sexta-feira, 30 de novembro de 2012

CASO UILIENE: PROFESSORA FALA EM SEU FACE SOBRE A SINDICÂNCIA INTERNA DO SEU CASO.



No dia 28/11 a comissão interna de sindicância foi ao prédio da escola Guilherme Dourado, denunciada pela professora para fazer uma “vistoria” para confirmar as denuncias de precariedade do prédio da escola. A vistoria ocorre mais de um mês depois das denuncias e também após obras na estrutura. Mesmo justificando nos autos que seria uma vistoria técnica para constatar as denuncias a comissão não levou nenhum técnico de edificações ou engenheiro para dar um laudo sobre o que poderia [foi] realizado na estrutura, também não permitiu que a professor acompanhasse a comissão para apontar os pontos nos quais considera imprópria, depois de 15 minutos de debates a comissão permitiu ser acompanhado pelo seu representante Fábio Machado que aproveitou para registrar imagens com uma câmera fotográfica.

Após o corrido a professora publicou a seguinte mensagem em seu Face:

"GOSTARIA DE ALERTAR A TODOS SOBRE O CURSO QUE ESTÁ TOMANDO A SINDICÂNCIA ADMINISTRATIVA INSTAURADA PARA APURAR A DENUNCIA QUE FIZ DAS CONDIÇÕES INSALUBRES DA ESCOLA JÁ CONHECIDA POR TODOS.

A sindicância realizou ontem uma inspeção na escola. Sem a presença de um técnico em edificações ou engenheiro para fazer um laudo. Mesmo que eu tivesse conseguido um, ele não entraria por não ter sido intimada, da mesma forma que eu não pude entrar.

Depois de uma série de argumentações, que aconteceram na porta da escola, entre as partes, os membros da sindicância resistindo para que a visita acontecesse sem o técnico, o Defensor Público pedindo o cancelamento da inspeção, o máximo que conseguimos foi que o defensor entrasse com uma máquina fotográfica, cedida gentilmente por um companheiro de luta, o que considero válido, pois com toda a “maquiagem” ainda é possível detectar que o prédio não possui condições para comportar 500 alunos.

O Defensor solicitou uma nova inspeção com a presença de um técnico, que até o momento não sabemos se vai ser deferida...

TEMO QUE SEJA FORJADA UMA CERTA VERDADE! A VERDADE DE QUEM POSSUI A MÁQUINA ADMINISTRATIVA NAS MÃOS. PEÇO AJUDA!
NÃO DEIXEM MEU CASO CAIR NO ESQUECIMENTO!"

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

PRA QUÊ E O QUANTO VALE OS VEREADORES


Os conservadores acham que as pessoas que não têm vínculo empregatício formal ou que sobrevivem da venda de pequenos produtos artísticos em praças como os RIPPIE’S, possam ser chamados de vagabundos.

Recentemente encerrou-se o processo de eleição de representantes para a Câmara Municipal, os ditos “representantes” do povo, que tem como obrigação comparecer três dias por semana na câmara e esperar o depósito dos atuais R$6.000,00 no dia 20 (data mais comum para o pagamento dos vereadores). Nesses últimos meses nem a carga (estafante de trabalho) exigida como frequência estava sendo cumprida pela grande maioria, para montar a feira de negócios institucional que é a tal casa de leis mirim. Surpreendentemente nesta ultima sessão ouve um comparecimento maciço dos legisladores, cujo principal ponto de pauta era o aumento de 40% dos subsídios recebidos pelos representantes do povo pobre e miserável das periferias da cidade, pelo menos é assim que se apresentam nas campanhas eleitorais.

Todos sabem para que serve um cargo de vereador, é uma galinha dos ovos de ouro, onde a cloaca fica em cada um dos que votaram – vendendo ou não o voto - para que tenham os privilégios e os montantes que recebem para defenderem os interesses da verdadeira classe que esses representam, e andam longe dos interesses das comunidades aos quais vieram.

