do mito da democracia racial é invisibilizar esse etnocídio. Mas, tal como no Brasil colonial, a humanidade desses jovens é resgatada na rebelião contra o sistema que os colocou nessa situação limite. De bandidos de alta periculosidade viraram baderneiros. Já é algum avanço.

A classe média que não pega ônibus se solidariza com a luta. Trabalhadores formais e informais se veem simplesmente como trabalhadores. O universo letrado e o plebeu das grandes metrópoles estabelecem entre si uma relação de confiança. É dessa solidariedade que a periferia precisa, aquela forjada na luta e não no assistencialismo do Terceiro Setor que educa o povo a não lutar. Nessas lutas, a periferia pode aprender que transformar o lixo da burguesia em luxo é ilusório, socializar o luxo é mais que necessário. 

O inimigo de classe está ficando mais visível, já não precisamos de lupa para enxergá-los. Não tenho dúvidas que novas lideranças, novas canções e novas consciências serão forjadas nessas lutas. Sinto que uma nova situação política pode nascer na periferia, desde que haja intervenção qualificada para isso. As condições estão dadas para que a periferia possa definitivamente encontrar o seu lugar, o da luta política pela superação do capitalismo.

Hertz Dias, professor, milintante do PSTU e CSP-CONLUTAS

FONTE: Blog do PSTU DE IMPERATRIZ

segunda-feira, 17 de junho de 2013

IMPERATRIZ NÃO É UMA ILHA E VAI ÀS RUAS DIA 20/06 COMO AS DEMAIS CIDADES BRASILEIRAS

Reunião organizada pelos estudantes do Movimento #FORAVBL, que encerrou agora a pouco no auditório da UFMA, mais de 21 entidades do movimento sociais, sindicais, partidários, estudantes e populares para definirem o ato do dia 20/06.

O ato terá como objetivo deixar nossa solidariedade aos atos ocorridos no sul e sudeste do Brasil e aos demais que estão se espalhando pelos estados da federação, além de nos incluirmos na onda de protestos por melhor qualidade do transporte público, 10% do PIB para a Educação Pública JÁ! Fim das privatizações do petróleo, portos, aeroportos, mais verbas para a saúde e menos aos banqueiros e empreiteiras etc.

O Movimento #ForaVBL que iniciou suas mobilizações pelo cancelamento do contrato de concessão pública da Viação Branca do Leste – VBL, agora toma um patamar das mobilizações nacionais por todas as demandas da classe trabalhadora com o ingresso mais efetivo das entidades que se dispõem em se mobilizarem para parar Imperatriz dia 20/06.

Fiquem atentos os chamados, preparem seus cartazes, coloque seu tênis e vá para a rua junto com os que lutam por uma sociedade e um transporte público de qualidade e barato. 

Só a luta muda a vida. 

sexta-feira, 14 de junho de 2013

BASE DO SINTECT/MA EM IMPERATRIZ PROMETE DERRUBAR A ATUAL DIREÇÃO DO SINDICATO

Aconteceu nesta semana uma assembleia dos trabalhadores dos correios, delegacia de Imperatriz, cuja finalidade entre outras estava a escolha de delegados para o congresso da categoria que se realizará esse ano. Além do congresso haverá também eleição para a nova diretoria a nível estadual, onde dessa vez há uma mobilização da base que culminou na formação de uma chapa de oposição à que tentará mais uma vez se manter na estrutura do sindicato, cujos membros servem de correia de transmissão do governo federal que vem precarizando os serviços dos CORREIOS e promovendo um verdadeiro massacre aos trabalhadores.

Vejam o relato dos ocorridos descrito por um dos membros da chapa de oposição:

“(...) Para nossa surpresa, ao chegar em Imperatriz fomos surpreendidos com a noticia de que a referida assembleia tinha tido seu endereço alterado para ser realizada em outro sindicato (SINDSAUDE) e que ao menos metade dos trabalhadores da cidade não sabia da assembleia. Passamos o dia todo conversando com os trabalhadores que pudemos, sendo impedidos de entrar, obviamente, nas unidades e nos preparar para a assembleia.
Ao final do dia nos encontrávamos no novo local da assembleia. Presidida pelo senhor Mariano, a assembleia prosseguiu da forma "mais cordial quanto possível". Inclusive, observamos com tristeza nosso observador (Wilson Leite) não associado sendo expulso do local pela alegação de que ele não podia ao menos olhar a assembleia (pois este não era dos Correios), foi lido o e-mail do companheiro Nilton Gatinho o qual gerou debate sobre os motivos de nossa preocupação quanto as deliberações ali a serem realizadas afetarem diretamente o processo eleitoral já que não encontramos edital em jornal com o texto das deliberações. Ânimos já um pouco mais exaltados, Mariano tentou justificar os erros cometidos pela diretoria (só tentou, por que conseguir com certeza não conseguiu) na chamada da assembleia, tentou convencer a todos que a eleição alí seria de chapa - chapa e não proporcional, negou-se a aceitar acordo que já permitiria que a companheira Vilanir (da atual diretoria e candidata deles para o CONREP) fosse automaticamente confirmada já que era um nome comum entre nós e eles, no limite da liberdade sindical chamou todos os chefes possíveis para votar em sua chapa (basicamente, votou no Mariano o Reven, o chefe do CDD, o chefe de agência, o chefe do TECA e alguns colegas atendentes) além de que, acompanhamos a tentativa frustrada deste em convencer os trabalhadores de que o melhor seria eleger quem já estava liberado pois seria menor custo ao sindicato. Os resultados foram todos negativos para o que presidia a reunião.

Foi iniciada a votação e após contagem dos votos exaustivamente a chapa apresentada e representativa dos companheiros da Renovação e Luta recebeu os votos de carteiros e motoristas presentes (em sua maioria obviamente) o que nos garantiu um placar final de 12 a 11 a nosso favor, a favor dos trabalhadores de base. Finalizada a eleição e com todos já lanchando e se dispersando Mariano então anuncia que o meu voto (Wilson Araújo) e de Remo Pimentel não seriam válidos, pois estamos licenciados devido a problemas médicos, o que alteraria o resultado da eleição para uma vitoria deles por 11 a 10. Por óbvio que em lugar algum de nosso estatuto existe a possibilidade de sermos vedados, pois estamos com todas as nossas obrigações estatutárias em dias, há parágrafos no estatuto que garantem nossa participação a vontade em qualquer instancia da eleição (candidato ou votante) e não concebemos outra justificativa para tal rompante alucinado do que o mais profundo desespero.”

Após a declaração da manobra promovida do Mariano Dias vi muitos trabalhadores até mesmo os que são próximos a ele demonstrarem indignação ao ocorrido: “se é pra ir pra votação o que perdeu tem que aceitar o resultado” disse um dos trabalhadores que votou na chapa da direção e que foi derrotada pela chapa de oposição. Outros trabalhadores com um sentimento de repulsa disse: “eu nunca participei ativamente pedindo voto numa eleição do sindicato, mas esse ano farei questão de ser uma cabo eleitoral da chapa de oposição, pois quero ver essa direção fora do nosso sindicato”.


Percebemos que a manobra teve um resultado contrário, ao invés de manter um membro que segue as ordens da direção como delegado ao congresso, Mariano Dias, conseguir diversos apoiadores à chapa de oposição a ele. Nós também nos colocamos à disposição dos trabalhadores da chapa de oposição para ajudar nos debates e na campanha diretamente. Sindicato é pra luta e não para defender os interesses do governo.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

JORNAL UNIFICADO CIRCULA HÁ 10 DIAS POR IMPERATRIZ

Há dez dias circula pela cidade a primeira edição do Jornal Unificado, fruto de um mês de debates e reuniões com os participantes do ato do 1ª de Maio - Dia dos Trabalhadores - realizado na Praça de Fátima em Imperatriz. O ato foi organizado e patrocinado pelas entidades de representação da classe trabalhadora de Imperatriz.

Há também uma versão online, um blog que transcreve todas as matérias contidas na versão impressa:


Hoje, 12/06, houve uma nova reunião para debater a nova edição do jornal, agora com uma participação mais efetiva de estudantes de jornalismo da UFMA, que buscará usar as técnicas jornalistica para levar o debates das entidades aos trabalhadores de Imperatriz, afim de tornar um veículo de massa.



TRABALHADORES RESGATAM O 1º DE MAIO EM IMPERATRIZ

Este jornal é fruto do ato unificado do 1º de Maio, que aconteceu este ano na Praça de Fátima.

Participaram do ato sindicatos, movimentos sociais e populares que lutam por uma vida melhor.

