domingo, 30 de dezembro de 2012

PEÃOZADA DE IMPERATRIZ PASSA A SI VER COMO UMA CATEGORIA


Num momento de aquecimento do ramo da construção civil em Imperatriz, que iniciou a cerca de sete anos, vem criando uma grande massa de trabalhadores – os “peões” da construção civil como são conhecidos -, e, junto com essa “peãozada” vem o surgimento de mais uma categoria que tende a se organizar para reivindicar dos patrões seus direitos e lutar contra eles para conquistar outros.

“[...]Ela produz, antes do mais, o seu próprio coveiro. O seu declínio e a vitória do proletariado são igualmente inevitáveis”. Karl Marx, Manifesto do Partido Comunista 1848.

O mês de dezembro serve como data-base para que a representação sindical monte uma mesa de negociações com o sindicato patronal da categoria para negociações entre índice de aumento de salários, reivindicações de direitos legais, condições de trabalho, benefícios específicos da categoria, etc. Nesse momento, o acordo coletivo determina um acordo entre sindicato dos trabalhadores e do patronato para o período de um ano. Por esse motivo, as negociações são importantes para conquistas da categoria.
Com o aumento do número de operários, fruto da necessidade de mão de obra para tocar os investimentos privados nas construções de edifícios, casas, fábricas, indústrias etc, Imperatriz passa por um momento importante de consolidação de lideranças que podem surgir de dentro da “peãozada”, que se levanta para propor conquistas nunca antes pensadas à categoria na cidade.

É nesse ponto que gostaríamos de destacar: até então os processos de negociação para fechamento do acordo coletivo de trabalho ficava meramente a cargo da direção do sindicato e uma pequena – ou quase inexistente – parcela dos trabalhadores, onde o que era fechado ficava meramente em reajustes salariais que basicamente agradava os empresários, apesar de que para os empresários o melhor seria 0%, mas como isso é impossível, se contentavam na garantia no reajuste do percentual dos índices divulgados pelos institutos que medem a inflação.

O que está acontecendo nessa negociação do Acordo Coletivo de Trabalho da Construção Civil de Imperatriz é bem diferente, basta saber que os trabalhadores já vão para a terceira assembleia geral para discutir as propostas e contrapropostas apresentadas pelos patrões. Ou seja, caso a assembleia não aceite o que foi proposto os trabalhadores iniciarão o ano sem um acordo fechado, passando assim para um acirramento entre os interesses dos trabalhadores e dos patrões. Ouvi de alguns operários que acompanham essa discussão de que pela primeira vez na história da cidade há uma possibilidade de que os trabalhadores da construção civil tenham que usar o direito de greve para forçar conquistas para a categoria, um movimento impensável, até mesmo pelos trabalhadores.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

O QUE É ISSO COMPANHEIRO? RATEIO DO FUNDEB SIM OU NÃO?

Ao visitar o site do STEEI me deparei com a seguinte matéria com o título: Fundeb 2012: quem vai pagar a conta?, onde o sindicato demonstra a preocupação para a manutenção do reajuste de vencimentos dos profissionais do ensino devido a não atualização do valor-aluno que é base para determinar o montante do repasse do Fundo de Manutenção de Desenvolvimento da Educação Básica-FUNDEB aos municípios.

Até aqui acompanhamos a preocupação, mais à frente há uma passagem da matéria que nos deixou estarrecido:

“Em reuniões com o secretário de Educação de Imperatriz, o Steei foi informado que há um déficit nos repasses, porém a secretaria não repassou ao sindicato os documentos que comprovem a real situação e se vai haver ou não sobras para que seja feito o rateio, já que o ano ainda não acabou.”

Ora, em gestões anteriores, todo o fim de exercício financeiros víamos a movimentação do sindicato reivindicando que a prefeitura fizesse o repasse em forma de rateio o valor que não foi pago aos professores - que na prática é as sobras dos 60% para pagamento de salários de professores (em efetivo exercício) do montante do FUNDEB repassado às contas da prefeitura, quando isso não ocorre o poder executivo fica na obrigação de “ratear” igualmente o valor que não foi pago durante os 12 meses de salários em forma de um abono, assim fechando o percentual que manda a lei – onde a direção apresentava até o valor que o sindicato reconhecia como sobras, alguns desses valores chegavam até as vias da justiça para obrigação do pagamento. Mas o que estamos vendo na atual gestão é que a decisão de que se haverá sobras ou não vai ficar exclusivamente ao prefeito municipal e secretaria de Educação.

Pelo visto o sindicato não vem acompanhando de forma efetiva as contas dos FUNDEB, que por sinal é consulta aberta via site do banco do Brasil (até o momento da consulta 28.12.2012 o valor acumulado é de R$ 87.394.713,57), dessa forma fica complicado fazer a defesa dos direitos dos trabalhadores da categoria, pelo menos no básico que é o direito de receber seus salários como manda a lei.

Um sindicato forte não pode ser medido em compra de áreas de lazer e ou inauguração de piscinas, sindicato forte está na confiança que os trabalhadores têm em sua representação e além do mais, que essa mesma direção tenha uma reciprocidade junto aos trabalhadores. A direção não pode ficar em nenhum momento na dependência do que diz a gestão municipal nem mesmo de acreditar nos dados que eles venham repassar, é preciso acompanhar com conhecimento técnico, jurídico e de classe os direitos dos trabalhadores.


terça-feira, 25 de dezembro de 2012

O QUE SIGNIFICA A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA MUNICIPAL?


Para os menos atentos a disputa pela presidência de uma câmara municipal pode ficar meramente no status junto aos demais vereadores, aos outros entes públicos e aos cidadãos, mas o principal motivo anda longe de ser só isso. 

A presidência representa antes de mais nada a responsabilidade de administrar um “pequeno” orçamento que quer dizer definir contratações/prestadores de serviços, gerenciar folha de pagamento, receber em dobro o valor de subsídio de um vereador comum, decidir sobre liberações como indenizações, reembolso de despesas e outros “agrados” [financeiros] aos seus pares e é nesse último ponto que dá a “força política” necessária ao presidente da Câmara para ter outra influência fora da casa legislativa. 

Os recursos financeiros que são repassados para financiar tudo isso seguem a legislação (Constituição Federal, art. 29; Lei 4.320/64 e Lei Complementar nº 101/2000) que em resumo diz: é obrigatório ao poder executivo repassar ao legislativo um percentual (para Imperatriz é 6%) correspondente à apuração da Receita Corrente Liquida-RCL do município em parcelas (12) mensais. 

