terça-feira, 30 de março de 2010

DOCUMENTÁRIO: CRIANÇA A ALMA DO NEGÓCIO

Este documentário reflete sobre estas questões e mostra como no Brasil a criança se tornou a alma do negócio para a publicidade. A indústria descobriu que é mais fácil convencer uma criança do que umn adulto, então, as crianças são bombardeadas por propagandas que estimulam o consumo e que falama diretamente com elas. O resultado disso é devastador: crianças que, aos cinco anos, já vão à escola totalmente maquiadas e deixaram de brincar de correr por causa de seus saltos altos; que sabem as marcas de todos os celulares mas não sabem o que é uma minhoca; que reconhecem as marcas de todos os salgadinhos mas não sabem os nomes de frutas e legumas. Num jogo desigual e desumano, os anunciantes ficam com o lucro enquanto as crianças arcam com o prejuízo de sua infância encurtada. Contundente, ousado e real este documentário escancara a perplexidade deste cenário, convidando você a refletir sobre seu papel dentro dele e sobre o futuro da infância.

Direção Estela Renner

Executiva Marcos Nisti Maria Farinha

Produção: http://interpretacoesdeumsujeito.blogspot.com/

VIOLÊNCIA CONTRA PROFESSOR REVOLTA SOCIEDADE

Em solidariedade e protesto contra a violência acometida a um professor de educação física - sem contar com os crimes bárbaros dos últimos meses - estarão concentrados na manhã desta quarta-feira, 31, na praça Mane Garrincha professores da rede Municipal, Estadual, Particular, colegas de trabalho e alunos e outras entidades, fazendo uma manifestação, em protesto pela violência praticada contra o professor Jeferson, brutalmente alvejado com tiros na manhã de domingo na porta de uma danceteria onde exercia a função de segurança.

Assim como outros profissionais de outras áreas que tem dupla, triplas funções além daquela na qual escolheu por prazer, como é o caso do professor Jeferson, para conseguir manter sua família com condições dignas, pois os baixos salários e a falta de valorização desses profissionais por parte do estado, os obrigam a buscar outras formas de remuneração.

segunda-feira, 29 de março de 2010

SER REVOLUCIONÁRIO OU SER LACÁIO?

Revolucionário, essa palavra dá tanto medo nos burgueses quanto a comunismo. Para eles está ligada a ir de encontro a seus interesses imperialistas, dominadores, de acumulação de capital. Os burgueses procuram identificar dentro da classe operária alguém disposto a cumprir esse papel e o financiam, sempre com o objetivo de que ele reproduza o discurso reacionário na conciliação da luta de classes.

Esses lacaios são identificados facilmente dentro da sociedade civil, seja nos movimentos sociais, seja nos partidos políticos, seja nos sindicatos. Com um discurso que é cedendo que se avança usam sua representatividade para trair a classe trabalhadora, nos partidos políticos eles têm o papel de analisar a conjuntura como não favorável às medidas e que é mais conveniente esperar que as massas, em um momento de estrema pressão, se tornem revolucionarias, e, para isso, não há necessidade de lideranças tampouco de uma consciência de classe.

Para esses reacionários travestidos de militantes de esquerda chegar ao poder é mais importante do que ter uma classe ideologicamente preparada e ciente de seu papel revolucionário, nesse nível facilmente ele será identificado com um lacaio dos burgueses, então não terá a massa em seu poder. Usam o discurso fácil direcionado aos trabalhadores, os iludindo que apenas no poder burguês e capitalista terão a oportunidade de criar as condições objetivas da luta.

Ser revolucionário deve ser um principio de caráter num militante de esquerda, aliado a isso, o seu ideário libertário que deve fazer aflorar nos homens e mulheres da sociedade.

Na mídia a palavra revolucionário é bastante pronunciada ao descrever um novo método de cura, ou um novo medicamento. Mas ser revolucionário na política ou na economia toma um ar pejorativo a qualquer medida que busque a emancipação do operário e de conscientização do nível de exploração pelo capitalismo, assim como acontece com a palavra comunista, caracterizando como uma subversão ao meio de produção capitalista vigente. Que nesse sentido é, pois socializar os meios de produção e a terra são medidas econômicas revolucionárias bem identificadas no comunismo.