Um vereador vai passar a valer mensalmente – falando apenas em subsídios – R$10.000,00/mês, enquanto sua cidade, seu bairro, sua rua, seu futuro e de seus filhos ficam na dependência de quem está lá para legislar em favor próprio e de seus apadrinhados políticos, enquanto isso, o que sobra pra você? Salário de R$622,00 com carga horária de 44 horas semanais – quando é empregado -, vaga num programa de transferência de renda, bolsa família de R$80,00 por criança ou a esperança de que a promessa do tal vereador de seu bairro eleito lhe fez por um emprego, etc.

Infelizmente tenho que lhe informar de uma coisa, nesse sistema de representação dos ricos se seu “representante” lhe trair o remédio é esperar por quatro anos na esperança de surgir outro, provavelmente com o mesmo discurso, surgindo da mesma fonte querendo ser seu representante e assim recomeça o ciclo, onde a fonte de alimentação é sua capacidade de escolha e aceitação entre o ruim e o menos pior.

Texto escrito para o blog Só Pa Vê ITZ

terça-feira, 27 de novembro de 2012

MATÉRIA REQUENTADA, PRA BENEFICIAR A CURRIOLA

A internet é um acervo online onde aqui acolá agente topa com coisas curiosas.

Todos nós sabemos que os meios de comunicação têm o objetivo de beneficiar os mandatários ou os que detêm o poder econômico, é só mais uma componente da super estrutura do estado burguês. Pois bem, vejam o que acabei encontrando no site da Famem, segundo o site o Sr. Prefeito então candidato à reeleição teria inaugurado uma obra pública 09/09/2012, ou seja, durante o período de campanha eleitoral, fiquei surpreso, pois tal fato é proibido pela legislação eleitoral.

Pesquisei mais um pouco e encontrei outra fonte com a mesma matéria, desta vez com a data de 06/06/2010.



Como podemos notar, para reforçar um ato governamental o site que representa os municípios tentou dar uma ajudinha ao seu candidato requentando uma matéria de dois anos atrás. Outro erro grotesco encontrado semana passada por mim foi o nome do ex-prefeito (e dito adversário, Ildom Marques) acompanhando a foto do atual prefeito, uma gafe que não perdi a oportunidade de ironizar. 

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

PRESTAÇÕES DE CONTAS DESMASCARAM VOLUMES DE CAMPANHAS DOS RICOS

O QUE DEFINE NA PRÁTICA UMA (RE)ELEIÇÃO

Tem muitas pessoas alienadas que acham que os eleitores votam nos ricos porque eles tem as melhores promessas e não pelo volume de campanha e marketing que transformam a realidade nua e crua das periferias e do centro caótico da cidade em um “país das maravilhas” e ele um messias que salvará as almas moribundas da miséria da falta de qualificação profissional e falta de emprego. Vejam a disparidade nos gastos de campanha do candidato reeleito contra os demais candidatos, mesmos os do grupo das elites, - claro segundo o que foi declarado à justiça eleitoral –, além do uso da máquina pública com obras eleitoreiras. Materialmente é isso que comprova o resultado nas urnas, o resto é hipocrisia de quem compra votos e diz que faz o melhor governo de Imperatriz.
Jupiter Jupiter 1 0 2012-11-22T12:04:00Z 2012-11-22T12:04:00Z 1 59 323 Jupiter Internet 2 1 381 12.00

CANDIDATO/PARTIDO
VALOR DECLARADO NA PCE
Sebastião Madeira/PSDB
R$1.447.400,00
Rosangela Curado/DEM
R$   299.800,00
Carlinhos Amorim/PDT
R$   319.500,00
Adalberto Franklin/PT
R$     31.220,00
Francisco Melo/PSOL
R$     15.580,00
Justino Filho/PTC
R$     23.400,00
Kleber Miranda/PSB
R$     12.500,00
Wilson Leite/PSTU
R$       3.260,00
Aluizio Melo/PCB
R$     27.769,78*
FONTE: TSE 
*Valor das receitas foram lançadas no comitê financeiro do partido, cujos valores das receitas estão somados todos os 21 candidatos a vereador.