Para o poder executivo é essencial ter na presidência alguém de “confiança” que possa vincular os interesses da gestão aos trâmites de aprovação dos projetos de leis do poder executivo e nesse sentido, ter uma diretoria toda atrelada ao executivo é o objetivo do gestor. 

Em Imperatriz esse jogo de acordos entre as presidências da Câmara sempre funcionou a contento, as direções do poder legislativos foram nas suas essências um apêndice do Palácio Renato Cortez Moreira, basta analisar como foi a atuação dos últimos presidentes e suas diretorias. 

Na primeira sessão ordinária em 2013 da câmara haverá a reeleição da manutenção desse atrelamento. Como falamos no parágrafo acima, é bem provável que veremos o atrelamento dos vereadores ditos de “oposição” à ordem da casa, regados com mais ou menos recursos, apesar disso aumentou o número dos que usarão a tribuna para fazer o teatro do discurso inflamado – gabarito para isso têm – vamos aguardar em que isso se reflete na prática dentro da ordem do parlamento burguês. Para exemplificar isso não tem como não citar o não reeleito vereador Edmílson Sanches, que passou 4 anos recebendo dessa estrutura e agora anda cuspindo no prato que comeu, só depois que saiu de lá, será porquê? 

Estamos aguardando alguns dados para escrever um outro post específico sobre questões financeiras administrativas da Câmara, procuraremos demonstrar o quando de dinheiro rola para manter aquela casa de espetáculos.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

USUÁRIO DO TRANSPORTE INTERURBANO EMITE NOTA DE REPÚDIO CONTRA VBL

Venho por meio deste documento informal expor minha opinião a respeito da Empresa VBL (Viação Branca do Leste), acreditando não ser uma opinião individual, exponho os descasos e desrespeito que a mesma (VBL) submete os cidadãos das cidades de Amarante do Maranhão, Buritirana, João Lisboa e Senador La Rocque e seus povoados circunvizinhos nos seus deveres como empresa. Faço isso em forma desta nota de REPÚDIO que demonstra claramente minha insatisfação a respeito da empresa VBL.

A mesma que detém, acredito em forma de Licitação, o monopólio de trafego, bem como, de transporte publico na Rodovia Estadual MA-122 que liga a cidade de Imperatriz à de Amarante, não respeitando os brasileiros e brasileiras que dependem de seus serviços por não terem outros meios para se locomoverem. Venho tornar publico alguns dos muitos DESRESPEITOS da empresa para com seus usuários.

Um dos principais é na questão da “logística da empresa”, os horários não funcionam; a taxas cobradas são as mais altas da região (a de Imperatriz a Amarante aumentou substancialmente nos últimos meses); a “empresa amiga dos idosos” mais parece inimiga deles; os ônibus executivos, acredito eu, serem os piores não tendo estrutura nem para as necessidades fisiológicas de seus usuários, isso é um ultraja. No que se refera à estrutura, podemos destacar o funcionamento dos ônibus: é raro o dia em que não se pode ver um ou dois ônibus quebrados nessa estrada (MA-122), as maquinas são umas “bombas ambulantes”.

Assim termino minha fala exclamando aos senhores prefeitos eleitos das cidades acima citadas, que por obséquio lembrem-se dos seus concidadãos na hora de renovar licitações com essa empresa ou com qualquer outra, pois vocês foram eleitos pelo povo e devem governar para o povo e não para empresas que enganam, desrespeitam e desqualificam seus conterrâneos, portanto aos usuários que tem o mínimo de crítica desejo-lhes boa-sorte e fico triste pela omissão, pois enquanto não acontecer uma catástrofe com vítimas fatais nada será feito.
(Vinicius Sousa Silva, Amarantino)

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

ELEIÇÕES SINPROESEMMA, VOTAÇÃO INICIA A PARTIR DAS 8HS NESTA QUINTA-FEIRA(13/12)

Acontece durante todo dia de hoje, quinta-feira 13/12, a eleição para a nova diretoria de um dos maiores sindicatos do Maranhão, SINPORESEMMA. Com cerca de 25.000 filiados em 217 municípios o SINPROESEMA após 14 anos sem eleição direta – a direção era eleita em congresso – realizará seu pleito para que os profissionais da educação decidam pela permanência da base da direção que comando o sindicato há 14 anos ou se busca uma nova direção.

Muitas coisas nesse processo estão obscuras, mesmo assim, a oposição montou uma chapa para concorrer contra a máquina sindical que é atrelado ao PcdoB, que tem como prioridade continuar na direção com vistas a ter uma base visando as eleições 2014 do dirigente maior da sigla, Flávio Dino, principal nome apontado par aconcorrer ao cargo de Governador.

A maioria da direção vinculada ao PcdoB que comando o SINPROESEMMA demonstrou em várias ocasiões esse atrelamento aos governos  usando a estrutura sindical para barganhar com governos, rifando os interesses da categoria. Essa eleição pode dar um novo norte, em defesa da categoria, que vem a anos sofrendo duros ataques de governos e tem sua direção apática.

Em Imperatriz, a segunda maior cidade de estado terá apenas 3 seções fixas e nove itinerantes.  É preciso que os trabalhadores tenham interesse e opinar nesse processo, pois no regimento da eleição não há quorum minimo, ou seja, se votar apenas um o processo será homologado.

Segue abaixo algumas informações importantes para o processo:


Urnas fixas em Imperatriz:
SEDE DO SINDICATO, rua Mirador nº 09 - Nova Imperatriz e
CE GRAÇA ARANHA, rua 13 de maio, centro;
CE NASCIMENTO DE MORAIS, rua Leoncio Pires Dourado, Bacuri

Ouça spot da Chapa 2: Resistência, Luta e Mudança

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Por Isac Santos: NATAL E CONSUMO

Com abraços, sorrisos e felicitações, começa e termina um dia para exercer a bondade, o respeito e o amor ao próximo, embora nem o amor ou muito menos a bondade, sejam obras de um dia. É Natal, e a questão fundamental não é decidir sobre a sua controversa origem, se pagã com persas e babilônios, ou cristã com o menino Jesus, uma vez que em determinado sentido, ambas cristãs ou pagãs, coadunam para um mesmo propósito: celebrarem a vida, então a questão não se trata de desnudar a autoria, porém concentra-se em reencontrar o espírito originário e a verdadeira essência, que fez desta data um marco da concórdia; concomitante a essa arremetida do amor humano, avaliar quais as causas históricas que fizeram desta mesma, ponto culminante do consumo compulsivo e, portanto, a ceia particular da publicidade e por sua vez o banquete dos capitalistas.