Aos revolucionários comunistas resta a tarefa de buscar formas que levem a classe trabalhadora a se auto questionar sobre o quanto se encontra na escravidão do capitalismo, que não se compara ao escravismo dos negros africanos, a escravidão do capitalismo é aceito e não questionado pelos trabalhadores - como se fosse um vício de crack -, quem está viciado não se reconhece como tal.

Dizer que é contraditório um operário hoje se considerar um comunista só porque ele não busca – neste caso sozinho – a tomada da fabrica, ou que um empresário comunista deve dispor de sua empresa é um exemplo de argumentação reacionária: “E quando Jesus ouviu isto, disse-lhe: Ainda te falta uma coisa; vende tudo quanto tens, reparte-o pelos pobres, e terás um tesouro no céu; vem, e segue-me” Lucas 18:22, essa citação Bíblica caracteriza bem o que eles consideram ser revolucionário ou comunista, e dizem que somos nós que queremos nos tornar uma seita.

“Ou a revolução é socialista, ou é uma caricatura de revolução” Che

sábado, 27 de março de 2010

LUTA URBANITÁRIA: SÓ A LUTA MUDA A VIDA!

OLÁ WILSON LEITE, O MOVIMENTO LUTA URBNITÁRIA CONCLAMA TODOS OS TRABALHADORES DA CAEMA, CEMAR, ELETRONORTE E SAAES A FORMAREM UMA CHAPA DE MUDANÇA, DE OPOSIÇÃO A ATUAL DIREÇÃO DO SINDICATO DOS URBANITÁRIOS, POIS PRECISAMOS DE UM SINDICATO: INDEPENDENTE,DEMOCRÁTICO E COMBATIVO, ACESSEM O BLOG: www.lutaurbanitariama.blogspot.com, e vejam o vídeo da chamada.

LEONY MOTA-CAEMA/SÃO LUIS


Articuladores da Chapa Luta Urbanitária devem chegar nesta segunda-feira em Imperatriz para conversar com os tralhadores da região que estão insatisfeitos com a inoperância da delegacia regional do sindicato.

sexta-feira, 26 de março de 2010

PRÉ-SAL, BRIGA POR "HERANÇA" ENTRE OS ESTADOS E MUNICIPIOS.

Com a expectativa de exploração da bacia petrolífera do pré-sal os estados e municípios vêm travando um duelo através de seus deputados federais e senadores em torno de como seria a partilha dos royalties – similar ao ISS municipal que as empresas pagam pela exploração de serviço – entre os estados e municípios que não produzem e não tem fronteira com a costa marítima onde se encontra o pré-sal, de santa Catarina ao Rio Grande do Sul.

Com o inicio dessa produção os recursos dos royalties aumentarão consideravelmente, com essa perspectiva os estados “produtores” não abrem mão desse dinheiro, não aceitando o aumento de repasses aos outros estados da federação que não tem em suas costas zona de produção, como é o caso do Maranhão.

Mas o que mais importa a ser discutido, a questão de quem fará a extração, já está decidida entre a quase totalidade dos parlamentares, o petróleo será extraído na forma de “partilha” que entrega de “mão beijada” toda essa riqueza às grandes corporações internacionais que levarão o lucro e o petróleo para outros continentes, como fizeram com a mineradora Vale.

Não será surpresa se mesmo tendo uma grande produção de petróleo nosso mercado tenha crises de abastecimento, pois a produção está nas mãos de empresas internacionais e serão elas que determinarão qual o mercado melhor lhe interessam, ou seja, nosso petróleo garantirá o abastecimento dos EUA com um preço “subsidiado” pelo emtreguismo dos governos corruptos de FHC/PSDB e LULA/PT.

Enquanto isso os políticos antipatriotas brigam pela “migalha” que essa produção vai proporcionar ao país, parecendo um briga de família pela partilha de uma herança.

quarta-feira, 24 de março de 2010

AS DIFERENÇAS ENTRE O RICO E O POBRE

Vale ressaltar que quem mantém o pobre nessa situação é o modo de produção capitalista por isso que defendemos a garantia das condições aos trabalhadores e isso só será possível no modo de produção socialista onde não há propriedade privada e a terra é compartilhada a quem nela quer produzir.

segunda-feira, 22 de março de 2010

PSOL RATIFICA SAULO ARCANGELI PARA GOVERNADOR

O Partido Socialismo e Liberdade - PSOL confirmou o sindicalista Saulo Arcangeli como candidato do partido para o Governo do Maranhão. A decisão foi tomada ao final da III Conferência Estadual Eleitoral do partido, ocorrida no último final de semana, em São Luis. A militância também aprovou o professor Cleumir Leal, de Imperatriz, para integrar a chapa como vice-Governador, contemplando a região tocantina.