TRANSAÇÕES MASCARADAS AO CANDIDATO DO PSDB
Tentando omitir os doadores (investidores) da campanha do prefeito reeleito Sebastião Madeira/PSDB, uma das empresas que mais vem se beneficiando nessa gestão, através de incentivos fiscais e tributários (renuncia de receita por parte do ente público) a Suzano Papel e Celulose S/A fez doações totalizando R$268.000,00 à conta eleitoral do diretório do PSDB de Imperatriz e os valores foram repassados à conta do candidato como sendo doado pela direção municipal, uma manobra simplória para esconder a real fonte do investimento (doador) para o candidato da empresa. Outras empresas do ramo bancário, imobiliário e de engenharia que também fizeram doações usando esse modo-operante para tentar esconder o vinculo de sues investimentos na cidade e a gestão que os dá benefícios para maior lucratividade: ASPEB ADM. E AGENCIADORA DE BENEFICIOS LTDA - R$ 10.000,00; BANCO BM G SA - R$ 100.000,00; LAGES BIONERGETICA LTDA - R$ 50.000,00; LASTRO ENG. INCORPORAÇÕES E INDÚSTRIA LTDA - R$ 100.000,00; SAGA ENGENHARIA LTDA - R$ 200.000,00.

O CANDIDATO DO PT
A pesar de Adalberto Franklin ter passado durante toda a campanha dizendo que Imperatriz era uma das 100 cidades brasileiras dada como prioridade  eleitoral do partido, em toda sua campanha não recebeu um vintém das instancias de direção – estadual ou nacional – para ajudar na tarefa de defender em imperatriz o projeto do tal “crescimento da economia nacional”. Olha que é o partido que governa o Brasil para os banqueiros onde o dinheiro rola solto, basta lembrar a compra de apoio ao governo no caso do mensalão.

CANDIDATOS DAS ELITES E O DISCURSO DA MILITÂNCIA VOLUNTÁRIA
Observamos, inclusive em debates, que não tinha nenhum cabimento que pessoas que sobrevivem de sua força de trabalho não poderiam estar trabalhando de forma voluntária para os candidatos “ricos”, mais é justamente isso que comprova as prestações de contas, todas aquelas pessoas que fazem parte da comitiva de assessores e cabos eleitorais registraram uma média de R$400,00 a R$900,00 pelo voluntarismo de 90 dias de campanha. Lembro bem de um fotografo que registrava todos os compromissos da então candidata Rosângela Curado, ele foi 100% voluntário, nem si quer recebeu qualquer valor como ajuda de custo, conforme prestação de contas apresentada. No caso do candidato Carlinhos Amorim/PDT, as pessoas que saiam personalizadas (camiseta vermelha), em ônibus (não encontramos os ônibus na prestação de contas) pela manhã e só retornavam a noite, pelo voluntariado receberam em média de R$622,00 por todo o período de campanha. Agora imaginem se fossem pagos o que esses “voluntários” não fariam?

Bom, essa pincelada é só para mostrar como funciona o jogo de cartas marcadas com um titulo pomposo de democracia, aposto um pirulito que todas as “prestações de contas” desses candidatos serão aprovadas com louvor pela justiça eleitoral, que alias tem uma pessoa vendada como a que faz justiça, assim não verá a realidade do jogo econômico que ocorrem de dois em dois anos Brasil a fora.

domingo, 18 de novembro de 2012

PRIMEIRO DIA DO CURSO DE FORMAÇÃO POLÍTICA: INTRODUÇÃO À TEORIA DE MARX


Estudantes, simpatizantes e filiados a partidos políticos concluíram nesse primeiro dia (17/11) do curso de formação política: “classes sociais no capitalismo” a parte introdutória sobre como ocorre a divisão da sociedade em classe, sobre mercadoria , mercado e valor (teoria de Marx), através de discussão em grupos, exibição de filmes e exposição do educador Luiz Noleto.