Em busca da identidade genuína do Natal como podemos ver, encontramos no máximo um conflito de datas, fins e autorias, apesar destas eventuais discordâncias, diga-se de passagem, suscitadas por religiosos e historiadores no intuito de promoverem respectivamente, ou os alicerces da fé cristã, ou a reputação da ciência como infalível, não podemos encontrar nos seus primórdios, nem elemento que o deturpe, nem que o viole, de modo que assim é assegurado sua moralidade, ao contrário do que se possa pensar instantaneamente, constata-se que essa data considerada sagrada, somente tem esse status por precisamente manter, fomentar e promover a paz, a união, o amor e outros tantos sentimentos bons do homem, a exemplo deste primitivo espírito tem-se os três reis Magos que viajaram doze dias para entregarem em Belém seus presentes (ouro, mirra e incenso) ao menino Jesus, numa  das primeiras amostras de que essa data arrebata e humaniza. Se essa data teve como caracterização o respeito, a reciprocidade e o afeto, não podemos falar da sua continuidade histórica com os mesmos termos, adjetivos e admiração, pois em meados do século XVI, Martinho Lutero com um pinheiro, velas e outros enfeites, idealizou a árvore de Natal e também a desconfiança de que tanto suas 95 teses como a sua invenção, foram uma corroboração à burguesia e ao consumo moderno. Século XIX, e na medida em que passou o tempo, desfaleceu o real significado do Natal, não como consequência da memória, contudo em razão dos avanços da propagada e como resultado da exploração comercial deste, a família passiva, entretanto, conservou tangencialmente espírito natalino, surge a era coca cola e com esta a reinvenção da resoluta família, de quebra uma nova imagem para o Papai Noel, pobre São Nicolau, nosso primeiro papai Noel, um bispo do século III; transformado em santo após várias pessoas relatarem milagres atribuídos a ele, agora peça publicitária de um produto, carro chefe de uma marca. Século XXI e formação quase final da composição do Natal: ceia de Natal, árvore de Natal, o inestimável Papai Noel, músicas natalinas, o presépio, as decorações, uns abraços e sentimentos adormecidos por um ano inteiro, mas sempre a deixar espaço para o incremento de um novo produto ou para desconfiguração original do mesmo. É Natal novamente e promoções de fim de ano visam aquecer o comércio, vagas de emprego temporário estão disponíveis no comércio varejista, é hora de descartar as quinquilharias, e a questão é, o que tais noticias têm haver com espírito natalino? Nada ou tudo, dependendo da maneira que se retoma a linha histórica, ou seja, se começamos pelo o início, nada, pois no início o Natal era uma aproximação da essência do que é ser sociável, um efeito da assemelhação da criatura ao criador, tudo, ao fim da mesma por ter se preposterado numa data mercantil. Em resumo o Natal não é mais o que foi, uma celebração da vida, uma reverência a ela.

Enfim, se de consumo ou da família, chegamos à última trincheira, não com a resposta, menos com a solução, a questão é, se o capital transporá à última trincheira, cabe à resistência coletiva ao consumo, responder, e ainda que individualmente possamos dar uma resposta, esta seguramente não surtirá como efeitos gerais, ou seja, não será o desfecho de uma questão secular e coletiva, mas isso não que dizer que não deixará marcas ou precedentes para implicações futuras, será então, a ponta de uma flecha, baseada na convicção de que no futuro tomaremos o caráter monopolista desta festividade, e que se inúmeras outras flechas apontarem para o mesmo alvo, teremos finalmente a solução ao consumo, a resposta à tradição e o retorno à comunhão com os nossos antepassados.

Isac Santos, acadêmico em Administração na Uema/Cesi e militante do PSTU de Imperatriz.

sábado, 8 de dezembro de 2012

ELEIÇÃO SINPROESEMMA: DOLORES SILVA PEDE VOTOS EM IMPERATRIZ

Após quatorze anos de “ditadura” onde a direção era escolhida de forma indireta, o SINPROESEMMA realizará no dia 13/12 a eleição direta para a nova direção do sindicato, mas isso ainda não quer dizer que o processo é democrático e que a direção tenta se perpetuar no poder, fazendo com que o sindicato fique atrelado aos governos com acordos rebaixados para a categoria.

O processo eleitoral está totalmente viciado, a eleição que deveria acontecer em fevereiro de 2013 foi antecipado em três meses, à comissão eleitoral foi indicada pela atual direção – que dirige o sindicato há 14 anos – as urnas de coleta de voto são desproporcionais entre as cidades, exemplo Codó terá mais urnas que Imperatriz e São Luís, o candidato a presidente da chapa 1 tem vínculo duvidoso com a categoria. Todo o processo será em apenas um dia, para uma eleição estadual do tamanho territorial que temos e o que é mais absurdo, todo local de votação é automaticamente local de apuração imaginem o que acontecerá nesse processo?

Mesmo com as tentativas da atual diretoria em prejudicar a organização de uma oposição um grupo de professores – antigo MOSEP (Movimento de Oposição Sindical de Educadores Públicos) – conseguiu se articular e montar uma chapa em tempo recorde – 3 dias – contemplando mais de 16 municípios do estado, tendo como candidata à presidenta a professora Dolores Silva – Chapa 2 – “Resistência, luta e Mudança”, que tem uma relação estreita com os profissionais de educação da região Tocantina e com Imperatriz. Foi através do MOSEP que nos anos 90 um grupo de professores aguerridos reconquistou o STEEI de Imperatriz e transformou no que ele é hoje, com várias lutas de lá pra cá, além de debates em congressos e seminários onde sempre a professora Dolores colaborava. De Imperatriz compõe a chapa a professora Eurami Reis.


Nesta sexta-feira (07/12) a professora Dolores Silva fez uma reunião com lideranças sindicais da região para chamar a atenção do modelo sindical que é imposto pela atual direção e pela chapa que tenta manter-se no poder além das discussões acerca da necessidade de organização da categoria contra o ataque dos governos contra a educação publica e os profissionais da educação. Além da reunião Dolores também visitou escolas, concedeu entrevistas a emissoras locais e visitou a redação do Jornal o Progresso onde fez questão de denunciar o processo eleitoral.