Saulo Arcangeli já havia sido indicado em dezembro como o pré-candidato majoritário para o Governo do Maranhão desde dezembro, durante o Encontro Estadual do partido. A definição do fim de semana foi realizada por integrar o processo para a escolha do candidato do partido à Presidência da República, nos dias 10 e 11 de abril de 2010, no Rio de Janeiro. No caso do Maranhão, a representação eleita será de apoio a Plínio Arruda Presidente.

Saulo é professor da UEMA, funcionário do Ministério Público e militante do movimento sindical, atuando na coordenação Nacional de Lutas – Conlutas e da Federação Nacional dos Trabalhadores no Judiciário Federal – Fenajufe. A escolha de Saulo para encabeçar a disputa do PSOL em 2010 representa a inclinação do PSOL em construir uma campanha de diálogo e de envolvimento das categorias da classe trabalhadora no Maranhão e no Brasil.

A base programática do governo do PSOL será elaborada a partir de um conjunto de ações no Estado, através de seminários, encontros com lideranças de base e reuniões nos mais diferentes municípios. O pontapé em São Luis será no próximo dia 17 de abril, com a realização de plenárias simultâneas na capital e no interior do Estado.

O PSOL vai proporcionar uma frente alternativa, em que o projeto socialista para o Maranhão sirva como contraponto à falsa polarização da mídia com o grupo Sarney e os aliados do bloco Jackson e Zé Reinaldo. Esclarecerá o significado com as vantagens e desvantagens dos supostos empreendimentos tão anunciados nos últimos anos no Maranhão. O programa partidário do PSOL apresentará propostas que diferem das promessas corriqueiras que os partidos de direita tanto ecoam nos espaços da propaganda.

----------------------------------------

CHAPA DO PSOL-MA PARA 2010

GOVERNADOR: Saulo Arcangeli (São Luis) Vice: Cleumir Leal (Imperatriz)


Senadores: Paulo Rios (São Luis) e Margarida Nunes (Imperatriz)


----------------------------------------
CONTATOS:

Rogério Costa (98) 88871354 ou 81631985

E-mail: presidência.psolma@gmail.com

Site: http://www.psolma.org.br/

Por: Secretaria de Comunicação do PSOL-MA

sexta-feira, 19 de março de 2010

COMUNISMO É SUBVERSÃO?

Na história da sociedade moderna a expansão da produção industrial capitalista viu surgir pessoas que observavam a forma de exploração do trabalho coletivo dos homens e também operários que não aceitavam essa exploração.

De um lado o grupo detentor dos meios de produção (fabricas) e do outro os trabalhadores que fazem com que esses meios de produção através de seu labor (trabalho) gerem lucro para o proprietário das fábricas, o patrão.

Até hoje essas relações patrão e empregado – no modo capitalista de produção – ainda imperam. Em determinado período da história os trabalhadores conseguiram vitórias importantes: redução de horário de trabalho, repouso remunerado, férias etc. Nesse mesmo período a burguesia com seu poder econômico e político, combateu a organização dos trabalhadores e perseguiu as organizações comunistas. Concederam direitos sempre procurando mostrar que esses direitos eram frutos do desenvolvimento da produção capitalista e não da pressão da classe operária além de uma permanente campanha propagandista contra os comunistas que eram classificados como subversivos e defensores da miséria dos trabalhadores.

Essa propaganda insistente, o aumento da produção barateando cada vez mais os produtos, a possibilidade de consumo aos operários além de uma apatia dos pensadores em refutar o terrorismo ao qual somos impostos foram cruciais para a situação atual dos que defendem o socialismo e por fim o comunismo.

Devido a esses e muitos outros fatores os comunistas tentam pegar o “fio da meada” e reformular suas propostas à classe trabalhadora cada vez mais “amiga do inimigo”. Hoje não somos mais capazes de identificar a figura do burguês do século XIX. Este tinha uma vestimenta que nenhuma outra classe poderia usar. Só a burguesia tinha condições financeiras de possuir charretes ou veículos automotores. Eram bens inacessíveis a um operário. Hoje, no mundo da tecnologia, da disputa por mercados e domínio do capital financeiro, um operário tem nível de consumo que já lhe permite ter automóvel, celular, boa vestimenta etc imitando o consumo de um burguês. Mas tem uma diferença “sutil”, é apenas uma imitação. O capitalista mantém a escravidão assalariada da classe trabalhadora nessa forma de produção. Lança o operário no desemprego ou rebaixa os salários quando lhes é conveniente.