No segundo dia haverá a dinâmica da “Fábrica” que é a demonstração prática de como o capital se apropria da riqueza produzida através do trabalho social. A dinâmica demonstrara que mesmo com todas as vantagens como vale transporte, plano de saúde, tickts etc fornecidos pelo proprietário da fábrica, esses “benefícios” andam longe de representar a verdadeira riqueza produzida pelos operários.

Ao fim do curso o educador pretende inovar no roteiro do curso para demarcar a posição das siglas partidárias dentro da pirâmide das classes sociais apresentadas por Marx. Demonstrando assim, que a divisão e a defesa dos projetos das classes sociais estão representadas também nos projetos de poder das siglas partidárias que representam as camadas que exploram a verdadeira classe que produz riqueza e que há um projeto de poder não só da burguesia, mas também dos partidos que vêem na classe operária a capacidade de acabar com o nível de exploração do estado capitalista. 

sábado, 10 de novembro de 2012

SUGESTÃO DE LIVRO: “CAATINGUEIROS E CAATINGA”, ESMERALDO LOPES


Há quinze dias recebi um exemplar do novo livro “CAATINGUEIROS E CAATINGA” do Sociólogo e professor baiano Esmeraldo Lopes. O conheci quando visitava seu irmão em Imperatriz. Tive o prazer de trocar algumas palavras, ou melhor, ouvi-lo, uma coisa que aprendi nessa minha curta vida é ouvir àqueles que têm algo a dizer e o professor Esmeraldo Lopes é uma daquelas poucas figuras humanas que têm algo a dizer, sim dizer e não repetir o que outros dizem.

“A obra não obedece a parâmetros acadêmicos nem sua condução esteve em algum momento preocupada com os formalismos "científicos" dessa "ciência" castrada que anda a fazer redemoinho pelo mundo. Foge disso por classificá-los como estéreis. É narração, descrição, análise e interpretação impregnada de impressões, costuradas e alimentadas com imaginação, pois não tratei apenas do que vi, ouvi ou deduzi, mas também do que percebi pelo caminho do sentimento, do que pode ter sido. Também não é uma obra literária. É outra coisa que não sei o que é. Tenho a certeza que ela também não é nada, porque embora a maioria das pessoas tenha a capacidade de fazer nada com remuneração e sem muito sacrifício ou sacrifício nenhum, e ao mesmo tempo pegam o nada feito para apresentálo como feito grande, eu fiz este feito com muito sacrifício e tenho certeza que ele é alguma coisa. E a coisa, feita exclusivamente à custa de minhas disponibilidades financeiras e materiais, de cortes em minha própria carne, do roubo do meu tempo de descanso, do meu tempo de ócio, do meu tempo para conversar coisas sérias e besteiras, para beber cerveja e para o mais que pudesse ter sido. Inclua-se aqui também o tempo que pedi emprestado aos caatingueiros que me concederam entrevistas, dispuseram-se a jogar conversa fora, acataram a solicitação ou se ofereceram para caminhar pelos chãos de seus lugares mostrando as coisas, respondendo perguntas, aturando minhas inconveniências e que me receberam ou me agasalharam em suas casas.”(Esmeraldo Lopes, Caatingueiros e Caatinga: a agonia de uma cultural, página 6).

Biografia  retirada de seu Site Esmeraldo Lopes:

Esmeraldo Lopes, Curaçá - BA -,1954. Bacharelado: Ciências Políticas e Sociais, pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (1977 a 1981); mestrado em Sociologia pela UFPE (2004). Escrevi "Vozes do Mato", 1992;, "Opara - Formação Histórica e Social do Submédio São Francisco" 1997; "Caminhos de Curaçá", 2000; "Até Aonde a Memória Alcança: um estudo sobre caatingueiros e beiradeiros no submédio do Vale do São Francisco", dissertação de mestrado, 2004.