Dolores retornou ontem a noite a São Luis onde reuni com os membros da Chapa 2 que também foram durante o dia de ontem há vários municípios do estado para fazer a articulação na base dos profissionais, a professora acredita que: “um sindicato forte é um sindicato horizontal que tem suas raízes enfincadas na base da categoria controlando sua direção, esse é o modelo sindical que faz um sindicato forte” diz Dolores.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

CASO VANUSA OLIVEIRA: ASSÉDIO MORAL A MULHERES SERVIDORAS PÚBLICAS EM IMPERATRIZ

A servidora municipal Vanusa oliveira, técnica em enfermagem que foi demitida pela  secretária de saúde por duas vezes. Sendo afastada pela segunda vem sem nenhuma comunicação prévia: ao chegar para trabalhar seu nome não constava mais no quadro de funcionários, a demissão seria motivada pela declaração de voto em outro candidato que não o candidato à reeleição, caracterizando como perseguição política. Após vários questionamento aos chefes diretos a servidora pública foi atrás dos seus direitos, fez denuncia pública através de um canal de  TV local, programa Imperatriz 24 horas, além de procurar o MP  e  o Promotor Público Sandro Bíscaro. deu também entrada em uma ação trabalhista junto a Justiça do trabalho, onde reclamou seus direitos, como perca salarial, indenização por danos morais trabalhistas e reintegração ao seu local de trabalho, pois nada que desabone sua conduta profissional foi provado, e aguarda ainda um atendimento com o defensor público Fábio Machado.
 “Não podemos nos calar! Aqui em Imperatriz estamos vivendo novamente a era da ditadura, da perseguição, do governo truculento, não podemos nos expressar, temos que viver engessados, amordaçados, acuados, mas se o povo soubesse a força que tem, não se calaria, vamos fazer essa história mudar, nós podemos, vivemos em um país ainda democrático de direito, na área da saúde e educação tem muita gente fora do seu lugar de trabalho, privado de desenvolver suas atividades laborais simplesmente por não apoiar politicamente o atual e reeleito Prefeito da Cidade, a Câmara Municipal, estar inerte, não temos o poder legislativo na nossa cidade, os vereadores estão todos coniventes com as atitudes do Prefeito, nossos vereadores brincam de legislar, o prefeito brinca de administrar e a cidade vai ficando assim, quase uma terra sem lei, você procura a Promotoria Pública, o Promotor da Probidade Administrativa cruza os braços, o Juiz da vara da Fazenda Pública, não tem cerimônia em deixar claro a parcialidade para com o gestor do município, e nós cidadãos Imperatrizenses vamos ficar calados diante disso tudo, não podemos deixar de exercer nossos direitos de cidadania”
É de conhecimento público outros casos similares de assédio moral e perseguição política patrocinados por chefes de setor, secretários, com a conivência anônima do chefe do poder executivo, pois são seus comandados que na ânsia de defender o interesses de seu patrão e seus próprios assedia todos que tem posicionamento contrário ao governo. vamos citar aqui alguns nomes/casos que estão sendo perseguidos pelos gestores do município:
- Vanusa Oliveira Sousa - Técnica em Enfermagem 
- Francisca Vieira – Técnica em Enfermagem
- Enfermeiro Marcos do Conjunto Vitória
- Naide – Técnica em Enfermagem
- Silvana Pitol – Técnica em Enfermagem
- Eduardo da Farmácia do Socorrão
- Rodolfo Moreira – Enfermeiro
- Carlos Eduardo – Técnico em Enfermagem
-  Uiliene Araujo Santa Rosa - Professora

“[...]E assim são vários aqui só alguns que lembro no momento, isso não é justo, o gestor não quer dizer que seja o dono da cidade, estamos diante de um caos administrativo na cidade e as autoridades estão sendo coniventes com a situação, até quando vai ser assim, até onde vai isso, quem vai parar esse Prefeito Ditador?” Questiona Vanusa Oliveira.
Assista a denuncia feita por Vanusa, exibida no programa Imperatriz 24 horas da TV Capital:




segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

PSDB E AERCIO NEVES, SER OU NÃO SER OPOSIÇÃO


Circula na internet a pressão que o ex-presidente FHC/PSDB faz a Aécio Neves, no seminário promovido pelo PSDB e Instituto do partido (ITV) para anunciar seu nome como concorrente ao cargo de presidente da república em 2014.  Para alguns é de certa estranheza, a pesar de todo o partido fechar em torno de seu nome, mesmo assim ele preferiu postergar o anuncio.

Coma a eleição de Lula após assumir os interesses da grande burguesia nacional e do capital financeiro especulativo, que vem tendo bons resultados nesses doze anos, com o aumento da rentabilidade dos bancos, pagamento religioso dos juros da dívida, políticas de incentivos fiscais (redução do IPI) para aumento da produção nacional, desoneração do INSS PATRONAL da folha de pagamento das empresas, patrocinado pelos constantes arrochos salariais dos servidores federais, há anos não há aumento para muitas categorias.

Com essas medidas, o governo de “frente popular” LULA-DILMA/PT vem cumprindo com melhor eficácia os desejos da grande burguesia, com a vantagem de não haver grandes conflitos populares, pois os trabalhadores e os movimentos populares ainda acham que esse governo trouxe melhorias para suas vidas.
Por esse motivo o PSDB passou a ser uma mera “oposição”, usando seus meios de comunicação para amplificar as denuncias de corrupção que vem sendo descobertas pelas ações da PF e pelos X9’s desses esquemas de corrupção, ou seja, não tem nenhuma crítica econômica mais contundente, pois os governos do PT estão seguindo o receituário econômico neoliberal iniciado no governo FHC/PSDB.

Analisando essa conjuntura de fragilidade do PSDB em ser mera oposição ao PT, e, não é de agora que Aécio tenta uma aproximação com o PT para montar uma coalizão nacional. O fato de seu anuncio – a dois anos das eleições - como concorrente do palácio do planalto não é bem visto por ele para alcançar esse objetivo.

Pra quem pensa que a dificuldade conjuntural de combater um governo de “frente popular” é apenas dos partidos de esquerda está muito enganado, vejam que os partidos da grande burguesia estão num beco sem saída, pois o governo implantado está a seu lado na defesa dos interesses da classe social dominante – a burguesia - e tendo o aval dela para permanecer.

sábado, 1 de dezembro de 2012

A GERAÇÃO INDIFERENTE, POLITICA E TECNOLOGIA


Por Isac Santos*

A principio, embora, pareça que política e avanços tecnológicos sejam inconciliáveis e que o fluir de um é o inevitável esgotar do outro, ao fim do curso será repreendida essa ideia trivial e pálida que só pode e só deve se sustentar aos olhos do senso comum, ao homem burguês e imediatamente comum.