Fico abismado em ver um trabalhador assalariado que recebe R$510,00 por mês defendendo a manutenção desse modo de produção explorador da classe operária, degradador do meio ambiente. Ele faz isso ao dar graças pelo emprego que garante minimamente as condições de vida e reprodução de sua classe e pelo fato de querer – mesmo que sem condições financeiras – produtos tecnológicos da moda, mesmo que pra isso, deixe saúde, educação e alimentação em segundo plano. O que importa é garantir o celular da moda que ele não vai usar nem 10% de suas funções (ligação, jogos, calculadora, agenda, foto, filmadora, Tv/Rádio, Blue Tooth, mensagens de texto, reprodutor Mp3/Mp4, Internet, Dual Chip, GPS etc.), ou seja, um aparelho que tenha várias dessas funções dificilmente ele use mais de três ou na melhor das hipóteses, cinco delas.

A lógica do capitalismo se diz democrático mas não fornece condições financeiras e nem tempo disponível para o operário participar do processo político, financia o consumo mas cobra juros extorsivos sacrificando ainda mais o assalariado, mantém a escravidão assalariada, submetendo o operário a baixos salários e ao desemprego, exclui grande parcela da população de direitos básicos, como educação e saúde, e até mesmo de necessidades elementares, como alimentação e moradia.

Para a burguesia, confrontar a lógica deste sistema que promove desigualdade social é ser subversivo.

quinta-feira, 18 de março de 2010

PONTO DA JK, LUTA POR ESPAÇO

O que realmente estaria por trás do conflito num ponto até então pouco valorizado pelos motos-taxista regularizados? Foi esse o questionamento que me fiz. Por várias vezes ao chegar de viagem na cidade descia do ônibus na JK, sempre era levado até em casa por um dos "clandestinos", quando havia um no local, pois nem eles faziam plantão até tarde.

O fato é que: com a proximidade da inauguração - apos 10 anos de promessas - do “novo terminal rodoviário" aquele será um ponto estratégico aos que exploram o serviço de moto-taxi. Se tornando uma verdadeira mina de ouro a quem interessa

Pra quem pensava que grilagem só existia no meio rural está vendo um exemplo de grilagem no meio urbano, isso tudo porque nossa econômia é baseada na propriedade privada e não no uso social dos espaços.

quarta-feira, 17 de março de 2010

LUTA ENTRE TRABALHADORES, PECULIARIDADE NO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA

O acirramento dos ânimos entre os trabalhadores do serviço alternativo de moto-taxista (legalizados e não-legalizados) que estamos vendo nesses últimos meses é uma peculiaridade do modo de produção capitalista que coloca em competição entre membros de uma mesma classe (trabalhadores) para ver quem é que vai ter o direito a ganhar o pão de cada dia.

O caso não será resolvido com o simples aumento do número de vagas como querem os não legalizados que não é aceito pelos já legalizados, pelo fato de que deixará muitos outros que estão na mesma situação dos que pleiteiam o reconhecimento de poder trabalhar, além do que não demorará a vinda de outros em busca dessa alternativa de renda.

Outros trabalhadores do transporte como os taxistas-lotação também engrossam essa disputa.

O fato é que o gestor municipal tem em suas mãos uma decisão que por um lado agrada uma parte dos não legalizados passará a receber criticas dos moto-taxistas que há mais de dez anos são autorizados a prestar esse serviço.

O caso do transporte público em Imperatriz, um dos mais caros do Brasil, ainda é um gargalo para os trabalhadores que necessitam se locomover ao trabalho e à escola e por isso dependem dos serviços alternativos devido à ineficiência e o valor do transporte coletivo da cidade.

segunda-feira, 15 de março de 2010

IRREGULARIDADES E DESRESPEITO NO HRMI

Os Trabalhadores da Saúde lotados no Hospital Regional Materno Infantil - HRMI sofrem há muitos anos por falta de vinculo com o estado, sem concurso estadual o serviço de gestão do Hospital foi terceirizado, deixando assim os trabalhadores com vinculo “privado”, sem estabilidade.