O ato e este jornal servem para juntar, unificar todos aqueles que não aceitam os desmandos dos patrões e dos governantes, e que acreditam num futuro melhor, onde os trabalhadores e trabalhadoras não serão mais explorados.




PSTU EXIBIU SEU PROGRAMA PARTIDÁRIO NESSA TERÇA(11/06), REVEJA

Programa semestral do PSTU - Exibido em rede nacional no dia 11/6/2013.


FONTE: CANAL DO PSTU NO YOUTUBE

terça-feira, 11 de junho de 2013

CYRO CONVIDA PARA O LANÇAMENTO DE SEU LIVRO HOJE EM IMPERATRIZ

O lançamento acontecerá logo mais no auditório da UFMA em Imperatriz, pela manha visita o programa  Rádio Alternativo do Arimateia Jr. e os estúdios do Jornal dos Municipios.

sábado, 8 de junho de 2013

LANÇAMENTO CONJUNTO EM IMPERATRIZ E SÃO LUÍS DO LIVRO DE CYRO GARCIA EM JUNHO

PSTU DO MARANHÃO fará lançamento conjunto em Imperatriz e São Luis, dias 11 e 12 de junho, respectivamente, do Livro de Cyro Garcia “PT: de Oposição à sustentação da ordem”.

O lançamento dá continuidade às discussões sobre os dez anos do PT no Governo Federal, com a pergunta: PRA QUEM ESTA ESTRELA BRILHOU?
 
 
-----
Cyro Garcia nasceu em 1954 e em 1978 formou-se em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Concluiu o mestrado em 2000 e o doutorado em 2008, ambos em História na Universidade Federal Fluminense (UFF). Foi fundador do PT e da CUT. Exerceu, entre 1992 e 1993, na condição de suplente, o mandato de deputado federal e em 1992 sua corrente, a Convergência Socialista, foi expulsa do PT. Participou em 1994 da fundação do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), integrando-lhe até os dias hoje. Em 2003 rompeu com a CUT e participou da fundação da Conlutas, atualmente CSP-Conlutas – Central Sindical e Popular.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

SEM MUITAS ESCOLHAS

Nasci numa família de trabalhadores como muitos de meus colegas de trabalho. Devido às dificuldades que meu pai tinha para nos criar, nós, os homens da família iam com ele servir de ajudante em pequenas construções pela cidade logo na juventude, não vemos isso como uma coisa errada, sabia da importância de ajudá-lo a pôr comida em casa, apesar disso sempre tivemos como prioridade os estudos, ele sabia que a vida de pedreiro é dura e pesada.

As oportunidades nessa vida não são muitas, apesar de dizerem que estudando aparecerão mais saídas que não exercer o ofício de peão que nosso pai nos ensinou, não foi bem assim.

À medida que o tempo passa, e estamos na escola cada dia percebemos que temos que escolher ou estudar, ou tentar com muito sacrifício conseguir realizar o trabalho na obra e ir para a escola à noite, depois de um dia escaldante e cansativo ao carregar sacos de cimentos, mexer massa, levar alvenaria, etc aos pés do pedreiro.

Ficou claro pra mim depois de tanto ouvir promessas de que temos futuro e, ao mesmo tempo o presente nos coloca como parte de uma sociedade – a que produz -, que serve por um período para atender os interesses de outra, os patrões. Facilmente, nos descartando quando não cumprimos mais a tarefa que interesse a eles.

Em tempos onde não falta obra para vender o suor do meu corpo e nossa força de trabalho, o pouco que recebemos por isso dá hoje para comprarmos algumas coisas para nossa família: fogão, geladeira, televisão, computador, celulares; claro, a prioridade principal ainda é a reforma ou construção de nosso “barraco” para sair do aluguel. Mas sabemos que esses tempos de muito emprego é raridade e não dura pra sempre, quase sempre até o momento de entrega da obra e se continuar tendo outras obras na cidade, caso contrário, a única saída é ficar vivendo de bicos ou ir para outras cidades aventurar trabalho.


Dizer tudo isso para um peão é afirmar nossa força para continuar lutando por uma vida melhor para nossos filhos juntamente com meus irmãos de obra. Essa sociedade pode até não nos dar muitas escolhas, mais uma delas temos que buscarmos nós mesmos se quisermos que realmente nossas vidas mudem, e mudem para melhor.