Meia noite e imóvel na sua cadeira presidente, apoiando os cotovelos sobre a rack, a olhar fixamente para o monitor, a interagir, ora digitando, ora compenetrado e entusiasmado pelo anonimato da rede. Adepto do  Facebook, Orkut, MySpace e Twitter, consumidor tecnológico voraz: tablet, games, android, iphone, ipad, windows, linux, Mac, isolado acusticamente da família e do mundo pelo fone de ouvido, com uma nova linguagem  contrapondo-se a normativa, com hábitos e comportamentos, que se não, são um impacto para os pais, são novos objetos para a psicologia, encontra-se o mais típico representante de uma nova geração: a geração dos indiferentes políticos, avessos  pela falta de continuísmo,   ausência de interesse e repulsa dos últimos escândalos, seja como e porque causa, a perderem a linha de transformação social, tão necessária atualmente, de modo a comprometerem todos os avanços sociais, políticos, filosóficos e ideológicos das gerações anteriores, duramente conquistados. Vítimas inconscientes do progresso tecnológico ou produtos do sistema socioeconômico? A resposta é complexa, porém não impossível e nem improvável.

Milhares de informações, velocidade no tráfego, conexão a uma rede global, interação com os mais diversos grupos sociais, mobilidade, acesso remoto, redução do espaço, ampliação das alternativas, acumulação e armazenamento das informações, compilação e processamento de dados, são os benefícios mais proeminentes dos recursos tecnológicos e consequentemente autores de uma nova maneira de ampliar, de conectar e massificar ideias, conteúdos, pensamentos e, sobretudo pessoas, logo seria impossível conceber um mundo atual sem tecnologia, porém, assim como se faz incontornavelmente necessária a vida presente e futura dos homens de igual modo tem os levado a dependência virtual, ao sedentarismo físico, ao comportamento fac-símile, ao novo modo de agir,  pensar,  sentir e finalmente às salas de psicólogos e psiquiatras. Se por um lado a internet maximiza as relações humanas, quebra as barreiras do real e virtual, por outro, ela afasta as pessoas do convívio social acentuando seu individualismo, porém, fatalmente as tornam um problema social, como por exemplo, os problemas da violência,  falta de moradia e de saneamento, logo são apenas resultado do excesso e do acesso à web. A questão da aversão política como se pode notar, não gira em torno da internet em si, pois uma coisa não pode ser boa ou ruim em si mesma e que só faz sentido procurar a sua utilidade em quem a controla, logo se refuta a tese de que são vitimas do progresso tecnológico, a questão, no entanto, é invariavelmente arremetida para quem controla e com que finalidade controla.

A internet hoje de forma análoga à televisão dadas algumas variações de possibilidades, tecnológicas e diferenças temporais, se equivalem em propósitos e fins: manipular, controlar, padronizar e principalmente conformar socialmente, são alguns dos propósitos comuns, portanto a função essencial de quem controla, se resume a gerenciar esses meios, a conformar os indivíduos socialmente e levá-los ao consumo através desses meios e subsidiariamente aponta para esses mesmos meios como responsáveis por sua condição social e aversão política. Sutilmente a classe dirigente forma e educa a classe intermediária para cumprir papeis pré-estabelecidos por essa última, para acreditarem em última estância que estas não são culpadas pelo seu insucesso social e por sua alienação virtual, assim vão criado gerações que correspondem ao estágio de desenvolvimento da classe dirigente, ou seja, à medida que há avanços tecnológicos a classe intermediaria é forçadamente obrigada a acompanhar o progresso com finalidade de consumir os novos avanços, e é por essa razão que temos a geração dos indiferentes, reconhecidamente ligada ao mundo virtual, dos televisivos caracterizado pelas novelas, e dos idiotas operários que acham que são capitalistas, logo a ideia de ser indiferente político por causa da internet ou de outros meios de comunicação e difusão da informação, não é só parcialmente errada, é na verdade totalmente equivocada, uma ideia que está longe de corresponder com a realidade, na verdade, a internet amplia de forma jamais vista ideias e acontecimentos, há inúmeros exemplos da sua utilidade e fertilidade social: no Oriente Médio ou mais recentemente na Europa, manifestações foram programadas nas redes sociais, candidatos ganham ou perdem espaço pelas influências da rede, opiniões em todos os âmbitos são formadas, discutidas e reformuladas através desse meio maravilhoso, mas na medida em que esse meio se torna uma das formas mais democráticas do conhecimento, crescem também as reações conservadoras no sentido de limitá-la, fazendo grandes filtros do que pode ser acessado e se a princípio a internet gozava de uma ampla liberdade, hoje já não goza mais, a título ilustrativo temos o fundador do Wikileaks que teve sua vida pessoal devastada,em razão de ter divulgado informação secretas, como se pode observar tudo conspira para a restrição de sua liberdade de acesso, divulgação de informação e conhecimentos.

Finalmente, prevalece a conclusão de que internet, bem como o interesse pela política são fundamentais para o desenvolvimento humano, para a tomada de consciência de classe e ambas para a construção do futuro.

Isac Santos, acadêmico em Administração na Uema/Cesi e militante do PSTU de Imperatriz.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

CASO UILIENE: PROFESSORA FALA EM SEU FACE SOBRE A SINDICÂNCIA INTERNA DO SEU CASO.



No dia 28/11 a comissão interna de sindicância foi ao prédio da escola Guilherme Dourado, denunciada pela professora para fazer uma “vistoria” para confirmar as denuncias de precariedade do prédio da escola. A vistoria ocorre mais de um mês depois das denuncias e também após obras na estrutura. Mesmo justificando nos autos que seria uma vistoria técnica para constatar as denuncias a comissão não levou nenhum técnico de edificações ou engenheiro para dar um laudo sobre o que poderia [foi] realizado na estrutura, também não permitiu que a professor acompanhasse a comissão para apontar os pontos nos quais considera imprópria, depois de 15 minutos de debates a comissão permitiu ser acompanhado pelo seu representante Fábio Machado que aproveitou para registrar imagens com uma câmera fotográfica.

Após o corrido a professora publicou a seguinte mensagem em seu Face:

"GOSTARIA DE ALERTAR A TODOS SOBRE O CURSO QUE ESTÁ TOMANDO A SINDICÂNCIA ADMINISTRATIVA INSTAURADA PARA APURAR A DENUNCIA QUE FIZ DAS CONDIÇÕES INSALUBRES DA ESCOLA JÁ CONHECIDA POR TODOS.