Desde Setembro de 2009 com o fim do contrato de mais uma empresa terceirizada, os trabalhadores vinculados com a tal empresa “CIAP” ficaram sem receber suas verbas rescisórias, necessitando entrarem com ação na justiça do Trabalho através do Sindicato da classe.

O Estado por sua vez contratou uma nova empresa para substituir a CIAP, a nova empresa denominada “BEM VIVER”, que tem como sócio majoritário o Deputado Antonio Pereira, já entrou ferindo muitos dos direitos dos trabalhadores, refletindo no atendimento.

1- Aumentou o numero de plantões para 15 mensais, sendo que o número praticado pelos funcionários já há alguns anos era de 12 plantões.

2- Diminuiu a remuneração praticada pelas empresas anteriores como Pro-saúde e CIAP diminuição de cerca de 30% dos subsídios.

3- A Empresa “Bem Viver” não fornece vale transportes desde Dezembro de 2009, não fornece contra cheques impossibilitando os trabalhadores identificarem quais os descontos que estão sendo efetuados.

4- Diminuiu o número de médicos no plantão do centro cirúrgico/sala de parto e da UTI neonatal
5- Na sexta-feira dia 12/03 houve uma demissão em massa, foram colocados pra Rua 55(cinqüenta e Cinco) trabalhadores.

Com certeza a qualidade do atendimento cairá, pois os trabalhadores estarão sobrecarregados com os serviços que os outros fariam. A empresa “Bem Viver”, desde que a governadora assumiu, está gerindo os serviços de saúde no estado em mais de 50 municípios.

Com a intervenção na CIAP, depois descobriram que havia irregularidade no contrato, o governo do Estado rompeu o contrato para firmar com a nova empresa, a “Bem Viver”, sem licitação.

Fonte: SINDSAÚDE

domingo, 14 de março de 2010

14 DE MARÇO. DIA INTERNACIONAL DE LUTA DOS ATINGIDOS POR BARRAGENS


Universitários da UEMA dos cursos de Geografia e Biologia realizaram ontem, 13 de março, uma reunião com representantes de pescadores, vazanteiros e lideranças do MAB de estreito.

Na reunião os estudantes questionaram sobre a situação hoje das pessoas que foram atingidas pela Usina Hidroelétrica de Estreito e com relação a ação do movimento com objetivo de pressionar o CESTE e as autoridades no cumprimento das obrigações em reduzir os impactos sociais e ambientais.
A reunião serviu também para organizar eventos alusivos ao 14 de março – Dia Internacional de Luta dos atingidos por barragens- e a conscientização por novas formas de geração de energia.

Hidroeletricidade não é energia limpa
A energia produzida a partir de usinas hidrelétricas não é sustentável. Ao inundar e destruir milhares de hectares de florestas e vegetação nativa, as barragens lançam na atmosfera toneladas de gases do efeito estufa, como o gás carbônico e o metano. Esses gases são provenientes da decomposição do material orgânico inundado. Cientistas têm alertado que grandes barragens podem ter maior impacto climático por unidade de energia gerada que a geração com base em combustíveis fósseis, como as usinas a carvão.

Além disso, as barragens são um importante fator no rápido declínio da biodiversidade fluvial no mundo todo. No Brasil, em particular, grandes hidrelétricas como Barra Grande e Tucuruí foram construídas para abastecer a indústria do alumínio, considerada "eletrointensiva" e proibida de se instalar em países europeus e no Japão. Essa indústria gera poucos empregos, polui o meio ambiente e recebe energia elétrica a preços subsidiados pelo governo. Tudo isso, para exportar uma matéria-prima barata para os países ricos, que eterniza nossa condição de país dependente e atrasado.

Será realizada uma visita ao acampamento do MAB em estreito, onde os estudantes tirarão fotos para serem expostas nos corredores da Universidade e exibição de um vídeo com depoimentos sobre a construção e os impactos causados às populações durante a próxima semana.

quinta-feira, 11 de março de 2010

HISTÓRIAS DE ESTRADA

A viagem de retorno à Imperatriz foi muito interessante, após ser reconhecido às margens de MA 226 por um caminhoneiro que me ofereceu uma carona. Viemos conversando sobre os fatos ocorridos nas suas viagens, fatos de violência, de problema com veiculo e de conflito com a profissão de caminhoneiro.