Sou professor e com essa atividade ganho a vida, mas não estimo a categoria, pois acho que entre todos aqueles que ocupam o espaço de professor, 90% não o são, apenas têm emprego como professor. Embora goste da minha formação, fico triste em ver tantos pedantes, cujo único fim é se darem bem na vida, usando o título de sociólogo. Para mim o sociólogo é, antes e acima de tudo, um profissional-militante, e aqueles que fazem da sociologia um espaço puramente profissional cheiram a mercenarismo.

Ética profissional: uma expressão utilizada para proteger safadeza e vagabundagem.

Sou da Bahia, mas não sou baiano. Fumo, bebo e não tenho medo de ter preconceito, pois acho que só não tem preconceito quem não é humano; não tenho medo de julgar e, embora não goste dos julgamentos dos outros, acho que os outros têm direito a julgamento. Se lamento pelas merdas que já fiz, lamento ainda mais pelas que ainda farei.

Participei, como base, da fundação do PT e hoje odeio esse partido, principalmente o analfabeto sem dedo, por encarnar a traição de um sonho.

Não sou candidato a ser politicamente correto e acho que os defensores dessa posição, em verdade, não são mais que um bando de covardes e irresponsáveis que têm medo de se expor. Para mim, os discursos das chamadas minorias,tais quais estão postos, sejam elas sexuais, raciais, religiosas, etc., são declarações de ressentimento e incapacidade. Bem olhado, o sonho que se camuflam nesses discursos é o da aniquilação das diferenças.

Para mim só os loucos, as crianças, os imbecis e os otários são capazes da felicidade.

Vida: delírio que preenche o espaço entre o nascimento e a morte.

Nascemos só, vivemos só, morreremos só. A condição humana é a solidão.

Os rótulos que já me deram e que tomei conhecimento: radical, tarado, doido, inconsequente, inconveniente... Resolvi, então, me oferecer um rótulo mais simpático: anarquista reacionário e sem causa.

Sobre Caatinga e Caatingueiros - Parte 3/6

FONTE: Esmeraldo Lopes

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

POR ISAC SANTOS: A CLAREZA DO COMANDO


A história dos conflitos armados ou da disputa do poder político têm revelado notabilíssimos estrategistas, assim como valorosos militantes, que unidos uns aos outros foram decisivos para o sucesso de revoluções, de tomadas de poder mundo à fora, a exemplo temos a revolução russa com Lênin, a revolução chinesa e mais recentemente a cubana com Che e Fidel, atualmente existem generais e soldados de igual teor e determinação dados às compensações do tempo.

 Hoje há dirigentes competentes para engendrarem estratégias vitoriosas de igual modo há militantes ou soldados capazes de se concatenarem a essas estratégias para realizarem os objetivos táticos de maneira precisa, de modo que ambos como um conjunto compacto e com estreitas relações de propósito podem conduzir um exercito a vitória, entretanto, além da competência e coordenação de comandantes e comandados o que é preciso levar em conta para se chegar a vitória?

Dentro de uma análise prévia: coragem, bravura e força a grosso modo são as exigências mais eminentes para um soldado, inteligência, conhecimento e sensibilidade são as necessidades inevitáveis de um general e por sua vez os elementos que satisfazem uma vitória, porém numa avaliação meticulosa as qualidades acima enumeradas mostram se necessárias, mas insuficientes na medida em que se encontram desarticuladas, a bravura de um leão morto de nada vale, a força aplicada em uma grande área é facilmente dissipada, bem como o conhecimento sem aplicação se torna ineficaz, portanto, tanto o general quanto o militante são apenas contingentes neste contexto. Planejamento, execução e compreensão de quem planeja e quem executa são os outros elementos  que compõe a vitória, o  soldado só é soldado quando se compreende como tal, um militante até pode pensar como   um general, nada excluir essa possibilidade ao contrario deve ser incentivado, porem o que é inaceitável de um subordinado é agir como um general e a razão mais explicita para tal proibição se encontra no fato dele ser o executo tático  e portanto a parte mais vital da estratégia, não se trata aqui de elimina a ascensão, o esforço individual, na verdade todo dirigente por via de regra  tem que ser um soldado. Ao general cabem as mesmas conclusões dado algumas variações, de maneira análoga a um soldado o general não pode assumi as funções de um soldado, pois deixaria vago o comando e conseqüentemente a estratégia, logo há três partes reconhecidamente importantes que constituem uma vitoria: a estratégia, a tática e finalmente a junção destas duas ultimas, que é a chave da compreensão da vitória na medida em que superiores e subordinados tem a noção exata de seus deveres, de seus poderes e limitações.