A sindicância realizou ontem uma inspeção na escola. Sem a presença de um técnico em edificações ou engenheiro para fazer um laudo. Mesmo que eu tivesse conseguido um, ele não entraria por não ter sido intimada, da mesma forma que eu não pude entrar.

Depois de uma série de argumentações, que aconteceram na porta da escola, entre as partes, os membros da sindicância resistindo para que a visita acontecesse sem o técnico, o Defensor Público pedindo o cancelamento da inspeção, o máximo que conseguimos foi que o defensor entrasse com uma máquina fotográfica, cedida gentilmente por um companheiro de luta, o que considero válido, pois com toda a “maquiagem” ainda é possível detectar que o prédio não possui condições para comportar 500 alunos.

O Defensor solicitou uma nova inspeção com a presença de um técnico, que até o momento não sabemos se vai ser deferida...

TEMO QUE SEJA FORJADA UMA CERTA VERDADE! A VERDADE DE QUEM POSSUI A MÁQUINA ADMINISTRATIVA NAS MÃOS. PEÇO AJUDA!
NÃO DEIXEM MEU CASO CAIR NO ESQUECIMENTO!"

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

PRA QUÊ E O QUANTO VALE OS VEREADORES


Os conservadores acham que as pessoas que não têm vínculo empregatício formal ou que sobrevivem da venda de pequenos produtos artísticos em praças como os RIPPIE’S, possam ser chamados de vagabundos.

Recentemente encerrou-se o processo de eleição de representantes para a Câmara Municipal, os ditos “representantes” do povo, que tem como obrigação comparecer três dias por semana na câmara e esperar o depósito dos atuais R$6.000,00 no dia 20 (data mais comum para o pagamento dos vereadores). Nesses últimos meses nem a carga (estafante de trabalho) exigida como frequência estava sendo cumprida pela grande maioria, para montar a feira de negócios institucional que é a tal casa de leis mirim. Surpreendentemente nesta ultima sessão ouve um comparecimento maciço dos legisladores, cujo principal ponto de pauta era o aumento de 40% dos subsídios recebidos pelos representantes do povo pobre e miserável das periferias da cidade, pelo menos é assim que se apresentam nas campanhas eleitorais.

Todos sabem para que serve um cargo de vereador, é uma galinha dos ovos de ouro, onde a cloaca fica em cada um dos que votaram – vendendo ou não o voto - para que tenham os privilégios e os montantes que recebem para defenderem os interesses da verdadeira classe que esses representam, e andam longe dos interesses das comunidades aos quais vieram.

Um vereador vai passar a valer mensalmente – falando apenas em subsídios – R$10.000,00/mês, enquanto sua cidade, seu bairro, sua rua, seu futuro e de seus filhos ficam na dependência de quem está lá para legislar em favor próprio e de seus apadrinhados políticos, enquanto isso, o que sobra pra você? Salário de R$622,00 com carga horária de 44 horas semanais – quando é empregado -, vaga num programa de transferência de renda, bolsa família de R$80,00 por criança ou a esperança de que a promessa do tal vereador de seu bairro eleito lhe fez por um emprego, etc.

Infelizmente tenho que lhe informar de uma coisa, nesse sistema de representação dos ricos se seu “representante” lhe trair o remédio é esperar por quatro anos na esperança de surgir outro, provavelmente com o mesmo discurso, surgindo da mesma fonte querendo ser seu representante e assim recomeça o ciclo, onde a fonte de alimentação é sua capacidade de escolha e aceitação entre o ruim e o menos pior.

Texto escrito para o blog Só Pa Vê ITZ

terça-feira, 27 de novembro de 2012

MATÉRIA REQUENTADA, PRA BENEFICIAR A CURRIOLA

A internet é um acervo online onde aqui acolá agente topa com coisas curiosas.

Todos nós sabemos que os meios de comunicação têm o objetivo de beneficiar os mandatários ou os que detêm o poder econômico, é só mais uma componente da super estrutura do estado burguês. Pois bem, vejam o que acabei encontrando no site da Famem, segundo o site o Sr. Prefeito então candidato à reeleição teria inaugurado uma obra pública 09/09/2012, ou seja, durante o período de campanha eleitoral, fiquei surpreso, pois tal fato é proibido pela legislação eleitoral.

Pesquisei mais um pouco e encontrei outra fonte com a mesma matéria, desta vez com a data de 06/06/2010.



Como podemos notar, para reforçar um ato governamental o site que representa os municípios tentou dar uma ajudinha ao seu candidato requentando uma matéria de dois anos atrás. Outro erro grotesco encontrado semana passada por mim foi o nome do ex-prefeito (e dito adversário, Ildom Marques) acompanhando a foto do atual prefeito, uma gafe que não perdi a oportunidade de ironizar. 

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

PRESTAÇÕES DE CONTAS DESMASCARAM VOLUMES DE CAMPANHAS DOS RICOS

O QUE DEFINE NA PRÁTICA UMA (RE)ELEIÇÃO

Tem muitas pessoas alienadas que acham que os eleitores votam nos ricos porque eles tem as melhores promessas e não pelo volume de campanha e marketing que transformam a realidade nua e crua das periferias e do centro caótico da cidade em um “país das maravilhas” e ele um messias que salvará as almas moribundas da miséria da falta de qualificação profissional e falta de emprego. Vejam a disparidade nos gastos de campanha do candidato reeleito contra os demais candidatos, mesmos os do grupo das elites, - claro segundo o que foi declarado à justiça eleitoral –, além do uso da máquina pública com obras eleitoreiras. Materialmente é isso que comprova o resultado nas urnas, o resto é hipocrisia de quem compra votos e diz que faz o melhor governo de Imperatriz.
Jupiter Jupiter 1 0 2012-11-22T12:04:00Z 2012-11-22T12:04:00Z 1 59 323 Jupiter Internet 2 1 381 12.00

CANDIDATO/PARTIDO
VALOR DECLARADO NA PCE
Sebastião Madeira/PSDB
R$1.447.400,00
Rosangela Curado/DEM
R$   299.800,00
Carlinhos Amorim/PDT
R$   319.500,00
Adalberto Franklin/PT
R$     31.220,00
Francisco Melo/PSOL
R$     15.580,00
Justino Filho/PTC
R$     23.400,00
Kleber Miranda/PSB
R$     12.500,00
Wilson Leite/PSTU
R$       3.260,00
Aluizio Melo/PCB
R$     27.769,78*
FONTE: TSE 
*Valor das receitas foram lançadas no comitê financeiro do partido, cujos valores das receitas estão somados todos os 21 candidatos a vereador.