A enganação do Governo do Estado que há mais de dois meses afirma que vai asfaltar a vicinal que liga Jenipapo dos Vieiras e a MA-226, por vários dias veículos e máquinas estão estacionados no Posto Santa Maria para o inicio da obra, que só deve começar mesmo ao mesmo tempo em que a campanha eleitoral e o seu termino se de fato a Branca ganhar.
Ao passarmos pela reserva indígena, constatamos que ainda há o pedágio nos quebra-molas que cortam as aldeias, flagramos várias mulheres e crianças – em plena chuva – levantando as faixas para conseguir um trocado, mais como índio não é besta vão logo dizendo: “não é com cinqüenta centavos ou um real que vão resolver nossos problemas”. Mais o que nos surpreendeu foi uma constatação abismadora do ingresso dos índios no mundo dos brancos, índios travestidos de mulher passaram a se prostituir às margens da MA 226 e fazendo ponto em postos de gasolina em Grajaú e Barra do Corda.

segunda-feira, 8 de março de 2010

VIAGEM EM "PAU-DE-ARARA"



Quando o objetivo é chegar ao local de trabalho ou a volta pra casa não sou de escolher meio de transporte, vou no primeiro que passa. Mas há lugares que não se tem muitas opções, é o caso quando vou à Jenipapo dos Vieiras - 19 km da MA-226 (fim da Reserva indígena) - onde os únicos meios de se chegar ou é de pau-de-arara ou de veiculo próprio.

Apesar de respirar poeira e do assento duro, o bate papo com os moradores de Jenipapo e os indígenas que sempre transitam por ali é interessante. Nesta última viagem tinha um índio já de idade bem avançada que vinha de Barra do Corda com alguns produtos industrializados (arroz, feijão, sal etc) e com uma boa quantia em dinheiro - comentados pelos seus colegas brancos que estavam no carro -, outro fato interessante foi um casal que subiu no trajeto vindo de sua maloca à margem da estrada, eram um rapaz louro dos olhos verdes e uma senhora indígena muito bonita, fiquei admirado com a atenção que o rapaz dava à suas proles - uma menina de uns 4 anos e um menino de seis meses - e à sua esposa.

Fico curioso ao ouvirem conversando em seu dialeto, os brancos e os indígenas que convivem mesclam o dialeto dos índios com o português. Muito interessante ver essa harmonia entre os homens.

domingo, 7 de março de 2010

O QUE ESTÁ ERRADO NESSA FOTO?

Para muitos essa foto não tem nada de errado em sua imagem: Uma farmácia com sua vitrine expondo produtos chamativos, num ponto comercial à noite e uma pessoa observando o que está exposto. Ah!, Há também um mendigo deitado no cantinho, é... a vida é assim mesmo.

O principal erro começa pela aceitação de grande parte da sociedade que aqueles que não tiveram oportunidades ou que não são aparados pelo estado são porque não correram atrás. Tem uma
falsa convicção de que esse estado burguês (ricos) tem condições de dar oportunidades à grande maioria do povo.

Qualquer um que se ache em condições mais estável dentro desse sistema corre um sério risco de ocupar um lugar ao lado daquele ser humano excluído de qualquer garantia de seus direitos humanos. Em Imperatriz – como em grandes cidades, hoje até no centro do capitalismo, os EUA – a cada dia a população de rua, assim como os que nunca conseguiram um emprego para terem o mínimo de condições de vida só vem aumentando.

Apenas uma sociedade socialista teremos condições de garantir condições onde todos possam produzir e ter seu teto, educação, saúde e lazer. Isso não tem nada haver com utopia, socialismo não é um sonho é um sistema econômico que garante o direito de todos produzirem e que essa riqueza produzida seja apropriada pelo trabalhador. Com a abolição da propriedade privado todos passarão a ter direito à sua moradia ao eliminar o direito de que uma só pessoa possa ser dono de tudo e muitos sem direito a nada.

sexta-feira, 5 de março de 2010

TALENTO E CRIATIVIDADE É TUDO!

Temos que parabenizar de público a criatividade de Johan Costa, web designer da Júpiter. O novo portal da Júpiter Internet trás além de um visual leve e completo um ferramenta que facilitará os navegantes virtuais uma grande comodidade – a de ter uma barra de favoritos em qualquer micro -, bastando clicar em uma das opções da barra navegar e escolher uma das opções da lista, você vai navegar em qualquer página sem que abra uma nova janela ou aba, estará com um navegador dentro da própria pagina e com a facilidade de ter tudo ali relacionado, um verdadeiro show de criatividade.