ISAC SANTOS, universitário da UEMA, servidor público e militante do PSTU de Imperatriz.

ACE: SINDICATO DOS METALÚRGICOS DO ABC, PATROCINA ATAQUES AOS TRABLAHADORES

Sindicatos pelegos é assim, defende os interesses dos patrões quando os governos não querem assumir o acordo feito para suas eleições. Não ao ACE! 

Clique na imagem para ampliar

Panfleto informativo produzido pela CSP CONLUTAS

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

PSTU DE IMPERATRIZ REALIZARÁ CURSO DE FORMAÇÃO POLÍTICA


A direção municipal do PSTU de Imperatriz confirma a realização do curso de formação política: CLASSES SOCIAIS NO CAPITALISMO. O curso terá uma duração de 16hs (sábado e domingo), emissão de certificado, material impresso e lanche aos participantes. Faltando definir apenas o local mas as reservas já podem ser feitas, ou confirmando com a efetivação da taxa, que pode ser efetivada via depósito na AG: 3151 OP: 13 C/P: 3024-6 beneficiário: Francisco Wilson Leite da Silva.

Os dados Nome, CPF (para emissão do certificado), telefone de contato para confirmação e/ou reserva podem ser feitos via blog da direção ou enviando através de email informado no cartaz.


Os responsáveis por ministrar o curso serão Eloy Natan, economista, sindicalista e Bancário; Noleto Chaves, servidor estadual e economista.

Aguardamos contato de todos para mais informações.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

ELEIÇÕES "DEMOCRATICAS" NUM PAÍS IMPERIALISTA


Em todos os anos de eleições nos Estados Unidos vemos as emissoras de TV brasileiras fazendo a cobertura com estrema empolgação, demonstrando a disputa pelo voto dos indecisos entre Democratas e Republicanos. Mas num país rico como os EUA só existem dois partidos que se revezam no poder, ambos defendendo o mesmo projeto de potência bélica, política e imperialista para o globo? Com certeza não.

O modelo de disputa “democrático” estadudinense tão elogiado por outras nações demonstram o modelo de democracia da grande burguesia que defendem os interesses do grande capital. Nessas eleições de 2012 para disputa da presidência dos EUA têm cinco candidatos: Gary E. Johnson – Partido Libertário, Jill Stein – Partido Verde, Virgil Goode – Constituição, Barack Obama – Democratas e  Mitt Romney – Republicano.

Esse modelo de polarização entre as grandes candidaturas da burguesia também funciona nas eleições brasileiras, onde o volume de campanha dá a tônica dos debates e coberturas dos veículos de comunicação, pois o que está em disputa são os interesses do capital, quem pode melhor representar seus interesses.

O que fez o PT chegar à presidência não foi o fato do partido ser reconhecido pela classe trabalhadora como uma esperança para seus anseios, mas o fato de ter assumido o papel de defensor dos interesses do capital, assim possou a assumir o pólo contrário dessa disputa que qualquer que seja o vencedor garante a manutenção do projeto dos burgueses nacionais, mas é uma grande diferença entre modelo norte-americano e brasileiro, os norte-americanos querem manter seu papel imperialista no globo e os brasileiros de serem o país escolhido para a pilhagem.