TRANSAÇÕES MASCARADAS AO CANDIDATO DO PSDB
Tentando omitir os doadores (investidores) da campanha do prefeito reeleito Sebastião Madeira/PSDB, uma das empresas que mais vem se beneficiando nessa gestão, através de incentivos fiscais e tributários (renuncia de receita por parte do ente público) a Suzano Papel e Celulose S/A fez doações totalizando R$268.000,00 à conta eleitoral do diretório do PSDB de Imperatriz e os valores foram repassados à conta do candidato como sendo doado pela direção municipal, uma manobra simplória para esconder a real fonte do investimento (doador) para o candidato da empresa. Outras empresas do ramo bancário, imobiliário e de engenharia que também fizeram doações usando esse modo-operante para tentar esconder o vinculo de sues investimentos na cidade e a gestão que os dá benefícios para maior lucratividade: ASPEB ADM. E AGENCIADORA DE BENEFICIOS LTDA - R$ 10.000,00; BANCO BM G SA - R$ 100.000,00; LAGES BIONERGETICA LTDA - R$ 50.000,00; LASTRO ENG. INCORPORAÇÕES E INDÚSTRIA LTDA - R$ 100.000,00; SAGA ENGENHARIA LTDA - R$ 200.000,00.

O CANDIDATO DO PT
A pesar de Adalberto Franklin ter passado durante toda a campanha dizendo que Imperatriz era uma das 100 cidades brasileiras dada como prioridade  eleitoral do partido, em toda sua campanha não recebeu um vintém das instancias de direção – estadual ou nacional – para ajudar na tarefa de defender em imperatriz o projeto do tal “crescimento da economia nacional”. Olha que é o partido que governa o Brasil para os banqueiros onde o dinheiro rola solto, basta lembrar a compra de apoio ao governo no caso do mensalão.

CANDIDATOS DAS ELITES E O DISCURSO DA MILITÂNCIA VOLUNTÁRIA
Observamos, inclusive em debates, que não tinha nenhum cabimento que pessoas que sobrevivem de sua força de trabalho não poderiam estar trabalhando de forma voluntária para os candidatos “ricos”, mais é justamente isso que comprova as prestações de contas, todas aquelas pessoas que fazem parte da comitiva de assessores e cabos eleitorais registraram uma média de R$400,00 a R$900,00 pelo voluntarismo de 90 dias de campanha. Lembro bem de um fotografo que registrava todos os compromissos da então candidata Rosângela Curado, ele foi 100% voluntário, nem si quer recebeu qualquer valor como ajuda de custo, conforme prestação de contas apresentada. No caso do candidato Carlinhos Amorim/PDT, as pessoas que saiam personalizadas (camiseta vermelha), em ônibus (não encontramos os ônibus na prestação de contas) pela manhã e só retornavam a noite, pelo voluntariado receberam em média de R$622,00 por todo o período de campanha. Agora imaginem se fossem pagos o que esses “voluntários” não fariam?

Bom, essa pincelada é só para mostrar como funciona o jogo de cartas marcadas com um titulo pomposo de democracia, aposto um pirulito que todas as “prestações de contas” desses candidatos serão aprovadas com louvor pela justiça eleitoral, que alias tem uma pessoa vendada como a que faz justiça, assim não verá a realidade do jogo econômico que ocorrem de dois em dois anos Brasil a fora.

domingo, 18 de novembro de 2012

PRIMEIRO DIA DO CURSO DE FORMAÇÃO POLÍTICA: INTRODUÇÃO À TEORIA DE MARX


Estudantes, simpatizantes e filiados a partidos políticos concluíram nesse primeiro dia (17/11) do curso de formação política: “classes sociais no capitalismo” a parte introdutória sobre como ocorre a divisão da sociedade em classe, sobre mercadoria , mercado e valor (teoria de Marx), através de discussão em grupos, exibição de filmes e exposição do educador Luiz Noleto.

No segundo dia haverá a dinâmica da “Fábrica” que é a demonstração prática de como o capital se apropria da riqueza produzida através do trabalho social. A dinâmica demonstrara que mesmo com todas as vantagens como vale transporte, plano de saúde, tickts etc fornecidos pelo proprietário da fábrica, esses “benefícios” andam longe de representar a verdadeira riqueza produzida pelos operários.

Ao fim do curso o educador pretende inovar no roteiro do curso para demarcar a posição das siglas partidárias dentro da pirâmide das classes sociais apresentadas por Marx. Demonstrando assim, que a divisão e a defesa dos projetos das classes sociais estão representadas também nos projetos de poder das siglas partidárias que representam as camadas que exploram a verdadeira classe que produz riqueza e que há um projeto de poder não só da burguesia, mas também dos partidos que vêem na classe operária a capacidade de acabar com o nível de exploração do estado capitalista. 

sábado, 10 de novembro de 2012

SUGESTÃO DE LIVRO: “CAATINGUEIROS E CAATINGA”, ESMERALDO LOPES


Há quinze dias recebi um exemplar do novo livro “CAATINGUEIROS E CAATINGA” do Sociólogo e professor baiano Esmeraldo Lopes. O conheci quando visitava seu irmão em Imperatriz. Tive o prazer de trocar algumas palavras, ou melhor, ouvi-lo, uma coisa que aprendi nessa minha curta vida é ouvir àqueles que têm algo a dizer e o professor Esmeraldo Lopes é uma daquelas poucas figuras humanas que têm algo a dizer, sim dizer e não repetir o que outros dizem.