Parabéns Johan Costa e a Júpiter por investir e criatividade e talentos. Daqui a mais uns dias tudo estará concentrado lá, é só conferir!

www.jupiter.com.br/jupiter

quarta-feira, 3 de março de 2010

GESTÃO MADEIRA ESTÁ DANDO CUPIM

Quando no cargo de Deputado Federal, em seu quarto mandato, o prefeito de Imperatriz só tinha que dar satisfação de suas ações como parlamentar de quatro em quatro anos e aproveitava para pedir os votos para a reeleição. Assim como são todos os parlamentares de indicações e de conchavos eleitoreiros eles não recebem pressões de sua base de votos, basta vir em certo período, de preferência meses antes da eleição e pagar uma espaço da mídia pra dizer o que teria feito como parlamentar.

Bem, mais as coisas mudaram, o parlamentar virou prefeito e prometeu as mudanças para Imperatriz. Após quinze meses de gestão as promessas de mudança estão longe de se concretizarem, pois como ele mesmo afirma "sua galinha dos ovos de ouro", Jackson Lago, foi abatido pela família Sarney e a tão ajuda financeira para administrar não se concretizou.

O fato não se resume a isso. O modelo no qual esses políticos se compromete com o empresariado que financia sua campanha visando lucros futuros dos cofres públicos e ainda afirma com toda a cara de pau, se não fizermos acordos não ganhamos eleição. O pior que realmente nesse processo eleitoral é assim mesmo, mas pra desgraça de quem sonha demais acaba não vendo que até pode ganhar eleição mas não governa.

O cupinzeiro que se instala nos gabinetes e nas salas de licitação tornam a gestão insustentável basta lembrarmos do que expus no programa eleitoral quando citei que a prefeitura funciona em quase sua totalidade em prédios privados. Ao assumir o prefeito madeira exponeciou esses gastos com alugueis de veículos, prédios (para escolas, postos de saúde, secretarias etc), além do inchaço da folha dos cargos em comissão( secretários e segundo e terceiro escalão) em número e valor.

Em uma das visitas às obras “feijão com arroz” – construção de passagem molhada - na feirinha do Bom Sucesso, onde de quebra estava com todo seu aparato propagandistas filmando-o ao lado de uma das grandes obras de seu mandato, minha esposa ao passar e ver o circo armado ouviu o balburdiar de uma de suas eleitoras: “vejam só! esse prefeito, quando era pra pedir votos pegava na mão te todo mundo agora anda e parece que ninguém está à sua frente”.

É... a vida é assim mesmo, uma hora o cupim dá na cabeça dos outros e acaba roendo a idéia fixa de Madeira neles!

terça-feira, 2 de março de 2010

A AUDIÊNCIA NÃO ERA PÚBLICA, ERA DOS RURALISTAS

Foi assim que os movimentos sociais que lutam pela causa ambiental, pela manutenção do Código Florestal Brasileiro e pelo pequeno produtor rural – quem verdadeiramente produz alimentos neste pais - foram para o debate na Câmara Municipal. Todos os políticos da mesa e a grande maioria da plenária de ruralistas estavam lá para aplaudir toda afirmação que refletisse seus interesses por mais áreas, podendo assim desmatar, e apenas o presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais do Maranhão com posição contrária ao desmatamento e a anulação do Código Florestal Brasileiro.

Contrariando quem pensava que os militantes ambientais se acovardariam - devido à desproporção da quantidade – se enganou, os militantes se manifestaram à firmações mentirosas daqueles que defendem o fim de qualquer forma de preservação – pensam que plantar eucalipto é plantar floresta – empunhando bandeirolas e reivindicando falas e até mesmo apresentando um documento formal mostrando sua indignação e apontando propostas.

O relator, Dep. Aldo Rabelo, e os demais membros da mesa deixaram claro qual será o tipo de relatório que apresentarão. Será um relatório que abraça os interesses de produção dos ruralistas para a exportação com o falso discurso que produzem alimentos e que geram riqueza em suas propriedades, mas omitem que essa riqueza retirada do solo que é de todos são apropriados por eles, uma pequena parcela de ricos.

Que a audiência era apenas um espetáculo para os ruralistas isso ninguém tem dúvida, mas a intervenção dos militantes foi pontual para demarcar espaço no debate. O passo seguinte é a divulgação do relatório que já está pronto antes mesmo da primeira audiência e, que essas audiências é para ver o que os ruralistas querem mais do que eles decidiram dar de abertura para o desmatamento dos biomas, a legalidade para a expansão das fazendas.

segunda-feira, 1 de março de 2010

CARTA DE IMPERATRIZ – MARANHÃO EM DEFESA DA AMAZÔNIA, DO PLANETA E DA VIDA

Nós, representantes de Movimentos Sociais, Ambientais, Estudantis Universitários e Secundaristas, Sindicais, Pastorais Sociais, Quebradeiras de Coco, de Mulheres e Feministas e outras entidades da Sociedade Civil Organizada, reunidos no Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Imperatriz para discutir a proposta de alteração do Código Florestal Brasileiro, a Lei de Política Nacional de Meio Ambiente, a Lei de Crimes Ambientais, a Lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação; vimos por meio deste, apresentar à Comissão Especial da Câmara Federal o Nosso Posicionamento:

1) Somos contrários à forma intempestiva com que está sendo conduzido o processo de alteração do Código Florestal, posto que vem alijando a ampla participação da Sociedade Civil Organizada;

2) A alteração do Código como está sendo proposto representa um explícito contra censo, pois vai contra o que há de mais avançado na mentalidade mundial atual – a necessidade da PRESERVAÇÃO e mais que isso, a recuperação radical do que já foi devastado pela regente matriz tecnológica;

3) Entendemos que a questão central a ser debatida com vista à uma radical alteração é quanto à MATRIZ TECNOLÓGICA, predominante do agronegócio brasileiro, que é ecologicamente insustentável, economicamente excludente e socialmente injusta;

4) Propomos que os órgãos ambientais (IBAMA, SECRETARIAS E MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE), cumpram efetivamente com seus papeis de fiscalização e punição dos crimes cometidos contra o meio ambiente em explícito desacordo com o Código Florestal Vigente;

5) Conclamamos a Comissão Especial da Câmara Federal a fazer frente ao cumprimento da função social e AMBIENTAL da terra, desapropriando os imóveis rurais que descumprem tais funções, conforme autoriza a Constituição Federal da República;

6) Entendemos que qualquer alteração na legislação ambiental só será admissível se for, primeiro, para garantir um tratamento diferenciado à agricultura familiar, através da adoção de critério da proporcionalidade na definição dos percentuais imobiliários a ser destinados as áreas de reserva permanente e reserva legal, bem como para adotar o conceito de agricultor familiar contido na lei 11.326/2006 para todos os fins de direito; segundo, para estabelecer a compensação do agricultor ou empreendedor familiar pela realização de serviços de preservação ambiental.

7) Finalmente, manifestamos nossa total defesa de que o Estado do Maranhão continue fazendo parte da AMAZÔNIA LEGAL.

ESTATÍSTICA DE ACESSOS DO BLOG: WILSON LEITE EM FEVEREIRO

Essa dimensão personalizada resultou em 2.180 Exibições de página por meio de 28 dias.

Essa dimensão personalizada resultou em 2.180 Exibições de página por meio de 103 cidades.

122 títulos da página foram visualizados 2.180 vezes no total

OS 10 POSTS MAIS ACESSADOS DO MÊS

1. Página Inicial do blog Wilson Leite ------------------------------- 1.029
2. A IMPORTÂNCIA DA LEITURA NAS SÉRIES INICIAIS. -------- 143
3. CAMINHÕES ALUGADOS SÃO VISTOS TRABALHANDO
EM OBRA PARTICULAR DE SECRETÁRIO MUNICIPAL -----------115
4. ESTUDANTES SÃO COAGIDOS À TENTAR FILMAR NO LIXÃO. --67
5. PSOL PODERÁ SER O ÚNICO PARTIDO A TER COMO VICE
NOME DA REGIÃO SUL DO MARANHÃO ----------------------------54
6. SUCESSO DO CARNAVAL DE PERNAMBUCO: MARCHINHA
DO BOLSA FAMÍLIA -------------------------------------------------42
7. ASPONE OFICIAL DISTORCE CONTEÚDO DE POST DE
BLOGUEIRO PARA TENTAR INSINUAR QUE SUA OPINIÃO
APENAS RIDICULARIZA --------------------------------------------40
8. O LICEU MARANHENSE: resquícios da escola pública de
qualidade na memória coletiva ----------------------------------------37
9. O SURGIMENTO DO SOCIALISMO -------------------------------37
10. PORTAL MARANHÃO NEWS ------------------------------------35

Muito obrigado e continuem participando dos debates.