“A obra não obedece a parâmetros acadêmicos nem sua condução esteve em algum momento preocupada com os formalismos "científicos" dessa "ciência" castrada que anda a fazer redemoinho pelo mundo. Foge disso por classificá-los como estéreis. É narração, descrição, análise e interpretação impregnada de impressões, costuradas e alimentadas com imaginação, pois não tratei apenas do que vi, ouvi ou deduzi, mas também do que percebi pelo caminho do sentimento, do que pode ter sido. Também não é uma obra literária. É outra coisa que não sei o que é. Tenho a certeza que ela também não é nada, porque embora a maioria das pessoas tenha a capacidade de fazer nada com remuneração e sem muito sacrifício ou sacrifício nenhum, e ao mesmo tempo pegam o nada feito para apresentálo como feito grande, eu fiz este feito com muito sacrifício e tenho certeza que ele é alguma coisa. E a coisa, feita exclusivamente à custa de minhas disponibilidades financeiras e materiais, de cortes em minha própria carne, do roubo do meu tempo de descanso, do meu tempo de ócio, do meu tempo para conversar coisas sérias e besteiras, para beber cerveja e para o mais que pudesse ter sido. Inclua-se aqui também o tempo que pedi emprestado aos caatingueiros que me concederam entrevistas, dispuseram-se a jogar conversa fora, acataram a solicitação ou se ofereceram para caminhar pelos chãos de seus lugares mostrando as coisas, respondendo perguntas, aturando minhas inconveniências e que me receberam ou me agasalharam em suas casas.”(Esmeraldo Lopes, Caatingueiros e Caatinga: a agonia de uma cultural, página 6).

Biografia  retirada de seu Site Esmeraldo Lopes:

Esmeraldo Lopes, Curaçá - BA -,1954. Bacharelado: Ciências Políticas e Sociais, pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (1977 a 1981); mestrado em Sociologia pela UFPE (2004). Escrevi "Vozes do Mato", 1992;, "Opara - Formação Histórica e Social do Submédio São Francisco" 1997; "Caminhos de Curaçá", 2000; "Até Aonde a Memória Alcança: um estudo sobre caatingueiros e beiradeiros no submédio do Vale do São Francisco", dissertação de mestrado, 2004.

Sou professor e com essa atividade ganho a vida, mas não estimo a categoria, pois acho que entre todos aqueles que ocupam o espaço de professor, 90% não o são, apenas têm emprego como professor. Embora goste da minha formação, fico triste em ver tantos pedantes, cujo único fim é se darem bem na vida, usando o título de sociólogo. Para mim o sociólogo é, antes e acima de tudo, um profissional-militante, e aqueles que fazem da sociologia um espaço puramente profissional cheiram a mercenarismo.

Ética profissional: uma expressão utilizada para proteger safadeza e vagabundagem.

Sou da Bahia, mas não sou baiano. Fumo, bebo e não tenho medo de ter preconceito, pois acho que só não tem preconceito quem não é humano; não tenho medo de julgar e, embora não goste dos julgamentos dos outros, acho que os outros têm direito a julgamento. Se lamento pelas merdas que já fiz, lamento ainda mais pelas que ainda farei.

Participei, como base, da fundação do PT e hoje odeio esse partido, principalmente o analfabeto sem dedo, por encarnar a traição de um sonho.

Não sou candidato a ser politicamente correto e acho que os defensores dessa posição, em verdade, não são mais que um bando de covardes e irresponsáveis que têm medo de se expor. Para mim, os discursos das chamadas minorias,tais quais estão postos, sejam elas sexuais, raciais, religiosas, etc., são declarações de ressentimento e incapacidade. Bem olhado, o sonho que se camuflam nesses discursos é o da aniquilação das diferenças.

Para mim só os loucos, as crianças, os imbecis e os otários são capazes da felicidade.

Vida: delírio que preenche o espaço entre o nascimento e a morte.

Nascemos só, vivemos só, morreremos só. A condição humana é a solidão.

Os rótulos que já me deram e que tomei conhecimento: radical, tarado, doido, inconsequente, inconveniente... Resolvi, então, me oferecer um rótulo mais simpático: anarquista reacionário e sem causa.

Sobre Caatinga e Caatingueiros - Parte 3/6

FONTE: Esmeraldo Lopes

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

POR ISAC SANTOS: A CLAREZA DO COMANDO


A história dos conflitos armados ou da disputa do poder político têm revelado notabilíssimos estrategistas, assim como valorosos militantes, que unidos uns aos outros foram decisivos para o sucesso de revoluções, de tomadas de poder mundo à fora, a exemplo temos a revolução russa com Lênin, a revolução chinesa e mais recentemente a cubana com Che e Fidel, atualmente existem generais e soldados de igual teor e determinação dados às compensações do tempo.

 Hoje há dirigentes competentes para engendrarem estratégias vitoriosas de igual modo há militantes ou soldados capazes de se concatenarem a essas estratégias para realizarem os objetivos táticos de maneira precisa, de modo que ambos como um conjunto compacto e com estreitas relações de propósito podem conduzir um exercito a vitória, entretanto, além da competência e coordenação de comandantes e comandados o que é preciso levar em conta para se chegar a vitória?

Dentro de uma análise prévia: coragem, bravura e força a grosso modo são as exigências mais eminentes para um soldado, inteligência, conhecimento e sensibilidade são as necessidades inevitáveis de um general e por sua vez os elementos que satisfazem uma vitória, porém numa avaliação meticulosa as qualidades acima enumeradas mostram se necessárias, mas insuficientes na medida em que se encontram desarticuladas, a bravura de um leão morto de nada vale, a força aplicada em uma grande área é facilmente dissipada, bem como o conhecimento sem aplicação se torna ineficaz, portanto, tanto o general quanto o militante são apenas contingentes neste contexto. Planejamento, execução e compreensão de quem planeja e quem executa são os outros elementos  que compõe a vitória, o  soldado só é soldado quando se compreende como tal, um militante até pode pensar como   um general, nada excluir essa possibilidade ao contrario deve ser incentivado, porem o que é inaceitável de um subordinado é agir como um general e a razão mais explicita para tal proibição se encontra no fato dele ser o executo tático  e portanto a parte mais vital da estratégia, não se trata aqui de elimina a ascensão, o esforço individual, na verdade todo dirigente por via de regra  tem que ser um soldado. Ao general cabem as mesmas conclusões dado algumas variações, de maneira análoga a um soldado o general não pode assumi as funções de um soldado, pois deixaria vago o comando e conseqüentemente a estratégia, logo há três partes reconhecidamente importantes que constituem uma vitoria: a estratégia, a tática e finalmente a junção destas duas ultimas, que é a chave da compreensão da vitória na medida em que superiores e subordinados tem a noção exata de seus deveres, de seus poderes e limitações.

ISAC SANTOS, universitário da UEMA, servidor público e militante do PSTU de Imperatriz.

ACE: SINDICATO DOS METALÚRGICOS DO ABC, PATROCINA ATAQUES AOS TRABLAHADORES

Sindicatos pelegos é assim, defende os interesses dos patrões quando os governos não querem assumir o acordo feito para suas eleições. Não ao ACE! 

Clique na imagem para ampliar

Panfleto informativo produzido pela CSP CONLUTAS